Connect with us
Publicidade


Eventos

Hortolândia terá primeiro Festival de Graffiti Jacuba Sessions neste final de semana (07 e 08/11)

Redação

Publicado

em

Grandes nomes nacionais irão marcar presença no Jacuba Festival Graffiti Sessions em Hortolândia. A atividade, que acontece neste final de semana (07 e 08/11), na Av. São Francisco de Assis, 690, na Vila Real, tem o objetivo de expandir a arte urbana do graffiti pela cidade para integrar artistas já consagrados e novos talentos. A iniciativa tem o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura.

Nos dois dias, será produzido um painel de graffiti de temas variados. A idéia é embelezar e colorir um grande muro no local, além de difundir a cultura de arte de rua urbana. Participarão da atividade os artistas Izy, do Rio de Janeiro; Foge, da Bahia; Raiz, do Amazonas; Carão, do Paraná; Afolego e Dninja de São Paulo, além dos organizadores da atividade Kranium e Cabelin, de Hortolândia. Confira o currículo dos artistas abaixo.

Segundo um dos organizadores do festival, o artista do município Hélio Domingues da Luz, o Cabelin, a idéia de montar o festival é colocar Hortolândia como uma cidade do interior paulista que também oferece um festival de graffitti como os que acontecem por todo o país, com muita qualidade.

“Nosso objetivo principal é oferecer um festival que tenha essa identificação com a nossa cidade. Queremos proporcionar troca de experiências e vivências com artistas de outros estados, não só da capital, para que a nossa cidade tenha mais acesso a diferentes estilos da arte e se torne uma referência na região. É uma maneira das pessoas verem que o graffiti tem inúmeras possibilidades de estilos e técnicas e que existem pessoas atuando em cada cantinho do Brasil”, ressaltou Cabelin.

“Existe uma relação intensa entre as artes com as cenas urbanas. Aplicar conteúdos com artistas renomados é um presente cheio de afeto para a cidade e a nossa população. O resultado será um cartão-postal afetivo local. Assim, jatos de spray e muita criatividade darão contornos e poesia visual tornando o espaço um símbolo histórico do município”, destacou a secretária de Cultura, Alessandra Amora Barchini.

Os munícipes que tiverem o interesse em prestigiar o festival deverão comparecer ao local utilizando máscara de proteção e respeitar o distanciamento social, para evitar aglomerações. “Cada artista terá um espaço de 20 metros para realizar o seu trabalho, para manter o distanciamento. Além disso, todos utilizarão máscaras”, disse Cabelin.

Conheça os artistas:

Cabelin (Hélio Domingues da Luz)

Formado no Curso de Artes Visuais da PUC-Campinas o Artista, Hélio Domingues da Luz, conhecido como Cabelin, iniciou seus trabalhos de graffiti por volta de 1998, mas foi em 2004 que se firmou na arte do graffitti. Natural de Curitiba, foi no interior do Estado de São Paulo em Hortolândia que descobriu a arte do graffiti e toda sua vertente cultural. Nestes 21 anos de atuação como grafiteiro, já fez intervenções em diversas cidades da região: Campinas, Indaiatuba, Limeira, Sumaré, Monte Mor, Jundiaí, Sorocaba, Cosmópolis, Valinhos, Vinhedo, Holambra, Paulínia, Salto, Nova Odessa, Atibaia, Piracicaba, Ribeirão Preto, Americana, Santa Bárbara D’Oeste, Sorocaba, Brodowski, Bragança Paulista e Grande São Paulo e algumas principais capitais: São Paulo, Curitiba, Londrina-PR, Brasília e Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Tocantins e Santiago de Chile. Participou de alguns dos principais eventos de graffiti, tais como Vira Copos Arte urbana-2019, Meeting Of Styles Brasil- RS- Porto Alegre-2019 e Pmw Street Graffiti- Tocantins -Palmas-2019. Já ministrou oficinas de graffiti e promoveu palestras em escolas estaduais e particulares tais como: Escola Adventista de Campinas, Redes Liceu Salesiano e Liceu São José em Campinas Prof. Liomar de Freitas Camargo de Hortolândia, Escola Leonardo da Vinci Jundiaí, Escola Adventista de Campinas.

Busca em seus graffitis o trabalho mais figurativo com momentos de protestos e apenas a forma por si só tem como marca do gesto sempre pintar meninas de cabelos enormes que rompem com as limitações da parede. Atualmente é professor de artes na rede municipal de Campinas, onde trabalha paralelo aos trabalhos artísticos.

Kranium

Leandro Ferreira dos Santos ou Kranium – como é conhecido no meio – é grafiteiro e arte educador, morador de Hortolândia, interior de São Paulo. Seu envolvimento com o graffiti começou cedo. Em 1997, começou a se interessar pelo graffiti e rabiscar alguns desenhos, usando como referência algumas revistas do segmento. Em 1999, integrou movimentos de graffiti em muros de Hortolândia. Foi nesse momento que se deu conta de que era esse o caminho que queria trilhar.

Quase que por osmose, como um auto-didata, Kranium foi buscando novas inspirações, estilos, descobrindo novas formas, cores e aperfeiçoando técnicas do grafitti até criar uma identidade própria, que trouxesse mais cor, que o representasse como artista e fizesse mais sentido para ele. Cores vivas e formas geométricas são marcas sempre presentes nos seus desenhos e sua assinatura como artista.

Vielas, carros abandonados, murais, paredes, telas – ou qualquer outro material que sirva de suporte – são usados como ferramentas para expressar e materializar sua criatividade. Atua principalmente na região metropolitana de Campinas, onde se tornou referência no graffiti, participando de mostras, projetos, curadorias, oficinas e exposições com o objetivo de transformar a realidade das pessoas ao seu redor e propagar sua arte mundo afora.

Igor Izy – Igor Moreno da Silva

Da zona norte do Rio de Janeiro, artista visual, com técnicas mistas, em suas obras, além de pintar crianças, faz mistura étnicas com animais após ter tido duas experiências na Amazônia. Criador e embaixador de projetos sociais, atualmente trabalha com murais para empresas e ministra palestras motivacionais com foco em sonhos.

Foge

Rildo, mais conhecido como Foge, tem 40 anos. Ele é um artista plástico e escritor de rua. Seus trabalhos foram desenvolvidos pelo Brasil, passando pela Bahia, Recife, Natal, Porto Alegre, Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Acre e Tocantins, além de fora do país, na África, em Cabo Verde. Contemplado em alguns editais federais, desenvolve oficinas em instituições e em bairros da periferia e comunidades em várias cidades. Desenvolve palestras sobre a cena do movimento urbano nas artes visuais atuais. Teve participação em diversos encontros de grafites nacionais e internacionais. Recebeu premiações de reconhecimento como artista, como o troféu Jupará, por duas vezes, troféu Cacau de Ouro e troféu 100 anos de Jorge Amado.

AFolego

Nascida em Mauá, na região metropolitana de SP, tem 35 anos, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Nove de Julho. Também cursou cenografia e figurino pela SP Escola de Teatro. Seu primeiro contato com arte foi aos 10 anos de idade com seu tio, com quem aprendeu as primeiras técnicas de desenho e pintura a óleo. Desde 2013 atua com intervenção urbana por meio do Graffiti. Tem espalhado suas obras tanto na região central como na periferia da cidade de São Paulo e em outros estados do Brasil. Suas personagens falam de ser e viver sendo mulher dentro de um contexto social patriarcal e como isso afeta a todas as nascidas sob este aspecto biológico da existência. Já participou como artista convidada de diversos eventos de arte urbana e como arte educadora, conduzindo oficinas em instituições, ONGs e coletivos independentes. No desenvolvimento da sua linguagem artística, inspira-se nas mulheres, ícones e comuns, de tempos passados e contemporâneas, nas amigas e desconhecidas, as com quem anda junto e as com quem apenas divide o assento no transporte público. Observar e representar mulheres é o que mais a interessa.

Rai Campos, Raiz

Conhecido como Raiz, é uma das maiores expressões do grafitti na região Norte. Nascido na Bahia, chegou ao Amazonas ainda criança para morar na Vila do Pitinga, dentro da Área Indígena Waimiri Atroari, onde começou a grafitar aos 14 anos por esforço próprio. Atualmente, transforma seu imaginário em peças que se figuram em fauna, flora e povos nativos amazônicos, tracejados com cores e técnicas mistas em muros, palafitas, casas flutuantes, viadutos pela Amazônia e algumas capitais do país. Sua maior marca está em retratar personagens indígenas em suas atividades habituais, como forma de reconhecimento e respeito aos povos nativos amazônicos.

O reconhecimento veio através de seus traços marcantes espalhados por toda a cidade de Manaus e principalmente por seus maiores trabalhos em grandes viadutos, edifícios e participações em eventos internacionais.

Denise Sobrinho – Dninja

Pioneira no graffiti em Minas Gerais e uma das primeiras mulheres a pintar também no Brasil, Dninja é natural de Belo Horizonte. Há mais de 23 anos neste tipo de arte, vem desenvolvendo um graffiti caracterizado pela presença de letras estilizadas entrelaçadas com personagens do seu imaginário, nomeados pela própria artista como bichos coisa. Explora também os estudos voltados à pintura clássica e realista, ilustrações, cartoons e ainda se aventura em desenvolver esculturas de seus personagens. Suas inspirações são voltadas à natureza, à sua cultura de origem e à personalidade humana. Dentre as participações em exposições estão: mural em prédio no CEU Aricanduva SP, Art exhibition train canvas (Zurique – Suiça – 2014), Pintura-painel na embaixada do Brasil (Lima-Peru, 2012), 1ª Bienal de graffiti internacional em Belo Horizonte e 2ª Bienal de graffiti Fine Art (MUBE – São Paulo, ano 2012). Sua arte passou por vários países: Peru, Uruguai, Chile, Alemanha, França e Holanda. Assim como por várias regiões do Brasil. Com trabalhos publicados em livros na Alemanha e França, também deixou exposto seu trabalho em Paris, Bélgica e na 1ª Bienal de graffiti em Belo Horizonte. Algumas parceiras com quem trabalhou: Scania, Santader, Natura, Crefisa e Consórcio intermunicipal do ABC, Fundação Criança de SBC, como parceira em projetos para o SESC Poços de Caldas/ MG, Universidade de Araxá/MG, Embaixada do Brasil em Lima/Peru, CRAS, cooperativa de catadores de lixo em SP, Sony Pictures Entertainment e Virada Sustentável em SP. Assinou uma arte comemorativa para o dia dos namorados para a linha de perfume da Natura “#Urbano”

Carão

39 anos e londrinense, o artista de rua Tadeu Roberto Junior mais conhecido como Carão, nasceu em Londrina no Paraná. Desenha desde pequeno, mas foi em 2000 que ele começou no graffiti e desde então vem realizando vários trabalhos pelo Brasil e pelo mundo. Sempre utilizando a temática Afro Brasileira. Carão é militante pelo direito dos homens e mulheres negras ocuparem posições de destaque.

Local: Avenida Francisco de Assis, (altura do nº 690) – Hortolândia/SP
Data: 07 e 08 de Novembro
Horário: das 9h as 17h
Mais informações: Instagram @jacubagraffiti

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Eventos

Grupo de dança de Hortolândia conquista o 2º lugar em competição internacional

Redação

Publicado

em

Por

O grupo de dança formado por bailarinas hortolandenses, conquistou no mês de Novembro/2020 o segundo lugar na competição INTERNACIONAL Fendafor.

A coreografia premiada, Ira, é performada pelas 5 bailarinas, Anne Sampaio Vicente – 18, Júlia Dourado Alves -18, Yuna Thalia Yamagawa – 15, Júlia Sanches dos Santos Ramos – 15 é Ester Bilharo Garcia – 15. Com elementos fortes acrobáticos e um visual dramático, a coreografia faz crítica sobre o peso da perfeição e a luta emocional de se manter forte dentro dos padrões e manter as pessoas próximas junto nessa luta.

Fendafor é um dos maiores festivais de competição de dança INTERNACIONAL reunindo mais de 3.000 (três mil) bailarinos, 930 coreografias de 5 países. A banca de jurados possui bailarinos e mestres renomados como: Norton Fantinel (França), ex bailarino do Teatro Bolshoi e integrante da companhia Washington Ballet – Alice Arja, professora, coreógrafa e diretora geral e artística de escolas no RJ e da Cia de Ballet do RJ e Cristina Sanches – Córdoba – Argentina – Integrante del Ballet Oficial de Córdoba – Argentina – 1970, Directora / Coreógrafa del Ballet Carlos Paz –Argentina – 1978, Gira Internacional, España, Portugal, Canadá e USA.

O grupo das bailarinas, foi cordenado pela artista circense e coreógrafa Sarah Vellos, da Escola Real Ballet, localizada no jardim interlagos em Hortolândia. Sarah, que já como bailarina e coreógrafa na Europa e em outros países da comunidade Europeia no ano de 2017, atribui à dedicacao das meninas essa grande conquista.

Elas também participaram em outubro/2020 da maior competição da América Latina, o Panamerican Dance no mês de outubro, onde também foram premiadas pela participacao.

As aulas de ballet clássico e Jazz contam com meninas e meninos de 3 até 15 anos e a turma adulta a partir de 16 anos. Meninos possuem bolsa 100% e ambos têm a oportunidade de aprender modalidades diferentes de dança e atuação, integrando as aulas de técnica de dança.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Eventos

Cancelado evento gastronômico na Lagoa do Taquaral nos dias 4 a 6/12

Portal Hortolândia

Publicado

em

Em razão do retorno do Estado à fase amarela do Plano São Paulo, anunciado pelo governador João Dória na tarde desta segunda-feira (30/11), foi cancelado o evento gastronômico agendado para ocorrer na Lagoa do Taquaral, entre os dias 4 e 6 dezembro, apoiado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo de Campinas.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Eventos

Tradicional Feira de Natal em Campinas começa na sexta (04)

Portal Hortolândia

Publicado

em

Com todo o rigor dos protocolos de saúde, o público poderá conferir a tradicional Feira de Natal, no Centro de Convivência, a partir da próxima sexta-feira, 4  de dezembro. O funcionamento será de segunda a sexta, das 16h às 22h; e aos sábados e domingos, das 8h às 16h, até o dia 24.

Nas quase 200 barracas, o visitante terá um painel expressivo de artesanatos de todos tipos, joias, bijuterias, acessórios, costura criativa, roupas, calçados, terrários, produtos sustentáveis, antiquários, esotéricos, e as delícias das comidinhas de rua, com valores diferenciados.
A Secretaria da Cultura reitera que as barracas terão distanciamento de 1,50m entre elas, os expositores usarão máscara o tempo todo e disponibilizarão álcool gel para o cliente, normas já seguidas na Feira Hippie. 

Nas barracas de alimentação, o produtos poderão ser consumidos no local, mas com distanciamento.
Além de fomentar a economia criativa, com a pluralidade, criatividade e originalidade dos produtos, a Feira de Natal  se tornou um dos principais pontos turísticos da cidade nessa época do ano.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Populares