Connect with us

Brasil

Entenda a importância de evitar aglomerações

Redação

Publicado

em

Profissionais da saúde e autoridades têm destacado, como medida preventiva à propagação da Covid-19, causada pelo novo coronavírus, a relevância de que os brasileiros evitem aglomerações e o contato próximo com outras pessoas. A recomendação ocorre porque a transmissão pelo vírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • – Espirro
  • – Tosse
  • – Gotículas de saliva
  • – Contato físico com uma pessoa infectada
  • – Toque em objetos ou superfícies contaminadas (seguido de contato com boca, nariz ou olhos)

Para reduzir as chances de transmissão pelo contato com secreções, a orientação é não permanecer perto de um grande número de pessoas. A medida vale para cidadãos de qualquer faixa etária – assim, neste momento, também representa uma decisão importante evitar locais como clubes, piscinas, praias, bares e casas noturnas.

“Como se proteger de uma infecção viral? Não ter um contato próximo, o que a Organização Mundial da Saúde preconiza, de pelo menos um metro de distância. Evite aglomerações e o contato próximo com outras pessoas, além da higiene ao lavar as mãos com água e sabão”, salienta a diretora do Laboratório de Virologia do Instituto Butantan, Viviane Botosso.

Vale destacar que a recomendação é fundamental para pacientes com idade superior a 60 anos, já que constituem o grupo mais vulnerável. “Os cidadãos acima dessa faixa etária devem evitar aglomerações. É uma recomendação para que eles se poupem e se protejam. Seguramente, é uma doença que afeta essa população vulnerável”, destaca o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip.

A recomendação é reforçada também para pessoas com sintomas semelhantes aos de gripe ou resfriado comum. Para quem é confirmado positivo para Covid-19, as orientações de restrição são ampliadas, e envolvem medidas como: evitar compartilhar objetos pessoais, ficar em quarto individual, não receber visitas e permanecer em casa até o desaparecimento completo dos sintomas.

Redução do contato social

De acordo com o Ministério da Saúde, as capitais São Paulo e Rio de Janeiro já registram caso de transmissão comunitária, quando não é identificada a origem da contaminação. Com isso, o país entrou em uma nova fase da estratégia brasileira, a de criar condições para diminuir os danos que o vírus pode causar à população.

O órgão federal e a Secretaria de Estado da Saúde recomendam a redução do contato social, o que, consequentemente, reduzirá as chances de transmissão do vírus, que é alta se comparado a outros coronavírus do passado.

As autoridades também recomendam que a utilização de equipamento de proteção seja feita apenas por pessoas doentes, casos confirmados da doença, contatos domiciliares e profissionais de saúde. Para áreas com transmissão local da doença, é recomendado evitar contato social, como idas ao cinema, shoppings, viagens e locais com aglomeração de pessoas. Nesta quarta-feira (18), o Governo de São Paulo recomendou o fechamento temporário de shoppings e academias na Grande São Paulo.

Outras iniciativas em São Paulo

De modo a combater o avanço da Covid-19, o Governo de São Paulo anunciou o fechamento gradual das escolas estaduais entre os dias 16 e 23 de março, a partir de quando as aulas serão totalmente suspensas.

Museus, bibliotecas e centros culturais estaduais serão fechados por 30 dias. Os 153 Centros de Convivência do Idoso também serão fechados por 60 dias. Por 30 dias (a partir de 16 de março), estão suspensos todos os eventos públicos estaduais que venham a agrupar pessoas em qualquer número – antes, havia tolerância a atos com até 500 pessoas.

Embora o Estado não tenha determinado proibição administrativa ou punições, o Governo de São Paulo recomenda o fechamento temporário de cinemas, teatros e casas de espetáculos. Recomenda também a suspensão de eventos públicos que provoquem aglomeração, independentemente do número de pessoas.

Vale destacar que o Governo do Estado mantém as atividades do Centro de Contingência do Coronavírus, criado em 26 de fevereiro, além do Comitê Administrativo Extraordinário, que tem poder de decisão para tomar medidas emergenciais durante a pandemia do novo coronavírus.

Brasil

Brasil se aproxima de mil mortes por coronavírus

Portal Hortolândia

Publicado

em

O número de mortes decorrentes do novo coronavírus (covid-19) totalizou 941, segundo atualização divulgada pelo Ministério da Saúde hoje (9). O resultado marca um aumento de 17% em relação a ontem, quando foram registrados 800 óbitos.

São Paulo concentra o maior número, com mais da metade do número de mortes (495). O estado é seguido por Rio de Janeiro (122), Pernambuco (56), Ceará (55) e Amazonas (40).

Além disso, foram registradas mortes no Paraná (22), Bahia (19), Santa Catarina (17), Minas Gerais (15), Distrito Federal (13), Maranhão (12), Rio Grande do Sul (12), Rio Grande do Norte (11), Goiás (7), Pará (7), Paraíba (7), Espírito Santo (6), Piauí (6), Sergipe (4), Alagoas (3), Mato Grosso do Sul (2), Amapá (2), Acre (2), Mato Grosso (2), Rondônia (2) e Roraima (1).

Já o total de casos confirmados subiu para 17.857. O número representa um crescimento de 12% em relação a ontem, quando o balanço do Ministério da Saúde marcou 15.927.

No total foram 141 novas mortes entre ontem e hoje, um novo recorde. Ontem foram 133 novos óbitos, na terça haviam sido 114 e na segunda-feira, 67. No tocante ao perfil, 41% das vítimas fatais eram mulheres e 59% eram homens.

Quanto à idade, 77% tinham menos de 60 anos. Na semana passada, eram 90%. Já em relação às complicações associadas à morte, 336 dos pacientes tinham alguma cardiopatia, 240 diabetes, 82 apresentavam alguma pneumopatia e 55 apresentavam alguma condição neurológica.

As hospitalizações ficaram em 3.416. O total de pessoas internadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) totalizam 31.451. Deste total, 26.644 mil pessoas internadas com essas síndromes ainda estão em investigação.

fonte ebc

Continue Lendo

Brasil

Quando posso sacar o auxílio emergencial?

Redação

Publicado

em

Por

O auxílio emergencial aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pela Presidência da República é um benefício de R$ 600 para garantir uma renda mínima aos brasileiros em situação mais vulnerável durante a pandemia do Covid-19 (novo coronavírus), já que muitas atividades econômicas foram gravemente afetadas pela crise.

Quem tem direito ao benefício?
As pessoas inscritas no Programa Bolsa Família, aquelas que fazem parte do cadastro de Microempreendedores Individuais (MEI), os contribuintes individuais do INSS, as pessoas inscritas no Cadastro Único até o último dia 20 de março e os informais que não fazem parte de nenhum cadastro do Governo Federal estão aptos a receber o benefício. A pessoa também precisa ter mais de 18 anos, ser de família com renda mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135), além de não ter tido rendimentos tributáveis, em 2018, acima de R$ 28.559,70.

Sou beneficiário do Bolsa Família. Posso receber o auxílio emergencial?
Sim, caso o auxílio emergencial seja mais vantajoso que o valor recebido no programa Bolsa Família. Como os integrantes do Bolsa Família já estão no Cadastro Único, não será necessário pedir a alteração do benefício. O pagamento será efetuado no valor mais vantajoso, ou seja, no mínimo R$ 600, automaticamente.

Como deve proceder quem não tem Cadastro Único no Governo Federal?
A pessoa que se encaixa no perfil para receber o auxílio emergencial e não estiver no Cadastro Único deverá fazer uma autodeclaração por meio do aplicativo, em versão para Android ou IOS, ou pelo site, todos disponibilizados pela Caixa Econômica Federal. O aplicativo e o site permitem que o Ministério da Cidadania e a Caixa Econômica Federal identifiquem os trabalhadores informais, os microempreendedores individuais (MEI) e os contribuintes individuais do INSS que se enquadram na lei e têm direito ao pagamento emergencial, mas não estão no Cadastro Único.

E quem está no Cadastro Único, mas não integra o Bolsa Família?
Quem está no Cadastro Único e se enquadra no perfil para receber o auxílio emergencial, mas não recebe Bolsa Família, terá um calendário próprio de recebimento do benefício de R$ 600. Essas pessoas não vão necessitar baixar nem se cadastrar no aplicativo. Elas estão identificadas pelo Governo Federal e receberão o valor automaticamente.

Quantas pessoas podem ser beneficiadas por família?
No máximo duas pessoas por família podem receber o auxílio emergencial de R$ 600. Já os pais ou mães que são responsáveis sozinhos por suas famílias têm direito a receber o benefício em dobro, ou seja, R$ 1.200.

Como devem proceder os microempreendedores individuais (MEI)?
Devem baixar o aplicativo criado pela Caixa e preencher os dados para cadastramento e posterior pagamento do auxílio de R$ 600.

Quando posso sacar o benefício?
Quem é beneficiário do Bolsa Família receberá o pagamento conforme o calendário normal do programa. Os trabalhadores informais, MEIs, contribuintes individuais do INSS e aqueles que estão no Cadastro Único do Governo Federal receberão duas parcelas em abril, a primeira até o dia 14, e a segunda entre os dias 27 e 30, conforme o mês de aniversário. Dia 27 quem faz aniversários nos três primeiros meses do ano e assim por diante. A terceira e última parcela será quitada a partir do dia 26 de maio, com a mesma escala de abril.

O benefício pode ser solicitado por meio do Site oficial ou aplicativos para Smartphone, Confira os links:

Continue Lendo

Brasil

Governo libera saques do FGTS a partir de 15 de junho

Redação

Publicado

em

Por

O governo Federal publicou uma Medida Provisória (MP), na noite desta terça-feira (7), que libera saque de R$ 1.045 de contas ativas e inativas do FGTS a partir de 15 de junho e até 31 de dezembro.

A medida agora segue para aprovação pelo Congresso, o que deve ser rápido devido à pandemia do Coronavírus.

A Caixa Econômica Federal (CEF) ficará responsável pelo cronograma de saques.

Quem tiver mais de uma conta vinculada ao FGTS deverá fazer o saque na seguinte ordem: contas vinculadas relativas a contratos de trabalho extintos, com início pela conta que tiver o menor saldo;
demais contas vinculadas, com início pela conta que tiver o menor saldo.

PIS-Pasep

A MP ainda extingue Fundo PIS-Pasep – que não recebe mais recursos. O patrimônio acumulado nas contas dos participantes do Fundo PIS-Pasep fica preservado. O saldo dos programas se vinculará ao FTGS.

Continue Lendo