Connect with us
Publicidade

Brasil

Governo quer implantar 216 escolas cívico-militares até 2023

Portal Hortolândia

Publicado

em

redução da violência no ambiente escolar e mais disciplina dos estudantes em sala de aula são apontados como pontos positivos por pais e estudantes do Centro Educacional 01, da Região Administrativa da Estrutural (DF), que no início deste ano adotou o modelo de gestão compartilhada entre civis e militares.

Antes da mudança, a costureira Alcione Pereira dos Santos, cogitava trocar a filha de escola. Com o modelo cívico-militar, ela desistiu da ideia. “Antes de ter o projeto eu estava pensando em tirar ela porque estava meio complicada essa escola aqui, mas aí quando falaram que ia ter, eu disse, não, vamos deixar”, afirmou.

O estudante do 7° ano do ensino fundamental, José Almir, de 13 anos, estuda no centro de ensino há quatro anos e hoje é comandante do batalhão de alunos. “Antes tinha briga demais, os alunos ficavam muito tempo fora da sala de aula e agora não ficam mais”, contou.

Ampliar o número de escolas nesse modelo está entre os objetivos do Governo Federal. Nesta quinta-feira (05), o presidente da República, Jair Bolsonaro, lançou o Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares. A meta é implantar o modelo de gestão compartilhada entre civis e militares em 216 escolas até 2023. A proposta do Ministério da Educação é que, a cada ano, 54 escolas passem a funcionar com esse modelo.

O formato abrange três áreas: a didático-pedagógica para melhorar o processo de ensino-aprendizagem preservando as atribuições exclusivas dos docentes; a educacional, que pretende fortalecer os valores humanos, éticos e morais; e a administrativa, para aprimorar a infraestrutura e a organização da escola. Na prática, os militares atuam como monitores para auxiliar na gestão educacional e a área didático-pedagógica fica por conta dos civis.

O tenente da Polícia Militar do Distrito Federal e coordenador disciplinar do Centro Educacional 01 da Estrutural, Araújo Filho, disse que os militares trabalham com os estudantes a parte disciplinar, que reflete em melhores condições para o aprendizado.

“O que percebemos hoje é que os alunos não tinham muita disciplina e isso prejudicava na sala de aula. Os professores não conseguiam dar o conteúdo normalmente porque tinham que tratar tanto da questão pedagógica quanto disciplinar. Hoje, os militares dão essa ajuda aos professores”, explicou o tenente.

O vice-diretor da escola, Jailton Dantas, está na unidade de ensino há três anos e conta que os resultados da gestão compartilhada já são sentidos em sala de aula. Segundo ele, há mais respeito aos professores e o ambiente está mais tranquilo.

“Você vê alunos que eram muito agitados e hoje são chefes de turma, monitores. Alunos que antes nos causavam problemas pela agitação deles, hoje já conseguem controlar alunos menores. Não é a militarização, aqui não tem militarização, aqui é gestão compartilhada”, disse.

Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares

A implementação da gestão compartilhada entre civis e militares depende da adesão voluntária de estados, municípios e do Distrito Federal.

Os 26 estados e o Distrito Federal têm de 6 a 27 de setembro para indicar ao Ministério da Educação duas escolas que poderão receber o projeto em formato piloto já no primeiro semestre de 2020. Os colégios devem ter de 500 a 1 mil alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e/ou do ensino médio.

Serão investidos R$ 54 milhões por ano, ou seja, R$ 1 milhão por escola. Desse montante sairá o pagamento dos militares e a verba para os governos que aderirem ao programa.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Brasil

Caixa deposita nova parcela do auxilio emergencial nesta sexta

Redação

Publicado

em

Por

A Caixa Econômica Federal deposita nesta sexta-fiera(18) uma nova parcela do auxílio evergencial de R$ 600 para nascidos em junho, não inscritos no bolsa família.

Também é liberado o saque da 6ª parcela, no valor de R$ 300, os inscritos no Bolsa Família que têm o NIS (Número de Identificação Social) terminado em 2.

AUXÍLIO EMERGENCIAL

O auxílio emergencial de R$ 600, também chamado de coronavoucher, foi criado em abril de 2020 para ajudar trabalhadores sem carteira assinada, autônomos, MEIs e desempregados durante a crise gerada pela pandemia do coronavírus.

Cada pessoa que tiver direito deve receber cinco parcelas de R$ 600. A mulher que sustenta o lar sozinha tem direito a cinco parcelas de R$ 1.200. Cada família pode ter, no máximo, duas pessoas beneficiadas, com o total de até R$ 1.800 por parcela.

O período para pedir o auxílio por meio do site ou do aplicativo Caixa acabou em 2 de julho. O processo de cadastro e os pagamentos têm enfrentado problemas e gerado muitas reclamações entre a população.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Brasil

Lotofácil da Independência: paga mais de 2 milhões para 50 apostadores

Portal Hortolândia

Publicado

em

Na noite de sábado (12), foi sorteado em São Paulo, o prêmio da Lotofácil da Independência e será distribuído entre 50 apostadores que acertaram os 15 números. Cada um leva R$ 2.499.998,20.

Os números sorteados foram: 03, 22, 09, 14, 15, 17, 19, 10, 06, 23, 05, 12, 25, 02.

A Caixa também informou que 8.408 apostas acertaram 14 números e garantiram R$ 942,83. Outras 246.828 apostas acertaram 13 números e ficaram com R$ 25,00.

Outras 2.702.658 apostas acertaram 12 números e receberão R$ 10,00 de prêmio. E quem acertou 11 números (1.3506.290 apostas) também não ficou no prejuízo e ficou com R$ 5,00.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Brasil

Contran proíbe radar oculto a partir de novembro

Redação

Publicado

em

Por

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) alterou as regras e os requisitos técnicos para a fiscalização eletrônica de velocidade em vias públicas, passando a proibir os radares ocultos. A Resolução (798/2020) foi publicada nesta quinta-feira(10).

De acordo com a resolução, os radares do tipo fixo não poderão mais “ser afixados em árvores, marquises, passarelas, postes de energia elétrica ou qualquer outra obra de engenharia, de modo velado ou não ostensivo”.

A resolução determina, ainda, que a localização dos radares fixos e portáteis seja divulgada pelos órgãos de fiscalização de trânsito nos respectivos sites antes antes de entrarem em operação.

As mudanças entram em vigor no próximo dia 1º de novembro para novos equipamentos ou radares já em operação instalados em local diferente após essa data; já os demais terão de ser adequados ou substituídos até 1º de novembro de 2021.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares