Connect with us

Mundo

Tipo de sangue e genes estão ligados à covid-19 grave, mostra estudo

Portal Hortolândia

Publicado

em

Segundo pesquisadores europeus que buscam mais pistas para explicar por que a covid-19 atinge algumas pessoas tão mais duramente que outras, o tipo sanguíneo de uma pessoa e outros fatores genéticos podem ter ligação com a gravidade de uma infecção pelo novo coronavírus.

As descobertas, publicadas no periódico científico The New England Journal of Medicine na quarta-feira (17), levam a crer que pessoas com sangue tipo A correm risco maior de desenvolver sintomas mais intensos quando infectadas pelo novo coronavírus.

No auge da epidemia na Europa, pesquisadores analisaram os genes de mais de 4 mil pessoas em busca de variações que são comuns naqueles que foram infectados pelo vírus e desenvolveram casos graves de covid-19.

Uma série de variantes em genes que estão envolvidos nas reações imunológicas são mais comuns em pessoas com casos graves de covid-19, descobriram os cientistas. Estes genes também estão envolvidos com uma proteína de superfície celular chamada ACE2, que o coronavírus usa para ter acesso às células do corpo e infectá-las.

Os pesquisadores, liderados pelos médicos Andre Franke, da Universidade Christian-Albrecht de Kiel, na Alemanha, e Tom Karlsen, do Hospital Universidade de Oslo, na Noruega, também descobriram uma relação entre a gravidade da covid-19 e o tipo sanguíneo. O risco de casos graves de covid-19 é 45% maior para pessoas com sangue tipo A do que pessoas com outros tipos sanguíneos, e parece ser 35% menor para pessoas com sangue tipo O.

“As descobertas oferecem pistas específicas sobre os processos de doenças que podem acontecer na covid-19 grave”, disse Karlsen à Reuters por e-mail, observando que pesquisas adicionais são necessárias antes de as informações se tornarem úteis.

“A esperança é que esta e outras descobertas apontem o caminho para uma compreensão mais abrangente da biologia da covid-19”, escreveu Francis Collins, diretor dos institutos nacionais de Saúde dos Estados Unidos e especialista em genética, em seu blog nessa quinta-feira (18).

“Elas também sugerem que um exame genético e o tipo sanguíneo de uma pessoa podem fornecer ferramentas úteis para identificar aqueles que podem correr mais risco de uma doença grave”.

Fonte: Agência Brasil

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Mundo

Brasil é o segundo pais do mundo com maior caso registrado de coronavírus

Redação

Publicado

em

Por

O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado neste domingo (24) informou 363.211 casos colocando o Brasil em segundo lugar com o maior número de casos confirmados da doença, atrás dos Estados Unidos.

Já o números de óbitos no pais é de 22.666. Nesta métrica, o Brasil está em sexto lugar.

O número de recuperados informado é de 149.911 deixando o Brasil em quarto lugar nesta métrica.

SITUAÇÃO EM 24/05/2020 – 19h
▶️ 363.211 diagnosticados com COVID-19
▶️ 190.634 em acompanhamento (52,5%)
▶️ 149.911 recuperados* (41,3%)
▶️ 22.666 óbitos (6,2%)
⏺️ 275 óbitos nos últimos 3 dias
⏺️ 3.544 óbitos em investigação
*estimativas sujeitas à revisão.

Fonte Ministério da Saúde e https://www.worldometers.info/coronavirus/

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Mundo

Trump barra brasileiros de entrar nos Estados Unidos

Redação

Publicado

em

Por

O presidente americano Donald Trump proibiu a entrada de brasileiros nos Estados Unidos para evitar a entrada de contaminados com o novo coronavírus. A medida também vale para pessoas que estiveram no Brasil a pelo menos 14 dias antes de tentar entrar em EUA. No início da Pandemia, Trumpa havia barrados pessoas dos países como China e da Europa, que eram o epicentro da pandemia na época.

Trump argumenta que sua decisão visa a proteger os americanos: “Não quero que as pessoas venham aqui e infectem o nosso povo”, explicou esta semana. Em outras ocasiões, deixou claro a preocupação com o avanço da pandemia no Brasil: “Eu odeio dizer, mas o Brasil está muito alto, o gráfico está muito, muito alto. Lá em cima, quase vertical. O presidente do Brasil é realmente um bom amigo meu, um ótimo homem, mas eles estão vivendo um momento muito difícil.”

As restrições foram anunciadas neste domingo(24) pela Casa Branca e não se aplica aos cidadãos americanos ou aos que tenham residência permanente no país.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Mundo

Israel anuncia descoberta de anticorpo para o coronavírus

Portal Hortolândia

Publicado

em

O Instituto de Israel para a Investigação Biotecnológica, do Ministério da Defesa, anunciou que desenvolveu um anticorpo para o coronavírus e que prepara a patente para depois entrar em contato com empresas farmacêuticas, com o objetivo de produzir em escala comercial. 

Em comunicado, o instituto assegura que o anticorpo desenvolvido ataca e neutraliza o vírus nas pessoas doentes. 

“De acordo com os pesquisadores, liderados pelo professor Shmuel Shapiro, a fase de desenvolvimento do anticorpo foi concluída”, acrescenta a nota.

O ministro da Defesa de Israel, Naftali Benet, visitou o laboratório do instituto em Nezz Ziona, ao sul de Tel Aviv, onde tomou conhecimento da pesquisa. Ele afirmou que o “anticorpo ataca o vírus de forma monoclonal” qualificando o trabalho desenvolvido como “grande conquista”.

“Estou orgulhoso do pessoal do Instituto de Biotecnologia por esse avanço. A criatividade e o pensamento judaico atingiram grande resultado”, disse o ministro na nota. O texto não especifica se foram realizados testes em seres humanos.

Altos cargos do setor da defesa e da segurança israelita disseram que a descoberta é a “primeia desse tipo em nível mundial”.  

De acordo com a publicação digital Times of Israel, no mundo há cerca de uma centena de equipes de investigação à procura de uma vacina para o novo coronavírus, que provocou a pandemia, sendo que cerca de uma dezena estão, neste momento, em fase de teste em seres humanos.

Especialistas avisaram, em março, que o processo após o desenvolvimento de uma vacina em laboratório pode demorar pelo menos 18 meses.   

O Instituto para a Investigação e Biotecnologia de Israel dedica-se, entre outras atividades, a investigar armas químicas, procurando antídotos contra novas substâncias.

Em março, o jornal Haaretz publicou que o centro tinha conseguido avançar nas investigações sobre a vacina, tendo o Ministério da Defesa desmentido a informação.

Em nível global, segundo balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 250 mil mortes e infetou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

fonte ebc

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Populares