Connect with us

Nossa Cidade

Após ampliação, Centro de Atendimento à Mulher de Hortolândia terá Patrulha Maria da Penha

Prefeitura

Publicado

em

Uma boa notícia para Hortolândia: o CRAM (Centro de Referência e Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica) “Débora Regina Leme dos Santos” será ampliado, ainda neste ano. O espaço, que chega ao terceiro ano de existência, ganhará novas salas para atendimento multiprofissional e contará com a Patrulha Maria da Penha, com viatura específica, sala de monitoramento e aplicativo a ser acionado para evitar novos casos de violência. A ampliação foi um dos destaques no debate realizado, nesta sexta-feira (06/03), na sede do órgão, no Jardim das Paineiras, durante o evento “Celebrando as alegrias de ser mulher”, que comemora o Dia Internacional da Mulher. O vice-prefeito e secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Nazareno Zezé Gomes, abriu os trabalhos, representando o prefeito Angelo Perugini.

Cerca de 70 pessoas, a maioria mulheres, participaram do evento, dentre elas a presidente do CMDM (Conselho Municipal dos Direitos da Mulher) e secretária-adjunta de Segurança, Adriana Carvalho; a secretária-adjunta de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, Teresinha Santos; e a professora Diva Leme Batista, mãe da estudante Débora, a vítima de violência que dá nome ao CRAM-Hortolândia.    

Casa da Mulher Brasileira

Vinculado ao Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres, da Secretaria de Governo, até meados de 2019, o CRAM dividia espaço com outros setores da Prefeitura. Após reforma, concluída em junho, passou a priorizar somente o atendimento às mulheres. Segundo a coordenadora, Josefa Teixeira, o órgão atende cerca de 50 casos por mês e oferece atendimento multiprofissional a vítimas de violência doméstica. Disponibiliza orientação jurídica, bem como atendimento e acompanhamento por assistentes sociais, encaminhamento psicológico a unidades da rede municipal e acolhimento às vítimas, acompanhando o traslado a delegacias para registrar BO (Boletim de Ocorrência), ao Hospital Mário Covas e a UPAs-24h (Unidades de Pronto Atendimento) e ao IML (Instituto Médico Legal). Oferece também orientação e encaminhamento para os serviços de referência da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, dentre outros.

Com a nova reforma, para ampliação, o espaço seguirá o padrão da chamada “Casa da Mulher Brasileira”, do programa “Mulher, Viver sem violência”, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O convênio, assinado no final de 2019, já tem projeto técnico do prédio em elaboração pela Secretaria de Obras. A previsão é que, após aprovação do governo federal, as obras tenham início no segundo semestre de 2020. Os recursos, da ordem de R$ 1 milhão, são provenientes de emenda parlamentar da então deputada federal Ana Perugini.

Segundo o diretor do Departamento de Direitos Humanos, Amarantino Jesus de Oliveira, o Tino Sampaio, a ampliação inclui a construção de novas salas de atendimento, recepção, brinquedoteca, berçário, abrigo de passagem (48horas), sala técnica, sala de monitoramento e sala multiúso. O recurso servirá também para aquisição de novo mobiliário e equipamentos, bem como para a compra de uma viatura equipada para a implantação da Patrulha Maria da Penha.

“A Patrulha Maria da Penha terá um papel fundamental no monitoramento dos casos com medidas protetivas, encaminhados pelo Judiciário ao serviço. Ela será responsável pelo atendimento prioritário, de acordo com os níveis de classificação de risco, fará visitas agendadas e ronda nas proximidades das casas das vítimas e estará conectada à central de monitoramento instalada no CRAM. O monitoramento será feito pela GM (Guarda Municipal) da Secretaria de Segurança Pública Municipal, que contará com capacitação para toda a equipe. O serviço pretende estabelecer parceria com o Poder Judiciário do Município para a oferta de formação às equipes envolvidas”, afirmou o diretor.

“São estas conquistas que queremos comemorar. Celebrar esse momento, numa data tão representativa como o Dia Internacional da Mulher, amplia exponencialmente a importância destes serviços e deste espaço, pois nos dá a oportunidade de refletir sobre as políticas públicas para o setor, buscar meios de desenvolver outras formas de proteção à mulher e prevenir o feminicídio no município”, ressalta a coordenadora do CRAM, Josefa Teixeira. 

De acordo com Tino Sampaio, “com a implantação do padrão Casa da Mulher Brasileira no CRAM, ampliaremos significativamente o alcance do serviço, pois passaremos a abrigar temporariamente as vítimas, monitorar os casos com medida protetiva e ainda oferecer espaço acolhedor, com uma estrutura desenvolvida para a mulher de Hortolândia e da região, se sentir acolhida, protegida, empoderada e sobretudo, não se sentir só no momento em que está fragilizada”.

Mesa de debates

A mesa de debates reuniu mulheres com formação, atuação e experiência bem diversas. Entre as convidadas estavam a advogada Thaís Cremasco, fundadora do grupo “Mulheres pela Justiça”; a empresária Elaine Santos, formada em ciências da computação; e Graciana Martins, graduada em mídias digitais e fundadora da TaxiFly uma plataforma digital de aviação executiva.

Para Thaís Cremasco, as políticas públicas para a mulher em vigor no Brasil são importantes. “Todas as políticas públicas que vêm acontecendo no sentido de proteger as mulheres de fato funcionam. A mulher precisa denunciar a acreditar que ela vai ter proteção. Na verdade, essa crença de que o homem vai sair sempre ileso, que não vai ser punido, é mais uma forma de punir a mulher, de que ela aceite as agressões acreditando que nada vai acontecer com aquele agressor e isso é uma mentira. Temos inúmeros serviços, tanto na Prefeitura de Hortolândia, quanto na de Campinas e nas cidade próximas, que acolhem essa mulher de forma eficaz e protegem a vida dessa mulher e de seus filhos. A mulher precisa denunciar, sem ter medo que isso vai dar certo ou não vai dar certo. O único caminho para a mulher se salvar de um relacionamento abusivo e de um feminicídio é denunciando e procurando ajuda”, orienta a advogada.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Hortolândia confirma mais duas mortes por coronavírus

Portal Hortolândia

Publicado

em

A Prefeitura de Hortolândia confirmou duas morte por Covid19. Um paciente era um homem de 80 anos,que foi internado na Unidade Respiratória Nova Hortolândia no dia 26/05, mesma data em que foi colhido o exame para detectar o Coronavírus. Transferido para o Hospital Estadual de Sumaré no dia 28/05.O falecimento ocorreu no dia 01/06 e o resultado do exame atestando positivo para Covid-19 foi recebido hoje,05/06.

A outra paciente era uma mulher de 59 anos,que foi internada na Unidade Respiratória Nova Hortolândia no dia 27/05 e teve seu exame colhido no mesmo dia. O falecimento também ocorreu no dia 27/05,mas o resultado do exame atestando positivo para Covid-19 foi recebido hoje, 05/06.

A partir de 17/05, os casos de síndrome gripal sem coleta de exames estão excluídos dos boletins diários. Somente constarão no relatório, os casos em que são colhidos exames para diagnosticar pacientes contaminados pelo Coronavírus.

BOLETIM – CORONAVÍRUS (COVID-19) – HORTOLÂNDIA – 05/06

Casos notificados: 695
Pacientes em investigação: 95
– Em Isolamento domiciliar aguardando exame: 75
– Em Internação na Unidade Respiratória – UPA Nova Hortolândia: 14
– Em Internação hospitalar fora do município: 6 (6 em UTI)

Casos confirmados: 181
– 13 pacientes em isolamento domiciliar
– 0 em Internação no Unidade Respiratória – UPA Nova Hortolândia (Em enfermaria)
– 0 em Internação no Hospital Municipal Mário Covas (Em enfermaria)
– 6 pacientes em internação hospitalar fora do município (4 em UTI / 2 em enfermaria )
– 144 pacientes já receberam alta / curados
– 18 Óbitos

Casos descartados: 419

*Todos os casos em investigação encontram-se em isolamento e acompanhados pela Secretaria Municipal de Saúde
**Comunicação de casos confirmados mediante informação da

Continue Lendo

Nossa Cidade

Médica é atacada em redes sociais e prefeitura emite nota

Portal Hortolândia

Publicado

em

Em nota emitida na data de ontem (04) a prefeitura de Hortolândia lamentou os ataques destinados a um profissional da saúde que foi acusada de errar procedimentos. A nota dizia: “Entendemos que a dor da perda em um momento desses é incomensurável, mas a dor dos profissionais de saúde que trabalham arduamente para salvar vidas, também é. É muito triste ver que uma médica que, com vocação e habilidades testadas e comprovadas por anos de trabalho. Seja exposta em redes sociais, sem direito a defesa”. 

A mensagem também explica que o caso já passou por três comissões, a de Ética médica; de Revisão de Prontuários e a de Óbitos. O relatório oficial, no qual está detalhado todo ocorrido, aponta que não houve negligência, imperícia ou imprudência da parte de nenhum profissional.

A nota ainda relata que um médico do CAISM (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher) orientou a gestante a procurar uma maternidade para realizar apenas um acompanhamento. No dia 28 de maio (quinta-feira), ela foi atendida conforme indica os protocolos do Ministério da Saúde.

Na consulta foi indicado que a gestante retorna-se no dia 01 de maio (segunda-feira), ou que se ela notasse ausência de movimentação do bebê, por meio do mobiliograma (teste que registra movimentos fetais), o retorno deveria ser imediato. 

Na segunda feira (01), a mulher retornou até a maternidade e indagada sobre o bebê, alegou que não sentia a movimentação deste desde o dia 30 (sábado), porém não procurou a maternidade. De imediato foi realizado um exame de Cardiotocografia (avalia o bem-estar  fetal)  e uma Ultrassonografia. Nos exames, foi verificado que o bebê não tinha mais vitalidade. 

A nota ainda repudiou a tentativa de se fazer política com o caso e lamentou a perda.

Por: Pedro Henrique

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura distribui mais de 30 mil cestas de alimentos para auxiliar população vulnerável, durante a pandemia do Coronavírus

Prefeitura

Publicado

em

Em Hortolândia, desde o início da pandemia do Coronavírus, o trabalho de assistência à população em situação de vulnerabilidade social, realizado pela Prefeitura e parceiros, não para. De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, até esta semana, já foram distribuídas 30.898 cestas básicas, por meio da parceria entre a Administração Municipal e o Governo do Estado. 

Além disso, 203.819 máscaras para proteção individual, 540 pacotes de fraldas e 477 latas de fórmula infantil e suplementos alimentares também foram entregues à camada da população que mais precisa.  Os materiais foram distribuídos, nos quatro CRASs (Centros de Referência de Assistência Social) da cidade e o trabalho continua a ser feito, por tempo indeterminado. 

“A população que mais precisa continuará a ser assistida pela Administração Municipal. Equipes da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social trabalham, diariamente, todos os dias da semana na realização de serviços em prol da população. As ações contribuem para cuidar das pessoas nesta fase, certamente a mais dificíl da vida da maioria das pessoas. Portanto, intensficaremos as doações e, quem precisar da ajuda, vai obter os materiais que precisa”, explica o  Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

A triagem para a retirada de todos os produtos pode ser agendada nos CRASs, das 9h às 15h, de segunda a sexta-feira, por telefone, WhatsApp ou e-mail (veja abaixo). A presença na unidade de assistência é apenas para buscar os materiais, sem aglomeração, para evitar a disseminação do Coronavírus e, com isso, preservar a vida da população. 

Para solicitar os produtos emergenciais, o morador deve entrar em contato com o CRAS da região em que mora. A cidade conta atualmente com quatro unidades. Eles estão localizados na Região Central e nos bairros Jd. Amanda, Jd. Novo Ângulo e Jd. Primavera.Centros de Referência de Assistência Social

Para solicitar os produtos emergenciais, o morador deve entrar em contato com o CRAS da região em que mora. A cidade conta atualmente com quatro unidades. Eles estão localizados na Região Central e nos bairros Jd. Amanda, Jd. Novo Ângulo e Jd. Primavera.

Veja abaixo os critérios estabelecidos para a retirada das máscaras, cestas básicas e outros materiais:

O artigo 6º da resolução 04 do Conselho Municipal de Assistência Social de Hortolândia aponta que os Benefícios Eventuais serão concedidos para residentes em Hortolândia, de acordo com nível de prioridade, sendo:

I. Indivíduo e/ou família, desprovida de qualquer renda ou benefício (Federal, Estadual ou Municipal).

II. Indivíduo e/ou família, com renda mensal per capta de R$ 0, 00 a R$ 89,00 (extrema pobreza).

III. Indivíduo e/ou família, com renda mensal per capta de R$ 89,00 a R$178,00 (pobreza).

IV. Indivíduo e/ou família, com renda mensal per capta de até 1/4 de salário mínimo.

V. Famílias atingidas por situação de calamidade pública

VI. Demais complexidades a serem observadas pela equipe técnica. 

Confira abaixo os canais de contato com os CRASs para agendamento e esclarecimento de dúvidas:

Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social: 3965-1400 ramais 8204, 8210 e 8220; 3965-1438; 99976-4011 (WhatsApp)

CRAS Amanda: 3909-3642 / 3909-2140 /WhatsApp: 99976-1602

CRAS Central: 3865-1133 / 3897-2519 /WhatsApp: 99817-0620

CRAS Novo Ângulo: 3845-7629 / 3809-1945 / WhatsApp: 99910-9085

CRAS Primavera: 3909-2292 / 3909-0627 /WhatsApp: 99976-1874

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA