Connect with us
Publicidade

Nossa Cidade

Banco de Alimentos faz 12 anos e celebra aumento de campanhas de arrecadação

Prefeitura

Publicado

em

 

O Banco de Alimentos de Hortolândia chega ao 12o aniversário celebrando o total de 43,5 mil munícipes beneficiados, cerca de 3,5 mil toneladas de alimentos doados, entre 2006 e 2018, e um fato inédito: a força das campanhas de solidariedade. Afinal, em 2018, 13% das 208,5 toneladas de alimentos obtidas no ano foram arrecadadas por meio de mobilizações. Outro ponto de destaque é a promoção de 33 oficinas culinárias, voltadas à geração de renda, que beneficiaram 550 pessoas inscritas, somente no ano passado. Os números foram apresentados, na tarde desta terça-feira (07/05), durante cerimônia, no Parque Odimar, que contou com a presença de autoridades municipais, entidades beneficiadas, doadores e munícipes assistidos.

Publicidade

Para este ano, a proposta é incentivar novas campanhas e buscar doadores entre empresas da região. Quem quiser se unir nesta corrente solidária pode entrar em contato com o Banco de Alimentos pelo e-mail

\n

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


ou pelo telefone 3845-6630. Segundo a diretora de Segurança Alimentar, Alessandra Sarto, um diferencial do órgão é a possibilidade de retirar doações na empresa parceira, uma vez que a equipe conta com frota própria para esta finalidade. Outro desafio é realizar a modernização do espaço físico e de equipamentos do Banco de Alimentos, com recursos federais. Projeto de lei neste sentido já foi enviado à Câmara Municipal.

Cerca de 150 pessoas participaram da festa, dentre elas os secretários José Nazareno Zezé Gomes  (Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), que representou o prefeito Angelo Perugini; Sandra Fagundes Freire (Educação, Ciência e Tecnologia), Alessandra Amora Barchini (Cultura) e Joldemar Nunes Correa (Segurança). Também compareceram o presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Édson Efraim da Costa; o vereador Ulisses Gomes, de Sumaré; vereadores de Hortolândia e representantes das 28 entidades atendidas pelo Banco de Alimentos, da Etec-Hortolândia (Centro Paula Souza), do IFSH (Instituto Federal de São Paulo) e da empresa Vivo Sabor, responsável pela merenda escolar servida na rede municipal. 

Crianças do grupo Contato apresentaram número de dança logo na abertura do evento e o Quarteto Cultura Instrumental deu o tom festivo à cerimônia, ao tocar o tradicional “Parabéns”. O grupo integra a Escola de Música da Secretaria de Cultura.

Ao iniciar a prestação anual de contas a diretora de Segurança Alimentar, Alessandra Sarto, agradeceu a todos os parceiros do Banco, ressaltando, em 2018, a importância das mobilizações feitas por meio de trotes solidários dos estudantes da Etec-Hortolândia e do IFSP-Hortolândia, das arrecadações nas escolas da rede municipal, em eventos públicos da Administração e das edições da campanha Cidadão Solidário, dentre elas a do Rodeio 2018 e em supermercados com o valoroso apoio do Grupo de Escoteiros Parque da Mata. “Não existiria o Banco de Alimentos sem as entidades. São elas que fazem chegar às pessoas necessitadas os alimentos que passam pelo Banco. Neste evento, juntamos todas as pontas”, afirmou a gestora. Segundo ela, embora o total arrecadado em 2018 seja inferior ao coletado em 2017, que chegou a 300 toneladas/ano, o atual balanço é positivo, em razão das novas parcerias firmadas. “Vivemos um momento ruim no ano passado, econômica e socialmente, mas as pessoas se mobilizaram para ajudar a quem mais precisa. Nunca, na história do Banco tivemos um volume tão grande coletado em campanhas”, ressalta Alessandra. Segundo ela, o Banco de Alimentos de Hortolândia surgiu para combater o desperdício. “O excedente de produção, o produto que vai ser descartado por estar com data de validade próxima ao vencimento pode ser doado para alguém que precisa. O alimento é um direito do ser humano. Comer – e não só comer bem – não pode ser uma escolha. É um direito humano”, afirma ela.

De acordo com a entidade, o auxílio prestado pelo Banco de Alimentos não representa a totalidade que as pessoas assistidas precisam para se alimentar no mês, mas complementa as refeições básicas, permitindo que os beneficiados destinem recursos para outras ações importantes, tais como pagar contas de luz ou de água, comprar medicamentos, dentre outros.

Para a dona de casa Carlúcia Lima da Silva, de 32 anos, mãe de quatro filhos, moradora do Jd. Brasil e atendida pelo Projeto Crescer, a doação que chega via Banco de Alimentos é fundamental. “Recebo verduras, frutas, legumes, às vezes cesta básica. Ajuda bastante. Seria complicado sem esta ajuda”, explica. Com filhos de 2, 3, 8 e 12 anos e o marido sobrevivendo de “bicos” como pedreiro, a situação financeira da família é bastante apertada. Sem emprego e ainda sem perspectiva de curto prazo, Lílian Ronise Rocha, de 47 anos, moradora do Jd. São Jorge, também é grata ao auxílio que recebe via Igreja Presbiteriana Betânia. “Eu era transportadora escolar, mas agora estou sem trabalho. Este auxílio periódico, de frutas e legumes, está sendo muito importante enquanto busco voltar ao mercado de trabalho”, afirma.

“Há 12 anos não entendíamos o que seria o Banco de Alimentos de Hortolândia. Hoje, percebemos que se tornou absolutamente necessário para Hortolândia. É uma política pública de dividir e equacionar a situação de pobreza em nossa cidade e nossa região. Política pública que pensa nas famílias necessitadas e entidades sérias que fazem este trabalho. Quantas famílias de nossos alunos são beneficiadas pelo atendimento destas entidades? Só temos a agradecer ao Banco de Alimentos de Hortolândia e às entidades”, ressaltou a secretária Sandra Fagundes Freire.

Animado com o resultado obtido com as mobilizações em prol do Banco, o secretário Zezé Gomes lançou um desafio: “Vamos continuar esta batalha, nos unindo a todos os parceiros que sonham com um mundo melhor, uma Hortolândia melhor. O prefeito Angelo Perugini é incansável nesta luta pelas pessoas mais simples. Agora, vem o Rodeio 2019 e vamos lotar este Banco de Alimentos com a campanha Cidadão Solidário”, propôs. 

Campanha permanente de doação

Criado em 2007, por meio de convênio firmado com o então Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, o Banco de Alimentos de Hortolândia – Programa de Segurança Alimentar ajuda famílias em situação de vulnerabilidade social a complementar as refeições básicas diárias, por meio da doação de alimentos não perecíveis, verduras, frutas e legumes, beneficiando diretamente 3.500 pessoas de diferentes faixas etárias (crianças, jovens, adultos e idosos).

O Banco de Alimentos está aberto a doações da população e também de empresas. O programa recebe desde os alimentos básicos na culinária brasileira, como arroz, feijão, farinha de mandioca, macarrão, açúcar, óleo, leite em pó e outros itens não-perecíveis, como também frutas, verduras, legumes, pães, desde que estejam aptos ao consumo. Interessados em ajudar, sejam pessoas físicas, sejam pessoas jurídicas, podem procurar a sede do programa, na Rua Maria Catarina de Vasconcelos Pinheiro, 65, no Parque Odimar, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Dúvidas podem ser esclarecidas pelos telefones 3845-6630 e 3845-4920. 

Todos os alimentos repassados às entidades são obtidos via doação de empresas, pessoas físicas e com recursos do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar), do Ministério do Desenvolvimento Social.

O Banco de Alimentos em números, de 2006 a 2018:

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Nossa Cidade

Hortolândia apresenta nova queda de aglomeração de pessoas e perturbação do sossego neste final de semana

Portal Hortolândia

Publicado

em

Segundo a Prefeitura, o final de semana em Hortolândia apresentou o menor número de ocorrências ligadas à perturbação do sossego e aglomeração de pessoas do ano. Da noite de sexta-feira ao domingo (18 a 20/09), as equipes da Guarda Municipal e do Setor de Fiscalização da Prefeitura realizaram 14 atendimentos. Este foi o menor número de registros feitos pela Operação Saturação, desde o início da pandemia do Coronavírus. O trabalho acontece em todas as regiões da cidade e tem o objetivo de evitar aglomeração de pessoas e perturbação do sossego, além de fiscalizar o comércio para o funcionamento regular das atividades.

No entanto, de acordo com a Secretaria de Segurança, durante a operação deste final de semana, foi registrada uma aglomeração com aproximadamente 400 pessoas no Jardim Amanda. No local, foram aplicadas duas multas de perturbação do sossego. Também foram recolhidos um veículo e uma motocicleta. A GM intensificou o patrulhamento para evitar que o mesmo problema se repita nos jardins Nossa Senhora Auxiliadora e Boa Esperança.

Publicidade

“Desde janeiro, foram registradas 2.476 ocorrências ligadas à perturbação do sossego e aglomeração de pessoas. De março até agora, desde quando começou a pandemia do Coronavírus, foram 2.083 atendimentos”, explica a comandante da Guarda Municipal, Michele Cardena.

Hortolândia permanece na “fase amarela” do Plano São Paulo de reabertura gradual e consciente das atividades, do Governo Estadual. Deste modo, continua proibida a realização de festas clandestinas, com aglomerações, em espaços públicos e privados, além de ações que perturbem o sossego dos munícipes.

Como denunciar

O munícipe que flagrar estas situações pode denunciar os infratores. Eles podem ser levados à delegacia. Denúncias que caracterizem aglomeração de pessoas ou perturbação de sossego podem ser feitas à corporação, a qualquer hora do dia ou da noite, pelo telefone 153 ou 08000-111-580.

Os responsáveis por organizar festas clandestinas podem ser multados em até R$ 5.000,00, segundo as leis de perturbação do sossego. O local da confraternização poderá ser lacrado, alerta a Secretaria de Governo.

Orientação aos comércios

Desde o início da pandemia do Coronavírus, mais de 3,2 mil estabelecimentos comerciais foram fiscalizados e orientados, em todas as regiões da cidade, para o funcionamento correto, de acordo com as diretrizes do Código Sanitário do Estado de São Paulo. Os dados são da Secretaria de Segurança da Administração Municipal.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia comemora o Dia da Árvore com plantio de mudas na região do Jd. Novo Ângulo

Portal Hortolândia

Publicado

em

Mesmo com a pandemia do Coronavírus, o Dia da Árvore não passou em branco na cidade. Para comemorar a data, a Prefeitura de Hortolândia realizou, na manhã desta segunda-feira (21/09), o plantio de duas mudas de árvores, na Praça do Jd. Novo Ângulo.

A ação teve caráter simbólico para evitar aglomeração e a disseminação do vírus. Foram plantadas uma muda de Pau-brasil e uma de Lofântera. Participaram da ação agentes do Departamento de Educação Ambiental e dois moradores da região.

Publicidade

A muda de Pau-brasil foi doada pelo morador Raimundo Candido Neto. “Estou cultivando essa muda há algum tempo e meu sonho era plantá-la nessa praça. Eu me comprometo a acompanhar e cuidar do desenvolvimento da árvore”, contou o morador.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Densevolvimento Sustentável, com a ação simbólica desta segunda-feira, já foram plantadas na cidade, desde 2017, 68.387 mudas em diferentes regiões, dentre as quais Lagoa do Santa Clara, Jardim Santa Emília, entre outras.

Para a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento Oliveira, a comemoração do Dia da Árvore tem como objetivo principal a conscientização e a sensibilização sobre a importância do plantio e da preservação das árvores. “A Prefeitura tem como uma das metas prioritárias o plantio de 100 mil mudas no período de quatro anos, visando ampliar a cobertura vegetal da cidade e, com isso, proporcionar sombra, atração da fauna, proteção do solo, embelezamento, melhor qualidade do ar e, consequentemente, melhor qualidade de vida para toda população”, destaca Eliane.

A secretária salienta ainda que os plantios realizados pela Prefeitura são feitos com técnicas e espécies arbóreas adequadas que não trarão transtornos futuros, oferecendo harmonia entre a convivência urbana e a natureza. “Precisamos intensificar os plantios, principalmente nas calçadas da cidade. Vale lembrar que a árvore é um ser vivo que merece nosso respeito, cuidados e a esperança de sustentabilidade para as futuras gerações”, destaca Eliane.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Busca ativa casa a casa combate criadouros do Aedes aegypti em Hortolândia

Portal Hortolândia

Publicado

em

Em meio à pandemia do Coronavírus, a Prefeitura de Hortolândia se mantém vigilante no enfrentamento a outras doenças. Uma delas é a Dengue. Nesta semana, a UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde, realiza visitas a residências nas regiões do Remanso Campineiro, Jardim das Paineiras, Jardim Santana, Parque dos Pinheiros, Jardim Mirante, Jardim Santa Clara do Lago I e II, e Jardim Villagio Ghiraldelli para fazer busca ativa de focos de criadouros do mosquito Aedes aegypti, causador da Dengue.

Nas visitas, os agentes da UVZ orientam moradores, distribuem panfletos explicativos e fazem busca ativa de possíveis focos do mosquito. Constatada a existência de criadouros, eles são eliminados durante a própria visita. “Caso sejam encontradas larvas do Aedes aegypti, os agentes coletam amostras das larvas para identificação em laboratório”, explica o veterinário do órgão, Evandro Alves Cardoso.

Publicidade

A Prefeitura salienta que a população também deve fazer sua parte e colaborar na prevenção e no combate ao mosquito. Uma atividade útil é limpar a casa e, assim, eliminar possíveis focos de criadouros de larvas do Aedes aegypti, que, além da Dengue, também causa Zika e Chikungunya.

Para isso, basta fazer algumas tarefas simples, tais como manter tampados tonéis, barris e caixas d´água, colocar telas em ralos e mantê-los limpos, deixar garrafas com a boca virada para baixo e encher os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda.

Segundo a Secretaria de Saúde, 80% dos focos de Dengue estão nas casas. A UVZ salienta ainda que, com chegada do período de chuvas, a população deve reforçar esses cuidados.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares