Connect with us
Publicidade

Nossa Cidade

Educação Integral chega a mais seis escolas municipais

Prefeitura

Publicado

em

 

A partir de agora, a Educação Integral já é realidade em 21 das 28 escolas de ensino fundamental de Hortolândia. Nesta segunda-feira (29/04), mais seis novas Emefs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental) passaram a ser atendidas, proporcionando a outros 600 estudantes que permanecem o dia todo na escola atividades como dança, música e projetos de estudo e pesquisa, no contra turno das aulas regulares. Com isso, chega a 3.500 o número de alunos inscritos em ações extras, oferecidas em estações de vivência nestas unidades, que promovem a aprendizagem por meio do desenvolvimento da afetividade e sociabilidade. Além disso, graças à parceria com a sociedade civil, surgiram outras 400 vagas, totalizando até o momento 3.900 estudantes municipais beneficiados.

Publicidade

Até 2020, a meta é levar a Educação Integral a 6.000 estudantes da rede municipal. No dia 15 deste mês, coordenadores do programa reuniram-se, no auditório do CFPF (Centro de Formação dos Profissionais em Educação) “Paulo Freire”, no Remanso Campineiro, com seis gestores das novas escolas participantes e 20 agentes educacionais. Na última sexta-feira (26/04), educadores que atuarão na área musical passaram por formação preparatória.

“Esta nova etapa do programa é marcada pela ampliação do número de escolas de ensino fundamental atendidas e pela relação com a sociedade civil. Há também a ampliação das relações, mostrando que a educação integral é um compromisso da cidade e a Prefeitura envolve cada vez mais a sociedade civil e todas as secretarias do governo”, afirma a diretora de Educação Integral, Karin Lucas. Entre as novidades em implantação no programa neste semestre estão, além desta relação mais efetiva com a sociedade civil organizada, a realização de oficinas rotativas nas escolas participantes com artistas e artesãos locais voluntários e o desenvolvimento de projetos de qualidade de viva, alimentação saudável e meio ambiente do programa Viva Mais.

“Nas novas escolas, nosso foco é o atendimento dos alunos de 4º e 5º anos, pois é uma fase de conflitos por causa da adolescência. Por meio das atividades de cada estação de vivência, os alunos se tornam pessoas mais afetivas e sociáveis, além de se desenvolverem no aspecto pedagógico com mais facilidade”, destacou a coordenadora do programa.

“A ampliação no número de escolas beneficiadas pelo programa de Educação Integral representa um avanço significativo em todo o projeto educacional do município, porque, a cada ano, estamos incluindo mais crianças que ficam mais tempo na escola. Então, saímos de um período de cinco horas diárias para uma permanência de nove horas diárias. Mas a nossa maior preocupação é a qualidade dessa permanência das crianças na escola. Por isso que nós mudamos completamente o cardápio escolar, nessa gestão. É um cardápio, além de mais variado e de qualidade melhor, que oferece maior número de refeições. Estamos procurando investir também nos espaços das escolas, para que tenham ambientes mais adequados para a criança, porque ela não pode ter a mesma rotina que teria só no ensino regular. Temos também todo um trabalho com agentes educacionais, que são contratados para desenvolver atividades diferenciadas no contra turno. Esses agentes são pedagogos ou estudantes de Pedagogia, estudantes de Educação Física, dessas áreas afins. Eles fazem todo um trabalho de apoio escolar, atividades esportivas, atividades artísticas, orientações com relação à alimentação. Fazem todo um acompanhamento com as crianças para que elas tenham uma permanência na escola, que seja de muita aprendizagem e, acima de tudo, alegre; que tenha a capacidade de explorar o ambiente, de uma forma saudável também”, afirma a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Sandra Mara Fagundes Freire.

EDUCAÇÃO INTEGRAL

Criado pelo governo Angelo Perugini, em 2011, o Programa de Educação Integral foi retomado em 2017. A iniciativa oferece a alunos do Ensino Fundamental a oportunidade de participar de atividades culturais, esportivas, artísticas, de lazer e cidadania, no horário oposto ao do ensino regular, desenvolvendo-se em diferentes dimensões. Para isso, a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia promove nas escolas participantes estações de vivência em quatro áreas: linguagens artísticas; recreação e lazer; protagonismo juvenil; e orientação de estudos.

PIC

A ampliação do Programa de Educação Integral faz parte das ações do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), que prevê investimentos de cerca R$ 400 milhões para promover o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. Por meio do programa, a Prefeitura quer melhorar a prestação dos serviços públicos municipais em todas as áreas, em especial, na saúde, educação, segurança, mobilidade urbana e geração de emprego.

Programa Escola de Educação Integral: 

Escolas já participantes

1. EMEB Jd. Interlagos

2. EMEF Viva Mais

3. EMEF Patrícia Maria Capelato Basso

4. EMEF Dayla Cristina Souza de Amorim

5. EMEB Josias da Silva Macedo

6. EMEF Armelinda Espúrio da Silva

7. EMEF Dona Ana Bodini Januário

8. EMEF Jardim Primavera

9. EMEF João Calixto

10. EMEF José Roque de Moura

11. EMEF Nicolas Thiago dos Santos Lofrani

12. EMEF Profª Lilian Cristiane Martins de Araújo

13. EMEF Profª Maria Célia Cabral Amaral

14. EMEF Renato Costa Lima

15. EMEF Villagio Ghiraldelli

Novas escolas

16. EMEF Caio Fernandes Gomes Pereira

17. EMEF Tarsila do Amaral

18. EMEF Taquara Branca Agenor Miranda da Silva

19. EMEF Marleciene Priscila Presta Bonfim

20. EMEF Prof. Cláudio Roberto Marques

21. EMEF Helena Futava Takahashi

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Nossa Cidade

Dia Mundial sem carro reforça os impactos positivos do uso da bicicleta

Portal Hortolândia

Publicado

em

Trocar o carro pela bicicleta é uma alternativa que beneficia tanto a saúde dos ciclistas quanto o planeta, considerando que, de acordo com a pesquisa, realizada pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) em parceria com o Itaú, 3% de viagens com bicicleta já deixam de emitir 1% de dióxido de carbono (CO²) na atmosfera.

É para esse impacto que o Dia Mundial sem Carro, celebrado em 22 de setembro, busca chamar atenção. Criada em 1997 na França, a data foi adotada por milhares de países que realizam atividades que podem durar até uma semana com o objetivo de mostrar à população os efeitos nocivos que gases emitidos pelos veículos têm no meio ambiente.

Publicidade

Além disso, as inúmeras ‘bicicletadas’, como ficaram conhecidas as mobilizações que acontecem neste dia mundo afora, também têm o objetivo de evidenciar a dependência daqueles que utilizam o carro como meio de transporte todos os dias, mesmo para percorrer curtas distâncias.

Nos últimos anos, diversas cidades do país têm experimentado um aumento do debate sobre o uso das bicicletas e seus impactos no meio ambiente, na saúde e na economia, sobretudo considerando o esforço global para redução dos gases de efeito estufa.

Segundo Valter Barros, Cicloativista Hortolandense, membro da UCB/DF (União dos Ciclistas do Brasil), as bicicletas estão se tornando assunto em debates políticos e de mobilidade urbana. “Hoje as cidades mais bem colocadas no ranking de IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) realizaram algum tipo de investimento no sistema cicloviário, a cultura da bike veio para ficar, especialmente no pós-pandemia; um sistema cicloviário decente, viável e sustentável é sinônimo de qualidade de vida e saúde, todo candidato a gestor público deve ter consciência disso”. Explica Barros.

Barros ainda cita as dificuldades na implantação do sistema cicloviario no município de Hortolândia. “Somos privilegiados em ter uma cidade 100% ciclavel, nossa geografia contribui muito para isso, precisamos de vontade política e coragem para implantar o sistema e interligar com os demais modais; temos acompanhado algumas iniciativas, mas ainda são muito tímidas diante do grande desafio que temos, nosso sonho é ser referência na RMC em qualidade de vida”.

Barros também reforça que é essencial à parceria do governo municipal com as empresas privadas e grupos organizados de ciclismo para fortalecer a agenda da bicicleta, pois “uma vez que existe um diálogo consistente a cultura da bike ganha força e os demais setores da sociedade passam a se mobilizar ou fortalecer a mobilização, em outras vertentes, reforça a importância do investimento social privado em produção de conhecimento e apoio a projetos educacionais, culturais e de conscientização sobre a bicicleta”.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Coronavírus Hortolândia: 3896 casos confirmados, 3738 curados e 134 óbitos

Redação

Publicado

em

Por

O boletim sobre coronavírus divulgado pela Secretaria de Saúde de Hortolândia, nesta segunda-feira(21) mostra que o município teve 3896 casos confirmados, 3738 curados e 134 óbitos.

Casos confirmados: 09 pacientes internados em UTI’s fora do município; 04 em enfermaria fora do município; 0 no Hospital Municipal Mário Covas; 02 em internação na Unidade Respiratória do Nova Hortolândia; 09 em isolamento domiciliar.

Publicidade

Casos suspeitos: 04 casos internados em UTI’s fora do município; 03 em enfermaria fora do município; 0 caso no Hospital Municipal Mário Covas; 03 em internação na Unidade Respiratória do Nova Hortolândia; 267 em isolamento domiciliar.

3694 casos já foram descartados mediante resultado do exame de Covid-19.

A partir de 17/05, os casos de síndrome gripal sem coleta de exames estão excluídos dos boletins diários. Somente constarão no relatório, os casos em que são colhidos exames para diagnosticar pacientes contaminados pelo Coronavírus.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia apresenta nova queda de aglomeração de pessoas e perturbação do sossego neste final de semana

Portal Hortolândia

Publicado

em

Segundo a Prefeitura, o final de semana em Hortolândia apresentou o menor número de ocorrências ligadas à perturbação do sossego e aglomeração de pessoas do ano. Da noite de sexta-feira ao domingo (18 a 20/09), as equipes da Guarda Municipal e do Setor de Fiscalização da Prefeitura realizaram 14 atendimentos. Este foi o menor número de registros feitos pela Operação Saturação, desde o início da pandemia do Coronavírus. O trabalho acontece em todas as regiões da cidade e tem o objetivo de evitar aglomeração de pessoas e perturbação do sossego, além de fiscalizar o comércio para o funcionamento regular das atividades.

No entanto, de acordo com a Secretaria de Segurança, durante a operação deste final de semana, foi registrada uma aglomeração com aproximadamente 400 pessoas no Jardim Amanda. No local, foram aplicadas duas multas de perturbação do sossego. Também foram recolhidos um veículo e uma motocicleta. A GM intensificou o patrulhamento para evitar que o mesmo problema se repita nos jardins Nossa Senhora Auxiliadora e Boa Esperança.

Publicidade

“Desde janeiro, foram registradas 2.476 ocorrências ligadas à perturbação do sossego e aglomeração de pessoas. De março até agora, desde quando começou a pandemia do Coronavírus, foram 2.083 atendimentos”, explica a comandante da Guarda Municipal, Michele Cardena.

Hortolândia permanece na “fase amarela” do Plano São Paulo de reabertura gradual e consciente das atividades, do Governo Estadual. Deste modo, continua proibida a realização de festas clandestinas, com aglomerações, em espaços públicos e privados, além de ações que perturbem o sossego dos munícipes.

Como denunciar

O munícipe que flagrar estas situações pode denunciar os infratores. Eles podem ser levados à delegacia. Denúncias que caracterizem aglomeração de pessoas ou perturbação de sossego podem ser feitas à corporação, a qualquer hora do dia ou da noite, pelo telefone 153 ou 08000-111-580.

Os responsáveis por organizar festas clandestinas podem ser multados em até R$ 5.000,00, segundo as leis de perturbação do sossego. O local da confraternização poderá ser lacrado, alerta a Secretaria de Governo.

Orientação aos comércios

Desde o início da pandemia do Coronavírus, mais de 3,2 mil estabelecimentos comerciais foram fiscalizados e orientados, em todas as regiões da cidade, para o funcionamento correto, de acordo com as diretrizes do Código Sanitário do Estado de São Paulo. Os dados são da Secretaria de Segurança da Administração Municipal.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares