Connect with us
Publicidade

Nossa Cidade

Hortolândia firma parceria com Alemanha em projeto de sustentabilidade

Prefeitura

Publicado

em

 

Hortolândia é o único município paulista a participar do Projeto ANDUS (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável no Brasil), de cooperação técnica Brasil-Alemanha na área da sustentabilidade. A iniciativa, que envolve a Prefeitura de Hortolândia, é do Governo Federal, por meio do MCDI (Ministério das Cidades), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente e a Agência Alemã de Cooperação Técnica Internacional, a GIZ GmbH (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit). Na tarde desta quinta-feira (13/12), o prefeito Angelo Perugini firmou parceria de cooperação técnica internacional, durante evento de “Lançamento das Parcerias do Projeto ANDUS”, em Brasília. O secretário de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, Carlos Alberto Prataviera Júnior, acompanhou o prefeito.

A parceria proporcionará ao município transferência tecnológica, capacitação de servidores e ferramentas para a implementação do Plano Diretor, de modo a tornar Hortolândia cidade modelo de sustentabilidade, em sintonia com a Agenda 2030 e os ODSs (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (Organização das Nações Unidas), de acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica. Apenas seis municípios brasileiros participarão do projeto-piloto (veja abaixo).

“Esse projeto ambiental, junto com a Alemanha e o governo brasileiro, pode fazer de Hortolândia um modelo de cidade de recuperação ambiental para o mundo. É esse o nosso objetivo: mostrar que uma cidade que, no passado, foi degradada pela ocupação urbana pode voltar atrás, recuar e recuperar. Nosso sonho neste projeto é fazer isso: servir de modelo. Nós podemos. O Brasil não precisa degradar, não precisa destruir para ter qualidade de vida, para o ser humano poder viver bem e ter uma condição social digna. Isso nós temos que fazer”, afirma Perugini sobre o projeto.

O prefeito afirma que o cuidado com a recuperação do meio ambiente está entre as prioridades de sua gestão. “Agora, a Administração Pública está olhando com muita atenção nessa questão da preservação ambiental, da recuperação das áreas verdes, da água do município. Nós já temos praticamente 100% de esgoto coletado e tratado. Está na hora de a gente segurar esta água dentro da cidade, de fazer um programa habitacional de modo que estas famílias desocupem as áreas que hoje são de preservação e a gente retome um projeto de olhar de longo tempo para a cidade. Por isso essa parceria é muito importante”, explica.

Agenda 2030

A Agenda 2030 foi tema do 2o Seminário de Meio Ambiente, promovido pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, em junho deste ano. Na ocasião, por iniciativa do Executivo Municipal, as metas foram apresentadas à comunidade, de modo a mobilizá-la no sentido de sua implementação na cidade, dada a grande relevância da questão ambiental e da desigualdade no país e no planeta.

Em meados de outubro deste ano, uma comissão mista do Projeto veio ao município e foi recebida no gabinete do prefeito. O objetivo do Projeto ANDUS, segundo documento do MCDI, é “apoiar o Governo federal, os estados e os municípios na implementação de estratégias de desenvolvimento e gestão urbana sustentável”.

Municípios contemplados

Além de Hortolândia (SP), os demais municípios contemplados na parceria são: Fortaleza e Euzébio, no Ceará; Anápolis, em Goiás; Criciúma, em Santa Catarina e Tomé Açú, no Pará. Durante o evento, além da assinatura do convênio entre o Projeto ANDUS e os municípios, houve Seminário de Sensibilização sobre “Mudanças climáticas – adaptação e mitigação”; “Agenda 2030 (ODS) e Nova Agenda Urbana”; “Desenvolvimento Urbano Sustentável – Cidades Inteligentes”. Painéis apresentaram as cidades selecionadas nesta etapa. Houve também lançamento da publicação “Zoneamento Ambiental Municipal – ZAM”. 

Confira os objetivos específicos do Projeto ANDUS, segundo o Ministério das Cidades:

1. Aprimoramento e compatibilização de políticas e instrumentos nacionais;

2. Fortalecimento de capacidades de implementação mediante parcerias com Estados e Municípios para atividades-piloto;

3. Gestão de conhecimentos e difusão de práticas inovadoras;

4. Intercâmbio de experiências brasileiras e alemãs. 

Conheça quais são os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável):

Os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) constituem uma agenda proposta pela ONU (Organização das Nações Unidas), que deve ser implementada por todos os países do mundo até 2030. Esta agenda foi apresentada e debatida em setembro de 2015, por mais de 150 líderes mundiais.

Objetivo 1: Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares.

Objetivo 2: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável.

Objetivo 3: Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades.

Objetivo 4: Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos.

Objetivo 5: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

Objetivo 6: Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos. 

Objetivo 7: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos.

Objetivo 8: Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos.

Objetivo 9: Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.

Objetivo 10: Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles.

Objetivo 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

Objetivo 11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

Objetivo 12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.

Objetivo 13. Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.

Objetivo 14. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

Objetivo 15. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade.

Objetivo 16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.

Objetivo 17. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

FONTE: ONU/BR

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Nossa Cidade

Doação de copos de papel a servidores da saúde têm apelo sustentável

Prefeitura

Publicado

em

A solidariedade das empresas e comércios nesta pandemia é constante e tem ajudado a população e, também, os servidores da Prefeitura de Hortolândia. Nesta semana, a empresa Sustenpack Embalagens Sustentáveis, localizada em Taboão da Serra, em parceria com o Hospital e Maternidade Celso Pierro, da PUCC (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), doou 50 mil copos descartáveis de papel, itens que já estão em distribuição aos profissionais da saúde que atuam no combate à COVID-19.

Os copos, destinados às UBSs (Unidades Básicas de Saúde), às UPAs-24h (Unidades de Pronto Atendimento) e ao Hospital Municipal Mário Covas, têm dizeres de agradecimento e incentivo aos profissionais de saúde.

Além de serem econômicos, os copos de papel têm apelo sustentável e protegem o meio ambiente. Enquanto um copo descartável de plástico leva cerca de 50 anos para se decompor, o de papel é decomposto em aproximadamente 18 meses.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Em Hortolândia, população conta com plataforma online para serviços de mobilidade urbana

Prefeitura

Publicado

em

O aplicativo online de serviços ligados à mobilidade urbana da Prefeitura de Hortolândia já recebeu 383 solicitações da população até agora. A plataforma digital, lançada em março deste ano pela Secretaria de Mobilidade urbana, está disponível para a população se manter em dia com as leis do CBT (Código de Trânsito Brasileiro), mesmo com a pandemia do Coronavírus. No aplicativo, pode ser realizada a consulta de multas de trânsito, pontuações na CNH (Carteira Nacional de Habilitação), além de recursos em caso de defesa de autuação. A Administração Municipal foi uma das pioneiras do Brasil a implantar este tipo de sistema, que hoje é usado por cidades de diferentes Estados, inclusive metrópoles.

O objetivo do serviço é evitar a saída das pessoas de casa para resolver questões como estas, contribuindo para a não disseminação do Coronavírus. De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, o aplicativo continuará em funcionamento, após a pandemia. O sistema é moderno e rápido, sem burocracias. Para utilizar o portal de serviços, basta acessar o site http://www2.hortolandia.sp.gov.br/ e clicar nas abas na abas Cidadão > Mobilidade Urbana > Portal de Serviços.

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, a maioria dos serviços solicitados diz respeito à indicação de condutores que levaram multa em veículos registrados em nome de outra pessoa. Em seguida, vêm as defesas de autuação e recursos em primeira instância. Todos os serviços estão funcionando.

Acesso aos serviços disponíveis

Para solicitar os serviços disponíveis, o usuário deve seguir as instruções descritas no próprio Portal da Mobilidade Urbana de Hortolândia. Para consultar as multas recebidas, por exemplo, o proprietário do automóvel deverá informar o Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) e o CPF (Cadastro de Pessoa Física) ou CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) do proprietário.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, a consulta vale apenas para multas aplicadas dentro de Hortolândia, não sendo possível para multas recebidas em outras cidades ou em rodovias. O prazo é de 30 dias, após a aplicação, para a multa estar no sistema e poder ser consultada.

Já a consulta de pontuação da CNH poderá ser realizada apenas com o número do documento. Em caso de novas multas neste período, o acréscimo da pontuação na carteira de habilitação pode demorar até 60 dias, conforme método usado pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Serviços como indicação de um condutor permitem que o proprietário do veículo identifique o real condutor no momento em que este foi autuado. Recursos de defesa de autuação e defesa em primeira instância também poderão ser realizados pelo portal, mas será necessário anexar os documentos solicitados, como fotos, cópia da CNH, cópia do documento do veículo e formulários assinados. As instruções são claras para que o munícipe possa realizar o procedimento de maneira correta.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Avanços na rede de urgência e emergência de Hortolândia são reconhecidos por representante do Ministério da Saúde

Prefeitura

Publicado

em

Os avanços no trabalho desenvolvido pela equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Hortolândia, ao longo dos últimos 12 anos, foram conferidos de perto pelo Coordenador Nacional de Urgência e Emergência do Conselho Federal de Enfermagem, Eduardo Fernando Souza, que esteve na cidade na manhã desta sexta-feira (07/08). O profissional, que é membro do Comitê Gestor de Crise COVID-19, do Ministério da Saúde, elogiou a forma como a Prefeitura de Hortolândia organizou os serviços de urgência e emergência para atender a elevada demanda de pacientes, ocasionada pela pandemia de Coronavírus.

Souza já foi servidor do Samu de Hortolândia durante dois anos, desde a implantação do serviço em 2007 até 2009, quando foi convidado a integrar a equipe do Ministério da Saúde. “Tive a oportunidade de conhecer o Samu desde sua inauguração. Voltando hoje, fico muito feliz em observar os processos de trabalho que foram implementados, os dados epidemiológicos do município e o cuidado com a frota, completamente renovada. O sistema de motolâncias para suporte intermediário de vida é único no interior do estado de São Paulo e representa um grande diferencial. Além disso, a tecnologia implantada na Central de Regulação e nas equipes de socorro, com rádios e GPS integrado, facilita muito o tempo de resposta entre o chamado e a chegada do socorro, um benefício para o cidadão, principalmente”, destacou o coordenador nacional.

“Estamos felizes em receber uma visita importante como esta e sermos reconhecidos pelo nosso trabalho. Nossos avanços são evidentes, ainda mais nesta época de pandemia, em que tivemos que nos adaptar à nova realidade e reorganizar a enfermagem, a oferta de equipamento e todo os sistema de urgência e emergência do município”, disse o coordenador do Samu de Hortolândia, José Roberto Silva.

Além da sede do Samu, órgão da Secretaria de Saúde, Souza visitou também a UPA-24h (Unidade de Pronto Atendimento) do Jd. Rosolen, que junto das UPAS-24h Jardim Amanda e Jd. Nova Hortolândia, em parceria com o Serviço Móvel, integram a rede de urgência e emergência de Hortolândia. “A UPA Jd. Rosolen é muito bem estruturada e reflete o atendimento das demais unidades de pronto atendimento da cidade. É nítido observar que o fluxo positivo implantado no local. Geralmente, quando a rede básica não funciona, as UPAs ficam lotadas, sobrecarregadas. Aqui em Hortolândia isso não acontece: os munícipes só estão buscando as UPAs em caso de urgência e emergência mesmo. Isso é fruto do comprometimento e compromisso dos gestores públicos municipais e de todos os profissionais envolvidos com o sistema público de saúde”, enfatizou o coordenador nacional.

Samu de Hortolândia

O Samu de Hortolândia salva vidas há 12 anos. Desde que foi implantado em 23 de janeiro de 2008, no primeiro governo do prefeito Angelo Perugini, as equipes socorristas já realizaram mais de 210 mil atendimentos. Com o Samu, a Prefeitura presta um serviço mais ágil de socorro à população, em casos de acidentes ou mal súbito.

O serviço de acionamento do Samu pelo telefone 192 é um importante instrumento para a rede pública de saúde, uma vez que as equipes têm agilidade e eficiência no atendimento a situações graves. São cerca de 70 chamados por dia, de acordo com dados do serviço de triagem de ligações, que atende Hortolândia e Sumaré. Metade é para atendimentos em Hortolândia.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares