Connect with us

Nossa Cidade

Hortolândia participa da Jornada do Patrimônio Cultural

Publicado

em

Hortolândia é um dos municípios que participa da Jornada do Patrimônio Cultural SP 2019. A cidade integra a programação do evento por meio do Centro de Memória “Professor Leovigildo Duarte Junior”, que abrirá neste sábado (19/10) e domingo (20/10), das 9h às 16h. O órgão da Prefeitura está localizado na rua Rosa Maestrello, 2, Vila São Francisco. 

A jornada é um evento participativo do governo de São Paulo para valorizar a história do estado paulista. O objetivo é estimular as pessoas a conhecerem e visitarem os patrimônios culturais existentes nas cidades onde elas moram, além de incentivar o potencial turístico dos municípios. Realizado há três anos, o evento é inspirado na iniciativa surgida em 1985, na França, e que, em 1999, passou a fazer parte do calendário da Europa. A jornada será realizada nos quatro finais de semana deste mês, conforme a disponibilidade das prefeituras dos municípios participantes. 

No domingo (20/10), o Centro de Memória realizará, às 9h, o evento “Parabéns Com Viola”, aberto para a população, que comemora aniversários das pessoas nascidas no mês. A celebração será feita com um café da manhã colaborativo. Para participar, cada pessoa deve levar alguma bebida ou alimento para a refeição. Depois, às 12h, haverá apresentação da Companhia de Santo Reis “Rosa dos Anjos”. 

O Centro de Memória ocupa o prédio da antiga Estação Ferroviária Jacuba, que foi restaurado pela Prefeitura. De acordo com pesquisas feitas pela Secretaria de Cultura, a estação funcionou até a década de 1970. Posteriormente, o prédio foi tombado como Patrimônio Histórico do Município. Em 2011, no segundo mandato do prefeito Angelo Perugini, o município conquistou a posse definitiva do prédio, que foi restaurado pela Prefeitura e se tornou o Centro de Memória, inaugurado em 2014.

Atualmente, o Centro de Memória está com a exposição “Hortolândia: de trilha, passagem para tropeiros e os ventos nos levam ao rodeio”, que mostra a influência do tropeirismo na formação histórico-cultural do município. 

Ainda de acordo com pesquisas da Secretaria de Cultura, no século 19, quando Hortolândia se chamava Jacuba, a cidade foi ponto de parada para tropeiros. Estão expostos objetos, materiais, utensílios e fotos antigas. Um dos destaques é uma capa que os tropeiros utilizavam para se proteger do frio e da chuva. A vestimenta também servia para forrar o chão na hora de dormir. 

Outro objeto que tem atraído a atenção dos visitantes é uma representação de um fogão de chão. Durante as viagens, os tropeiros preparavam a comida por meio do fogão de chão, que eles montavam com pedras, pedaços e madeiras e outros itens que encontravam na natureza. 

Na exposição, os visitantes também aprendem que uma das comidas que os tropeiros consumiam era a jacuba, um pirão feito com farinha de mandioca, cachaça, açúcar e mel. Lançada em setembro do ano passado, a exposição já foi vistada por mais de 1.400 pessoas.  

ÁRVORE-DO-VIAJANTE  

Após ver a exposição, o visitante pode ainda conferir outros atrativos do Centro de Memória. Um deles está na entrada: um exemplar de uma planta denominada árvore-do-viajante, que foi colocada na época da restauração do prédio. De acordo com a pesquisa da Secretaria de Cultura, a árvore-do-viajante é originária de Madagascar. Seu nome científico é Ravenala madagascariensis. Suas folhas são grandes, parecidas com as da bananeira, e sustentadas por longos pecíolos, dispostos em leque. Em razão disso, a planta acumula água, que servia para matar a sede dos viajantes, motivo pelo qual é conhecida popularmente como árvore-do-viajante. 

O Centro de Memória reúne acervo sobre a história da estação e do município e dispõe de videoteca, biblioteca, mapoteca, fototeca e terminal de consulta digital. Durante a semana, o espaço realiza visitas monitoradas para escolas públicas e particulares, empresas e entidades. O agendamento pode ser feito de segunda a sexta, das 9h às 16h, pelo telefone 3865-2678. A visita monitorada tem entre 40 a 50 minutos de duração.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Prefeitura reforça campanha de adoção em busca de lares para animais domésticos

Publicado

em

A fim de encontrar lares aconchegantes para os animais domésticos abrigados hoje no DPBEA (Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal), a Prefeitura intensifica a campanha permanente de adoção de cães e gatos, “Encontre um Amigo”. A ideia é aproveitar o espírito natalino e sensibilizar tutores que possam cuidar destes bichinhos com amor e dedicação. 

Para adotar este novo amigo, gratuitamente, basta procurar o DPBEA, órgão da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. O Departamento está localizado na Rua Athanázio Gigo, 60, no bairro Chácaras Recreio 2.000. O interessado precisa ter 18 anos ou mais e apresentar RG ou outro documento de identificação com foto e comprovante de residência. Ao adotar, o munícipe precisará ainda assinar um termo de guarda responsável.

Atualmente, há no espaço aproximadamente 200 animais disponíveis para adoção, entre cães e gatos, machos e fêmeas, filhotes e adultos, todos SRD (sem raça definida) ou vira-latas, como se costuma dizer. “Temos uma grande variedade de animais para agradar todos os gostos. Todos estão vermifugados e saudáveis”, comenta o gerente do DPBEA, Claudinei Prazeres. De acordo com o diretor  Vanderlei Fernando Azevedo, todos os animais são também vacinados contra a raiva. “Com a campanha, pretendemos diminuir o abandono de animais na cidade, encontrando para eles este novo lar”, afirma Azevedo.

Guarda responsável

Como medida de proteção e bem-estar animal, a Prefeitura lançou, no início do ano, o guia “Guarda Responsável – Projeto Encontre um Amigo”. O informativo orienta as pessoas sobre os direitos e deveres do tutor ao adotar um animal. Quem vai ao DBPEA com a intenção de adotar um cão ou gato recebe o folheto com instruções para tratar do animal de maneira adequada. O guia traz, ainda, precauções a serem tomadas com a saúde do bichinho de estimação.

Para efetuar a adoção, o tutor tem de cumprir os critérios estabelecidos na cartilha. Abandonar e maltratar animais é crime pela Lei Federal nº 9.605/98. Denúncias de maus tratos aos animais podem ser formalizadas no DPBEA, por meio dos telefones 3897-3312 ou 3897-5974.

Confira dicas de guarda responsável:

•não deixar o bicho de estimação solto na rua;

•ter disponibilidade para ele e oferecer muito afeto e atenção;

•manter sempre o animal na coleira e com identificação referente ao nome do dono e telefone;

•possuir espaço físico no imóvel proporcional ao porte do animal;

•realizar visitas regulares a um veterinário para vacinas anuais

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura entrega certificados a formandas do curso de Costura Industrial

Publicado

em

Cerca de 200 pessoas, entre aprendizes e convidados, participaram, na noite desta quinta-feira (05/12), da cerimônia de formatura do curso de Costura Industrial, promovido pela Prefeitura de Hortolândia. O evento, que aconteceu na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, no Jd. Sumarezinho, contou também com a presença do vice-prefeito e secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Nazareno Zezé Gomes, que representou o prefeito Angelo Perugini, assim como do secretário e Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Athanázio Bueno.

Na turma atual, 49 formandas, das 60 ingressantes, receberam o certificado por haverem completado as 1.056 horas de aprendizado teórico e prático previstas. Oferecido pela Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, o curso de Costura Industrial, vinculado ao Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação Trabalho e Educação), tem como objetivo qualificar profissionalmente moradores de Hortolândia, em vulnerabilidade social, para que possam atuar em confecções como trabalhadores formais ou empreender no mercado têxtil.

Além do conhecimento adquirido, com direito a certificado, as alunas receberam mensalmente bolsa-auxílio de R$ 710,00, cesta básica de alimentos e vale-transporte. Em contrapartida, como parte prática do curso, confeccionaram os uniformes escolares que serão usados na rede municipal de ensino, em 2020. Neste ano, elas produziram 80 mil peças – 53 mil camisetas e 27 mil bermudas, que serão distribuídas no início do ano letivo.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Pintor Ivan Cruz visita Hortolândia e pinta mural junto com alunos da Emef Patrícia

Publicado

em

Como cantava o poeta roqueiro, Raul Seixas, em seu “Prelúdio”, “sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto, é realidade”. Na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Profa. Patrícia Maria Capelato Basso, no São Sebastião, os projetos pedagógicos são assim, como na letra da canção: a vida imita a arte para que o sonho vire realidade. Nesta sexta-feira (06/12), professores, alunos e comunidade receberam uma visita muito esperada – a do artista plástico carioca Ivan Cruz, cuja obra sobre “Brincadeiras de Criança” foi tema do projeto interdisciplinar desenvolvido na escola, neste ano. Além de conversar com estudantes, familiares e demais presentes, Cruz grafitou, junto com as crianças, três painéis nas paredes da escola. Deixou também um recado, emblemático de seu trabalho: “A criança que não brinca não é feliz!”. O prefeito Angelo Perugini esteve na escola, à tarde, para ver os murais e conversar com o pintor. 

As primeiras telas de Cruz, de colorido exuberante, em estilo naif ou primitivista, retratando a infância brasileira dos tempos antigos, viraram uma série que o consagrou. Nela, Cruz mostrava mais de 600 brincadeiras típicas das gerações anteriores, a de nossos pais e avós, tais como pião, carniça, pé de lata, perna de pau, ioiô, amarelinha, pula corda, barquinho de papel, roda, soltar pipa, subir em árvore…

Alunos da rede municipal conheceram seu trabalho justamente por meio delas. Imagens de sua obra aparecem reproduzidas no livro didático “Ler e Escrever”, utilizado nas escolas da Prefeitura de Hortolândia. O conteúdo saiu dos livros e foi parar nas aulas de educação física e de português, assim como nas de artes, num empenho conjunto pela interdisciplinaridade.

O ponto alto do projeto cultural “Jogos e Brincadeiras da Cultura Popular”, que se encerra agora, no final do ano letivo, é a visita do pintor. A ideia do convite partiu da professora de educação física Mara Ester da Silva e foi abraçada pela equipe gestora e pela comunidade escolar, que realizou atividades e buscou apoiadores, com a empresa Desktop, que doou uma bicicleta, para custear a vinda de Cruz à cidade. Além da unidade, o pintor visitou também o Cier (Centro Integrado de Educação e Reabilitação) “Romildo Pardini, o Unasp (Centro Universitário Adventista de São Paulo) e a Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) Jd. São Sebastião. 

“Este contato, quando eu fiz, era para trazê-lo aqui a fim de fechar o projeto. Porque uma coisa é eu falar no Ivan Cruz e as crianças não saberem nem quem ele é. É um ser humano intocável. Quando a gente traz ele até a escola, parece que concretiza o trabalho, porque ele pinta o muro, conversa, tem uma didática diferente para lidar com elas. Está sendo maravilhoso, porque as crianças pintam com ele”, explica Mara.

“Para nós, a visita do Ivan Cruz representa mais um pouquinho da realização dos nosso sonhos, que é trazer para a criança o desejo de brincar e brincar das brincadeiras antigas, como as que ele aborda. Por isso, o trouxemos aqui. Esta visita acrescenta muito pedagogicamente, porque a criança acredita que essa pessoa é alguém muito distante deles, irreal, e a gente sabe que são reais. É investir nos sonhos. A criança pode ter o desejo de ser artista e achar que este é um sonho muito distante. Mas ele está muito próximo. É como ele falou: tudo é possível quando a gente sonha e corre atrás”, afirma a diretora Sandra Lopes Padilha David.

“Eu acreditava, como artista plástico, que o importante seria fazer grandes exposições, em grandes museus e espaços culturais pelo mundo. Hoje, eu vejo que não é isso. O mais importante para mim é o que vejo aqui. São crianças que estão sendo educadas pelos profissionais da educação, que utilizam este trabalho que eu venho desenvolvendo já há alguns anos, desde os anos 90, um projeto chamado ‘Brincadeiras de Criança’. As crianças estão participando ativamente. Percebo que os professores também estão voltados para este mundo necessário, que é o de educar através das brincadeiras. A gente sabe que, através delas, você aprende toda e qualquer ciência: matemática, física, química, biologia, português, todas as matérias. O direito de brincar, que é um dos direitos fundamentais da criança, vejo que aqui estão sendo respeitados”, ressaltou Cruz.

A convite da professora de classe, à frente do 4º ano B, Cássia Fernanda Arruda, Ivan Cruz juntou-se aos alunos no plantio de um pé de laranja lima, em alusão ao livro homônimo do escritor José Mauro de Vasconcelos, outra obra trabalhada em sala, ao longo do ano. Além de ler o livros, os pequenos assistiram ao filme e produziram desenhos para ilustrar a obra.

Durante a pintura coletiva dos muros da escola, o aluno do 5º ano, Fernando Valadares, de 11 anos, acompanhou atento os traços feitos pelo artista. Por vezes, nas aulas da profa. Mara, nas brincadeiras de Queimada e Pique Bandeira, quando foi anunciada a visita de Cruz, chegou a duvidar que ela de fato aconteceria. “Fiquei em dúvida. Por ser artista, deve ser bem ocupado. Fiquei surpreso. É bem legal e bacana! É diferente. Ele pinta muito bem. Quero ser designer de games e engenheiro de robótica, quando crescer. Tem que ter criatividade. Saber desenhar é importante. Como poderei fazer projetos sem saber desenhar?”, argumentava o menino.

A mãe, Cleonice Valadares, e a tia, Valeri Torquato, vieram acompanhar a visita e aprovaram a iniciativa. “É muito legal para a criança ver a criatividade. O artista faz o desenho na hora”, comentou Valeri. “É importante para o crescimento e o desenvolvimento da criança. Ficam familiarizados com a arte. É bom para a criatividade deles”, afirmou a mãe.

Educação Integral

A Emef Patrícia Capelato é uma das 21 unidades da rede municipal integrantes do programa de Educação Integral da Prefeitura, voltado a estudantes do Ensino Fundamental. Eles permanecem o dia todo na escola em atividades no contra turno, onde desenvolvem atividades de dança, música e projetos de estudo e pesquisa, no período oposto ao das aulas regulares, nas chamadas estações de vivência. Na Emef Patrícia, por iniciativa da equipe gestora, criou-se em 2018, em áreas ociosas da escola, o “Espaço dos Sonhos”, que tem jardim sensorial, casa da árvore, redário e caramanchão com mesa para área de leitura.

O programa de Educação Integral foi criado pelo governo Angelo Perugini, em 2011 e retomado em 2017. As estações de vivência atuam em quatro áreas: linguagens artísticas; recreação e lazer; protagonismo juvenil; e orientação de estudos.

O programa de Educação Integral integra as ações do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), implantado por Perugini para estimular o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. O programa prevê mais de 100 obras e serviços, em diversas áreas. Para estas intervenções, o município conta recursos financeiros da iniciativa privada, dos governos estadual e federal, sendo que a principal fonte de recursos é um financiamento junto ao banco internacional CAF.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo