Connect with us

Nossa Cidade

Prefeitura busca apoio dos moradores no combate às queimadas

Prefeitura

Publicado

em

Neste período de estiagem, em que o tempo seco, com baixa umidade, favorece o surgimento de focos de incêndio pela cidade, a Prefeitura de Hortolândia realiza ação de educação ambiental junto à comunidade. Na manhã desta quinta-feira (11/07), agentes ambientais estiveram no Jd. Terras de Santo Antonio, distribuindo panfletos educativos de porta em porta. A iniciativa da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável se estenderá por todo o mês de julho, a fim de conscientizar e sensibilizar a população quanto à proibição de queimadas.

Outro ponto importante da ação é orientar os munícipes sobre como denunciar crimes ambientais, ocorridos em Hortolândia. A ideia é que a população seja parceira no combate aos focos de incêndio, que além de afetarem o meio ambiente, causam sérios problemas à saúde, sobretudo de quem tem alergia respiratória. Quem quiser ajudar na identificação de pessoas e veículos que praticam crime ambiental pode enviar fotos e textos para o aplicativo do Programa Agenda Verde, Mutirão de Limpeza e Zeladoria, que atende pelo número 99976.1840. A identidade dos denunciantes é mantida em sigilo. Em caso de dúvida, basta ligar para a Fiscalização Ambiental no 3845-1149.

As equipes já panfletaram nos Parques Gabriel e São Miguel, na Vila Real e no Orestes Ôngaro, na divisa com Sumaré, onde são frequentes as ocorrências. Até o final do mês, deverão visitar outros bairros afetados pelo problema, tais como Jd. Rosolen, Jd. Alvorada e Jd. Primavera. Neste último, além de panfletagem, será realizada palestra, no dia 26/07, no Centro Social, sobre o tema.

“Entramos no período de estiagem. Com isso, temos sérios problemas com queimadas na nossa cidade. Além do impacto ao meio ambiente, prejudicando a flora e fauna, afeta também a saúde da população, principalmente daquelas pessoas com problemas respiratórios. É preciso que cada um faça sua parte, descartando os resíduos de forma adequada, bem como os proprietários de terrenos baldios realizem cercamento e limpeza nas áreas, evitando assim esse desastre ambiental que tantos transtornos causa na nossa cidade”, afirma a secretária-adjunta de Meio ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Eliane Nascimento.

De acordo com o gerente do Setor de Fiscalização Ambiental, José Apóstolo, em 2017, foram aplicadas 1.332 multas por queimada; em 2018, este número caiu um pouco para 1.253. O balanço das ocorrências registradas de janeiro a junho será divulgado ainda em julho.

Os valores das multas variam de 100 (cem) UFMH (ou R$ 343,20) em terreno igual ou inferior a 250 metros quadrados, a 10.000 (dez mil) UFMH (ou R$ 34.320,00), em áreas acima de 200.000 metros quadrados. Infratores que façam queimadas em APPs (Áreas de Preservação Permanente) são multados em 5.000 (cinco mil) UFMH (ou R$ 17.160,00). Atualmente, a UFMH equivale 3,432.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Nossa Cidade

Prefeitura alerta: 39 moradores estão em UTIs. Veja a estatística:

Portal Hortolândia

Publicado

em

Segundo a Prefeitura de Hortolândia, relatório de hoje (03) requer muita atenção, onde consta 33 pacientes em UTIs fora do Município e 06 pacientes em Hortolândia no HMC.

Total de 39 pacientes da cidade internados em UTIs. Ontem eram 31 são 09 novos casos de ontem para hoje.

Ontem (02), a prefeitura de Hortolândia (SP) havia confirmado mais duas mortes por Covid-19, totalizando 35 óbitos de moradores pela doença. Além disso, chegou a 638 casos confirmados, 52 a mais do que o boletim do dia anterior.

Segue o relatório dessa sexta (03/07):

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia cria comissão para mapear afroempreendedores do município

Prefeitura

Publicado

em

Hortolândia tem agora uma comissão para mapear os afroempreendedores do município. A novidade foi apresentada pela Prefeitura no lançamento dos programas “Afroempreendedorismo” e “SOS Racismo”, nesta quinta-feira (02/07). Em razão da pandemia do Coronavírus, para evitar aglomeração, o evento foi on-line, com a participação de 80 pessoas, dentre elas, o prefeito Angelo Perugini. 

Também participaram do lançamento a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, Monique Freschet; o diretor do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres, órgão da Secretaria de Governo, Amarantino Jesus de Oliveira, o Tino Sampaio; o vereador Paulo Pereira Filho, o Paulão; o coordenador Estadual da Reafro (Rede Brasil Afroempreendedor), Rafael Pinto; e o professor extensionista e economista do Observatório da PUC (Pontifícia Universidade Católica) Campinas, Paulo Oliveira. 

O prefeito destacou que o município nasceu para dar oportunidade às pessoas que não eram vistas. “Esta terra é de todos. No espírito da emancipação da cidade, queremos que o empreendedor negro também tenha sua emancipação econômica e seu espaço garantido, na colheita dos frutos deste trabalho. A riqueza do nosso país nunca foi compartilhada de forma justa. Por isso, ainda há um longo caminho a ser percorrido de reparações históricas. A Prefeitura quer dar a sua contribuição para que esta jornada seja menos penosa e mais curta para o afroempreendedor de nossa cidade. A política pública deve servir para construir pontes e derrubar muros. Nós colocaremos muito esforço nesta iniciativa para reconhecer a grande contribuição que o afroempreendedorismo já dá para a nossa cidade”, destacou Perugini. 

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação, Monique Freschet, a comissão terá o objetivo de mapear afroempreeendedores em atividade no município. Também caberá ao grupo o papel de receber e discutir demandas de afroempreendedores da cidade. A comissão é formada por seis representantes do poder público e seis representantes da sociedade civil. 

“O Programa Afroempreendedor é muito importante para nosso município. Visa derrubar muros e construir pontes para a liberdade econômica e o empoderamento do empreendedor negro e da empreendedora negra, capacitar, gerar novos negócios, melhorar o ambiente de negócios, dar acesso ao crédito, divulgar marcas desse segmento, garantindo autonomia ao afroempreendedor. O Governo Angelo Perugini, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Turismo e Inovação tem a oportunidade de fomentar essa discussão junto à sociedade, em parceria com a Reafro e a Puccamp. Esta data fica registrada como um marco na cidade de Hortolândia, que lança o projeto por meio de uma plataforma online e, mesmo na pandemia, conseguimos atingir 80 participantes de diferentes segmentos do nosso município”, destacou a secretária. 

Para um dos integrantes da comissão, o músico Marcel Rogério Campos da Silva, o programa é o pontapé inicial para fomentar o afroempreendedorismo na cidade. “O evento de lançamento foi produtivo e teve presença expressiva de pessoas. A ideia do programa está sendo bem aceita, porque estimula o afroempreendedorismo e, com isso, reverte em benefício para a própria cidade. A partir de agora, é trabalhar para que ele se desenvolva”, destacou o empreendedor. 

“SOS RACISMO”

O evento também marcou o lançamento do programa “SOS Racismo”, do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres, órgão da Secretaria de Governo. Por meio do programa, a Prefeitura busca garantir maior eficácia no atendimento e no encaminhamento para a eliminação de ações discriminatórias por motivo de cor, religião ou etnia. 

O programa contará com apoio técnico e administrativo do Departamento de Direitos Humanos e Políticas Públicas para Mulheres, em parceria com o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Hortolândia, e será estruturado na Casa Quilombola (foto), localizada na rua Benedito Francisco de Faria, 467, no Remanso Campineiro. O atendimento poderá ser realizado presencialmente ou por telefone (19) 3897-1126, das 9h às 15h. 

O diretor do órgão, Amarantino Jesus de Oliveira, destacou que o evento foi muito proveitoso por ter contado com a participação de um público qualificado. “Antes de ser um espaço para receber denúncias, o objetivo maior do programa é ser um espaço de acolhimento e foi isso que trabalhamos no evento. A cidade está bem avançada em suas políticas públicas e serviços oferecidos. Trabalhamos em um contexto bem ampliado, com um viés da economia, da cultura afirmativa, na autoestima, no social, na identidade e com envolvimento de outras secretarias municipais para realizar um atendimento multidisciplinar. Por meio do programa, estamos construindo uma política pública muito estruturada que vai proporcionar resultados sólidos e palpáveis para o município”, salientou Amaratino. 

Para a presidente do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Mãe Eleonora Alves, o programa representa um ganho para o município. “Mais do que propor uma discussão, o ‘SOS Racismo’ é uma ação efetiva e de mudança que irá atuar pela população preta que não tem representatividade e voz. O racismo é um problema sério. Ele mata, exclui”, destacou Mãe Eleonora.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Nossa Cidade

Trânsito de veículos é liberado no Viário Santa Fé

Prefeitura

Publicado

em

A Prefeitura de Hortolândia liberou, no início da tarde desta sexta-feira (03/07), o tráfego de veículos no Viário Santa Fé. A nova obra realizada pela Administração Municipal encurta distâncias e integra diversos bairros da cidade. Após a liberação, já é possível a circulação de automóveis na rotatória no Jd. Santa Clara do Lago II. O novo complexo de integração de bairros inclui também uma rua na região atrás da Confibra e a ponte sobre o Lago da Fé, aberta ao tráfego nesta quinta-feira (02/07).

Com pintura e sinalização adequadas, ao todo, são mais de 1,5 km de ruas asfaltadas, ligando os bairros da região do Jd. Santa Fé, como Jd. Santa Clara do Lago I e II, Jd. Interlagos, Villagio Guiraldelli, Jd. Campos Verdes, Jd. Nova Alvorada, Pq. Gabriel, Jd. Novo Cambuí e Jd. das Figueiras.

Novos acessos facilitam a mobilidade urbana na cidade

Parte do complexo viário, a ponte recém-inaugurada tem 170 metros de extensão. Apesar de o Parque Lago da Fé contar com calçada para pedestres no entorno, sem ela não era possível a travessia de veículos.

Já a nova rua conta com ciclovia e calçada para pedestres, além de iluminação em LED. O acesso ao viário se dá por meio da rotatória, localizada na entre as ruas Bolívia (Jd. Santa Clara do lago II), Edivaldo Diogo da Costa (Villagio Ghiraldelli) e Rio Tapajós (Jd. Interlagos), sentido Jd. Nova Alvorada.

“Este novo complexo construído pela Prefeitura é importante para facilitar os deslocamentos pela cidade, atraindo empreendimentos, indústrias, trazendo recursos e desenvolvendo cada vez mais Hortolândia”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

PIC

O complexo viário na região do Jd. Santa Fé faz parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), implantado pela Prefeitura para estimular o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. O programa prevê mais de 100 obras e serviços, em diversas áreas. Para estas intervenções, o município conta recursos financeiros da iniciativa privada, dos governos estadual e federal.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares