Connect with us

Nossa Região

Empresas oferecem vagas, mas não conseguem preenchê-las

Portal Hortolândia

Publicado

em

carteira-trabalho

Falta de qualificação é um dos principais fatores que dificultam o reposicionamento de trabalhadores no mercado de trabalho

Há vagas, mas falta qualificação. Competências básicas como fazer cálculos simples, se expressar de maneira correta e adequada, falta de conhecimentos básicos em informática e inglês, estão faltando aos muitos desempregados que buscam uma oportunidade no mercado de trabalho, que oferece poucas vagas, e mesmo estas, muitas vezes não conseguem ser preenchidas satisfatoriamente pelo empregador. Outro forte motivo é a baixa escolaridade aliada à inserção cada vez maior da tecnologia, o que faz com que os contratantes aumentem sua régua de exigências e se tornem mais seletivos.

Do contingente de 13,4 milhões de desempregados no primeiro trimestre deste ano, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), mais de 600 mil são considerados de difícil recolocação por recrutadores, de acordo com cálculos do economista Cosmo Donato, da LCA consultores. Esse volume é o dobro do registrado no mesmo período de 2014.

Para se ter uma ideia, no início deste ano, uma grande empresa de telemarketing, segmento conhecido pela alta rotatividade, divulgou 1,2 mil vagas em um mutirão de emprego na Capital. Cerca de 600 pessoas compareceram ao chamado, fazendo uma megafila no local da seleção. No entanto, foram contratados apenas sete operadores de telemarketing, menos de 1% do que o empregador necessitava.

De acordo com as consultorias de recrutamento, a recolocação fica mais difícil para quem tem até o Ensino Fundamental, menos de 20 e mais de 45 anos e está há mais de um ano fora do mercado. Segundo dados do Sindicato e da União Geral do Trabalhadores (UGT, em um mutirão de ofertas de emprego foram oferecidas 2 mil vagas para caixa de supermercado, com salário aproximado de R$ 1.100. Apenas 50% das vagas foi preenchida.

Em Campinas, o Centro Público de Apoio ao Trabalhador (CPAT) oferecia no início desta semana 25 vagas de emprego para moradores da região, com salários até R$ 2,5 mil, sendo a maior remuneração destinada ao cargo de instrutor de motoristas de caminhão e subgerente de loja. São funções que exigem qualificação e experiência. 

Na outra ponta, levantamento feito pela ACIC, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, aponta que em Campinas foram gerados em abril de 2019, 659 postos, total 58,92% menor que em abril do ano passado, quando foram criadas 1.604 vagas. No acumulado do ano, de janeiro a abril, foram gerados 2.025 postos de trabalho, volume 52,44% menor que o acumulado no mesmo período do ano passado, 4.258. 

“Com um contingente tão grande de desempregados e poucas vagas abertas, o mercado de trabalho fica mais exigente e a qualificação profissional se torna um importante diferencial para a contratação. As empresas buscam pessoas que já tenham as competências necessárias para atuar nas funções, porque nem sempre há tempo para desenvolver programas internos de treinamento e capacitação logo de início”, afirma Adriana Flosi, vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC).

Adriana lembra ainda a importância de oportunizar treinamentos de qualificação para os funcionários. “Estudos apontam que entre as empresas brasileiras, 48% delas não investem em treinamentos de qualificação. É um número expressivo, mas, acredito, tende a ser reduzido, já que a capacitação de profissionais da empresa gera ainda a retenção de talentos”, completa Adriana. Para ela, a capacitação também abre portas àqueles que estão em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. “Às vezes, a pessoa não tem experiência em determinada área, mas buscou capacitação e isso pode ser determinante em uma entrevista de emprego”, afirma.

AC Qualifica

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) oferece desde 2017 um programa de capacitação com conteúdo diversificado, como vendas, atendimento, comportamento, estoques, financeiro e operacional. Somente neste ano, de fevereiro a maio, 1 mil pessoas passaram pelo programa, cerca de 240 horas de qualificação. Para a coach e facilitadora do AC Qualifica, Elaine Matuo, o sucesso de uma empresa é de responsabilidade de todos, mas a conscientização da importância da capacitação de seus colaboradores está relacionada diretamente aos seus gestores. 

“Quando seus colaboradores são capacitados você recebe dois benefícios: gratidão e competência. O colaborador se sente grato por saber que está sendo confiado a ele momentos de aprendizagem, nisso ele se desenvolve no lado pessoal e profissional. No caso da competência, ela é gerada por meio do conhecimento. O conhecimento desperta a habilidade que ele tem ou que não sabia que tinha. E por último, a atitude, consequentemente, ele vai ter uma nova atitude”, conclui.

Os cursos são realizados diariamente, das 8h às 9h, na sede da entidade (Rua José Paulino, 1111, Centro), para que o funcionário participante não perca o dia de trabalho. Informações pelo site: https://www.acicampinas.com.br/.

Nossa Região

Morre sobrinho de Jonas Donizette, Luiz Lauro Filho

Portal Hortolândia

Publicado

em

Na tarde dessa segunda-feira (18), faleceu Luiz Lauro Filho, deputado federal, após sofrer um infarto nesta madrugada e ficar internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva)de um hospital privado em Campinas.

O deputado passou mal por volta de 2h e foi levado ao hospital, Luiz Lauro, sofreu duas paradas cardíacas e veio a óbito no início da tarde.

Luiz Lauro Filho, de 41 anos, era sobrinho do prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), que divulgou nota sobre o falecimento.

Continue Lendo

Nossa Região

Rodízio de veículos em Campinas é adiado até passar pela Câmara

Portal Hortolândia

Publicado

em

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, anunciou durante live, na manhã desta sexta-feira, dia 15 de maio, que o decreto que estabelece regime emergencial de restrição de circulação no município, o chamado “rodízio”, será transformado em projeto de lei e enviado para discussão na Câmara de Vereadores. “Tenho certeza que a Casa de Leis irá realizar um amplo debate com a sociedade e compreender a importância da implantação desta medida”, enfatizou o prefeito.

Desta forma, o rodízio não terá validade a partir da próxima segunda-feira, dia 18 de maio; e a implantação ocorrerá depois da devida tramitação e transformação em lei. O rodízio é uma medida inédita na história do município; e uma importante ação da Administração municipal para aumentar o isolamento social e restringir a circulação de pessoas pelas vias, por conta do avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Também diminuir a acidentalidade, poupando a ocupação de leitos hospitalares.

“São duas grandes benesses, uma importante medida neste momento de contenção do avanço da pandemia”, disse o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro.

“Nós estamos elaborando regras pertinentes, pensando em impactar, o menos possível, a vida das pessoas. Em um dia da semana, quem realmente precisa, ficará sem poder utilizar seu veículo. Precisamos de toda ajuda e compreensão da população, para aumentar o isolamento social e conter a pandemia”, explicou o prefeito Jonas Donizette.

Regramento

As regras e detalhamento do projeto de lei do rodízio foram definidas na tarde de quinta-feira, 14 de maio, em ação conjunta entre a Emdec e a secretaria de Assuntos Jurídicos. Pelo projeto de lei, o rodízio será válido para carros e motos com placas da cidade e, também, de outras localidades.

O rodízio de circulação de veículos ocorrerá de segunda a sexta-feira, das 7h até as 19h, sem interrupção, em toda a área urbana do município; e não afeta a circulação nas rodovias. A adoção será por tempo indeterminado e a restrição de circulação será efetuada pelo final da placa do veículo.

Proibição de circulação:

  • Segundas-feiras: placas final 1 e 2.
  • Terças-feiras: placas final 3 e 4.
  • Quartas-feiras: placas final 5 e 6.
  • Quintas-feiras: placas final 7 e 8.
  • Sextas-feiras: placas final 9 e 0.

“Com a medida, pretendemos diminuir, em cerca de 20%, a circulação diária de veículos nas vias urbanas do nosso município. Campinas tem quase 1 milhão de veículos registrados; e recebe em torno de 200 a 250 mil veículos de outras localidades, diariamente. Estamos prevendo uma redução diária de circulação na ordem de 200 mil a 250 mil veículos”, avalia o secretário Barreiro.

O rodízio não é válido para sábados, domingos, feriados e pontes de feriados. Estão liberados para circulação todos os tipos de ônibus (sistema de transporte público coletivo municipal, intermunicipal, rodoviário, fretamento, etc.); caminhões; táxi; veículos de transporte por aplicativos devidamente cadastrados na Emdec; e veículos de transporte escolar. Veículos oficiais e viaturas, como de polícia, salvamento, socorro, fiscalização de trânsito e prestadores de serviço de utilidade pública já estão contemplados pela livre circulação, desde que devidamente sinalizados.

Também ficam excluídos da restrição de circulação as pessoas com deficiência e com doenças crônicas, que necessitem de acompanhamento continuado, como tratamento de quimioterapia, radioterapia ou hemodiálise. E as pessoas que as transportem.

Mais exclusões

Também haverá exclusão do rodízio para profissionais das seguintes áreas: serviços da área da saúde, farmacêutica e correlatos; serviços de entrega de mercadorias e correspondência; empresas com contratos para execução de obras públicas; comércio de alimentos; órgãos e serviços públicos municipais, estaduais e federais; serviços de limpeza pública urbana e correlatos; construção civil; manutenção predial; veterinárias e atendimento pet; transporte de valores, escolta armada e segurança privada, autorizados pela Polícia Federal; e imprensa.

A exclusão vale para os veículos diretamente ligados aos serviços, como também para os veículos utilizados para o deslocamento dos profissionais para as atividades de trabalho.

Cadastro

O cadastro de situações excepcionais deve ser realizado pelo aplicativo para celular da Emdec. O aplicativo foi lançado no último dia 5 de maio; e reúne os principais serviços da Emdec ofertados à população. O aplicativo pode ser instalado em celulares com sistema IOS ou Android.

O aplicativo tem um “botão” específico para o cadastro. Será necessário informar o nome, CPF, endereço, profissão, e-mail e o motivo da exclusão. O cadastro é efetuado de forma rápida e a resposta é imediata.

Fiscalização

A fiscalização do cumprimento do novo regramento será efetuada pelos cerca de 400 agentes da Mobilidade Urbana da Emdec (em campo e na Divisão de Controle Operacional); pelos pontos de fiscalização eletrônica (radares de velocidade / avanço sinal vermelho); e pelas câmeras de monitoramento do município.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o desrespeito ao rodízio de veículos é considerado uma infração do tipo “Média”, punido com quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e multa no valor de R$ 130,16.

“Nossa intenção não é de punir ninguém. Queremos que, neste momento, as pessoas fiquem em casa, respeitando a determinação de isolamento social. É um momento de conscientização, responsabilidade e de atitude de respeito à vida. Nossa e das outras pessoas”, argumenta Barreiro.

Transporte público

A frota diária circulante do sistema de transporte público coletivo municipal será ampliada, para atender as necessidades de deslocamentos de pessoas que trabalham em áreas essenciais. Mas a Emdec reforça que, neste período de quarentena, os ônibus, terminais urbanos e pontos de embarque sejam utilizados somente pelos usuários do transporte coletivo que necessitem realizar algum deslocamento essencial; e com o uso obrigatório da máscara de proteção em todo o trajeto. É essencial que a pessoa já saia de casa com a máscara.

A frota de ônibus em operação é dimensionada a partir da avaliação técnica, diária e em tempo real, da demanda de passageiros. A programação de horários sofrerá ajustes pontuais, dependendo da análise individual de cada região, linha e horário.

O usuário pode saber, em tempo real, o momento da chegada do ônibus no ponto utilizando o aplicativo “Busão na Hora”. Mesmo em momento tão adverso, a Administração municipal realiza um enorme esforço para oferecer à população que necessita, um transporte público coletivo adequado.

Continue Lendo

Nossa Região

Unicamp sugere lockdown em SP se isolamento não aumentar

Portal Hortolândia

Publicado

em

Um modelo matemático desenvolvido na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) indica que, caso o isolamento social no estado de São Paulo não aumente nos próximos dias para conter a disseminação da covid-19, a adoção de lockdown (isolamento total obrigatório) será necessária para evitar que o sistema público de saúde atinja o limite da capacidade de atendimento. 

O estudo, divulgado na terça-feira (12), é baseado em um modelo matemático desenvolvido pelo professor do Instituto de Geociências da Unicamp e coordenador do Programa Especial Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapesp), o matemático Renato Pedrosa.

O modelo utiliza dados reais do crescimento do número de casos de covid-19 do mês de abril em São Paulo, que indicavam taxa de contágio da doença de 1,49 para o estado de São Paulo e de 1,44 para a capital. Essa taxa significa que, no final de abril, cada 100 paulistas infectados pelo novo coronavírus transmitiam covid-19 para 149 pessoas, em média, ao longo de um período de cerca de 7,5 dias após se contaminar. No caso dos paulistanos, habitantes da capital, 100 deles infectavam 144 pessoas no período de 7,5 dias. 

A taxa de contágio é afetada diretamente pelo nível de isolamento social da localidade analisada, ou seja, quanto maior o nível de isolamento, menor é a taxa de contágio, já que, com maior isolamento, o encontro entre as pessoas diminui e, consequentemente, de transmissão da doença.

O estudo ressalta que mantidos esses níveis de contágio, e as taxas de isolamento que, em média, estão abaixo dos 50%, os valores projetados indicam que, ainda em maio, o sistema público de saúde da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) atingirá seu limite de atendimento, considerando que o nível de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) já está acima de 80%.

O modelo desenvolvido pode ser usado para projetar a dinâmica de transmissão da covid-19 em outras localidades, já que ele leva em consideração as variáveis climáticas, a densidade populacional e a linha do tempo da instalação da doença. O matemático usou dados de 50 estados norte-americanos e de 110 países, incluindo o Brasil.

Confira o estudo aqui

Continue Lendo