Connect with us
Publicidade


Policial

Corpo da juíza assassinada pelo ex-marido é cremado

Redação

Publicado

em

O corpo da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos, foi cremado na manhã de hoje (26) no Cemitério da Penitência, no Rio de Janeiro. Antes da cerimônia houve um velório com a participação restrita a pessoas da família e amigos. O assassino, segundo a Polícia Civil do Rio de Janeiro, é o ex-marido  Paulo José Arronenzi, de 52 anos. 

A juíza foi morta a facadas, no início da noite de quinta-feira (24). De acordo com a Guarda Municipal, as três filhas pequenas, que estavam com os pais presenciaram o crime, que ocorreu em frente ao Colégio Estadual Vicente Jannuzzi, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.

No velório que antecedeu a cremação, o clima era de muita tristeza e revolta com a violência a que a juíza foi vítima. “Como o crime foi muito brutal, todo mundo ficou revoltado com a situação, ainda mais se tratando de quem era a vítima, uma pessoa doce, cordial e amada por todos. O clima é de muita tristeza e revolta”, disse à Agência Brasil o presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), Felipe Gonçalves.

A avó materna das três filhas da juíza ficará com a guarda provisória das netas, duas de sete anos e uma de nove, por decisão do plantão judiciário de Niterói, município onde as crianças moravam com a mãe. “É uma guarda provisória, porque é uma medida antecipatória do que se pretende no final do processo, que é a avó ter a guarda definitiva das crianças. Então, se faz um pedido de liminar para que o juiz aprecie no início do processo esse pedido de guarda. É uma guarda provisória até o julgamento do processo e a guarda se tornar definitiva”, explicou Felipe Gonçalves, acrescentando que a guarda acabará sendo compartilhada com uma tia das meninas que já morava com elas.

Gonçalves disse que a Amaerj permanecerá prestando assistência tanto jurídica como social aos parentes da juíza e os advogados da instituição estão à disposição para que a família possa continuar com as ações relativas à guarda e como assistência de acusação.

Por agressões passadas do ex-marido, a juíza assassinada teve, por um período, escolta da segurança do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), mas suspendeu a medida protetiva. O presidente da Amaerj disse que esse é um comportamento comum em vítimas que começam a confiar novamente no agressor após ele mostrar que mudou de comportamento. 

Gonçalves disse que nesse momento é que costumam ocorrer os crimes mais graves. Segundo o magistrado, esse é um quadro de evolução de uma violência menor para maior, depois do agressor se mostrar arrependido. “As agressões começam com um xingamento, desmoralização da mulher, com violência psicológica junto com violência patrimonial e depois acaba culminando em violência física. Normalmente, o réu se mostra arrependido e parte para retomar a confiança da vítima. Quando ela se convence pede ao juiz para retirar a medida protetiva”, disse.

“Por isso há necessidade das vítimas com medidas protetivas irem até o final do processo, deixarem o estado sancionar o réu, impor ao réu um tratamento psicológico, uma pena que costuma ser branda, mas deixar o réu ciente que aquele comportamento é criminoso e pode acarretar em uma sanção criminal”, disse.

Prisão

Paulo José foi preso em flagrante por dois guardas municipais que estavam na base do 2º Sub Grupamento de Operações de Praia, próximo ao local do crime. Eles foram chamados por pessoas que viram as agressões para ajudar a vítima, mas quando encontraram a juíza ela estava caída no chão e desacordada. Por ter um corte na mão, o ex-marido foi socorrido no Hospital Municipal Lourenço Jorge, no mesmo bairro, e, após receber alta, foi levado por policiais militares para a Delegacia de Homicídios da Capital, na Barra, que é responsável pelas investigações. 

A delegacia instaurou inquérito para investigar o assassinato da juíza, e o autor do crime, além de preso foi autuado em flagrante por feminicídio. 

Após a audiência de custódia, na tarde de ontem (25), a juíza Monique Brandão converteu a prisão em flagrante de Paulo José Arronenzi em preventiva. O acusado do assassinato deu entrada no sistema prisional na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, zona norte do Rio e depois foi transferido para o conjunto de presídios de Bangu, na zona oeste. 

O presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro disse que as investigações indicam que houve uma emboscada para a juíza. Ela tinha ido ao local, para levar as filhas que iriam passar o Natal com o pai.

Outros crimes

Na tarde de ontem (25), guardas municipais da Unidade de Ordem Pública de Copacabana prenderam um homem acusado de agredir a mulher na Praia de Copacabana, na altura do Hotel Copacabana Palace, na zona sul do Rio. Os agentes faziam patrulhamento na orla da praia e avistaram um tumulto na areia e ao se aproximarem notaram que o homem estava sendo espancado por um grupo de pessoas, acusado de ter agredido a companheira, que carregava o filho no colo.

Os guardas prenderam o acusado após interromper a tentativa de linchamento e o levaram, junto com a mulher vítima de violência, para a 12ª DP (Copacabana), onde o caso foi registrado com base na Lei Maria da Penha. 

A vítima, com um corte na boca em consequência da agressão, foi levada pelos guardas para o Instituto Médico Legal (IML), para ser submetida ao exame de corpo de delito.

De acordo com a Guarda Municipal, foi a terceira prisão efetuada por seus agentes em casos de violência contra a mulher nesta semana. A primeira ocorrência foi na quarta-feira (23), no centro, e o acusado foi enquadrado na Lei Maria da Penha; a segunda foi a agressão na Praia de Copacabana, e a terceira ocorrência foi a prisão em flagrante do ex-marido da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi.

Fonte: Agencia EBC

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Policial

Homem furta resgate da Rodovias do Tietê e causa vários acidentes

Redação

Publicado

em

Por

Os socorristas da concessionária rodovias do tietê foram vítimas de furto da unidade de resgate na tarde desta sexta-feira em hortol ndia.

O furto aconteceu no quilômetro 12, sp-101, sentido campinas, após o homem se envolver em acidente e ser atendimentos pela equipe de resgate.

Ele aproveitou o momento que não havia ninguém próximo do veículo e furtou, percorrendo cerca de 22 quilômetros com o veículo.

Viatura da Polícia Militar Rodoviária acompanhou o indivíduo, que só parou após bater em dois veículos e também em um poste e estourar o pneu na guia da calçada na região do ouro verde, em campinas.

À ocorrência está sendo apresentada na delegacia da Segunda Seccional.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Policial

Homem é preso no Boa Esperança com 5 tijolos de maconha

Portal Hortolândia

Publicado

em

No final da tarde dessa segunda (11), uma equipe de Escolta em patrulhamento pela cidade de Hortolândia, pelo bairro Jardim Boa Esperança, deparo-se com um Corsa branco.

O policiais abordaram o condutor que apresentou muito nervosismo acionando o freio bruscamente ao ponto do veículo quase desligar, apos um breve acompanhamento pelas ruas do bairro. Após a abordagem a equipe realizou a busca pessoal no indiciado e nada de ilícito foi encontrado com o mesmo, porém ao realizar a busca veicular foi localizado no banco traseiro do veículo uma sacola contendo 05 (cinco) tabletes, aparentando ser maconha, onde foi dado voz de prisão ao indivíduo.

Diante dos fatos o indiciado, juntamente com o veículo Corsa e a droga encontrada, foram conduzidos até o Plantão Policial de Hortolândia, Delegado ratificou a voz de prisão, onde o indiciado permaneceu à disposição da justiça.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Policial

PM detém seis pessoas por roubo, furto e apreendeu 96 mil pinos para embalar cocaína

Portal Hortolândia

Publicado

em

A Polícia Militar deteve cinco homens e uma mulher por roubo e furto de veículos na noite desta segunda-feira, em Campinas. Com parte deles, também foram encontradas embalagens usadas para embalo de drogas e munições.

Segundo a corporação, dois dos suspeitos estavam dentro de um carro modelo Honda Fit e foram abordados próximo à Rua Barão de Jaguara, no Centro. Já os outros criminosos foram localizados na mesma região, em um Renault Kwid. Os veículos foram levados dos proprietários no fim de semana e a investigação ainda vai apurar se os casos têm relação.

Os donos dos carros foram até o 1º Distrito Policial de Campinas para recuperar os automóveis. A proprietária do Honda Fit disse que o veículo foi levado de dentro da casa dela, no bairro Ponte Preta.

Já o outro carro é de um motorista de transporte por aplicativo. Ele foi abordado na madrugada de domingo por três pessoas. Os suspeitos, entre eles a mulher, chamaram a corrida e, depois de um quilômetro, anunciaram o assalto com uma faca. 

No apartamento de um dos criminosos, a polícia apreendeu 96 mil pinos para embalar cocaína e munições de revólver calibre 32.

Todos os seis detidos tinham passagem pela Polícia. Dois deles foram ouvidos e liberados, enquanto que os outros quatro ficaram presos à disposição da justiça. 

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares