Connect with us

São Paulo

Estado faz acordo com supermercados para oferta de álcool em gel a preço de custo

Portal Hortolândia

Publicado

em

O Governador João Doria anunciou nesta quinta-feira (19) um acordo com supermercados para oferta de álcool em gel a preço de custo em todas as regiões do Estado. O produto é um dos principais itens recomendados por autoridades de saúde para prevenção e combate ao novo coronavírus.

“A partir de 23 de março, os supermercados venderão o produto com margem zero. Nenhum valor adicional”, afirmou Doria. “Isso certamente vai impor uma redução no preço para o consumidor”, acrescentou o Governador.

A medida ainda não abrange o álcool em gel vendido em farmácias, mesmo aquelas que funcionam dentro de supermercados. A decisão foi viabilizada por um comitê executivo sob coordenação da Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, e formado por representantes do Estado e empresários. O setor supermercadista foi representado pela Associação Paulista de Supermercados (Apas).

Valor

Segundo o Governador, o preço promocional deve começar a valer a partir da próxima segunda-feira (23). Os lojistas se comprometeram a praticar no varejo o valor que os produtores cobrarem no atacado pelo álcool em gel.

Doria também afirmou que o acordo foi facilitado por uma decisão do Ministério da Saúde. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permitiu alteração nos protocolos de produção do álcool em gel para aumentá-la na escala exigida pela pandemia.

“Ao Ministério da Saúde e à Anvisa, os nossos cumprimentos por terem entendido o caráter emergencial em que estamos neste momento. O Ministro Luiz Henrique Mandetta tem sido correto nas relações com o Governo de São Paulo”, disse o Governador.

A procura pelo álcool em gel em São Paulo aumentou a ponto de provocar desabastecimento em praticamente todas as regiões do Estado. Especialistas em saúde recomendam o uso frequente do produto para higiene das mãos e também de objetos, móveis e superfícies que possam ter sido contaminados pelo coronavírus.

São Paulo

CORONAVIRUS: Estado de São Paulo registra mais 28 mortes em 1 dia

Redação

Publicado

em

Por

O Estado de São Paulo registra nesta quarta-feira (1º) 164 óbitos relacionadas ao novo coronavírus, um aumento de 21% desde ontem. Foram confirmadas 28 mortes somente hoje, com o maior aumento em números absolutos em um período de 24 horas.

Hoje, houve confirmação do primeiro óbito em três cidades: São Sebastião, no Litoral Norte; Suzano, do Alto Tietê; e Cotia, na Grande São Paulo.

Assim, salta para 16 o número de municípios com mortes pela doença, a saber: São Paulo, Guarulhos, Osasco, Embu das Artes, Ribeirão Preto, Santo André, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Sorocaba, Taboão da Serra, Campinas, Caieiras, Suzano, São Sebastião, Vargem Grande Paulista e Cotia.

Entre as 164 mortes, 20 tinham mais de 90 anos; 50 na faixa de 80-89 anos; 45 entre 70-79; 32 de 60-59 anos. Outros 17 tinham idade equivalente ou inferior a 59 anos, todos com comorbidades que, assim como os idosos, representam grupo mais vulnerável a complicações da COVID-19. O total soma 96 homens e 68 mulheres.

“Diante do volume de notificações e da ampliação da capacidade de diagnóstico e seguindo o compromisso de manter a transparência, alteramos a metodologia de contabilização dos casos por faixas etárias”, explica o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

O Estado de São Paulo também registra também 2.981 casos confirmados, um aumento de 27% com relação ao dia de ontem.

Continue Lendo

São Paulo

Governo de SP vai apertar o cerco contra preços abusivos do botijão de gás

Portal Hortolândia

Publicado

em

O Procon.SP e o Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) vão atuar conjuntamente no combate, identificação e punição à prática de preços abusivos de botijões de gás. A ação é mais uma medida de enfrentamento à crise causada pelo impacto econômico da pandemia do coronavírus. O Governador João Doria fez o anúncio nesta quarta-feira (1º) e destacou que os abusos não serão tolerados.

“O Procon São Paulo está autorizado a agir, de acordo com a lei, para proteger o interesse público, especialmente da população de baixa renda”, disse Doria.

O Diretor Geral do Procon-SP, Fernando Capez, informou que, em casos mais extremos, o valor chegou a R$ 130. Ele informou que, para coibir tais práticas, o Procon-SP contará com o apoio das viaturas do Dope.

Os policiais do departamento que estiverem em patrulhamento farão abordagem de fornecedores de botijões de gás, caso identifiquem aglomeração de pessoas ou preços abusivos. As equipes do Procon-SP serão acionadas para aplicação das sanções previstas na legislação.

Os fornecedores que forem flagrados realizando vendas a preços abusivos serão multados e conduzidos às delegacias de polícia para que respondam por crime contra a economia popular. “Não há risco de desabastecimento de botijões de gás. Não há nenhuma justificativa para que as pessoas se aglomerem nos pontos de venda e paguem mais caro”, afirmou Capez.

Em diálogo com o Sindicato de Fornecedores de Gás, o órgão estadual confirmou que não houve qualquer alteração nos custos que pudesse justificar a elevação dos preços cobrados dos consumidores.

Denúncias

Apenas no período da quarentena, já foram registradas mais de 120 denúncias online contra preços abusivos do botijão de gás, nas redes sociais, aplicativo e site do Procon-SP.

Considerando a orientação de manter o isolamento e evitar sair de casa, o Procon-SP disponibiliza canais de atendimentos à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais, marcando @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Continue Lendo

São Paulo

Cetesb constata diminuição da poluição em SP durante a quarentena

Redação

Publicado

em

Por

Desde 20 de março, companhia tem registrado, em estações de monitoramento da região, qualidade do ar boa para poluentes primários

A quarentena estabelecida no Estado de São Paulo, em função da COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus), provocou uma diminuição das atividades e consequentemente da circulação de veículos, reduzindo as emissões atmosféricas geradas por este tipo de fonte na Região Metropolitana de São Paulo.

Desde 20 de março, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) tem registrado, em todas as 29 estações de monitoramento da região, qualidade do ar boa para os poluentes primários, aqueles emitidos diretamente pelas fontes poluidoras.

Além do menor número de veículos em circulação, as condições mais livres do trânsito e a ausência de engarrafamentos também contribuem para uma menor emissão de poluentes. A companhia esclarece que a qualidade do ar também é fortemente influenciada pelas condições meteorológicas de dispersão dos poluentes.

Desse modo, segundo a Cetesb, é complexo quantificar exatamente a contribuição da redução atual das atividades na melhoria da qualidade do ar, durante o período da COVID-19.

Os níveis de monóxido de carbono, indicadores da emissão de veículos leves em grandes centros urbanos, estão atualmente entre os mais baixos do corrente mês de março na região. Durante o período de dez dias, a Cetesb observou, nas 13 estações que medem o poluente na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), que a queda dos níveis de CO foi mais acentuada nas estações próximas às grandes vias de tráfego.

Resultados

A concentração máxima foi de 1,0 parte por milhão (média de 8 horas), verificada na estação Marginal Tietê – Ponte dos Remédios, frente a um padrão de 9,0 partes por milhão (ppm). Embora tenha havido uma queda dos níveis do poluente devido à diminuição das atividades, o padrão não é ultrapassado desde 2008 na RMSP, em função de programas de controle desenvolvidos ao longo do tempo.

Por outro lado, é necessário dispor de um período mais extenso para obter uma análise mais conclusiva dos impactos da redução das atividades econômicas e de circulação na qualidade do ar em todo o Estado, fundamentada em técnicas consolidadas.

A Cetesb continuará a acompanhar a situação e permanecerá medindo a qualidade do ar em tempo real, em toda a rede de estações automáticas, e mantendo informada a população pela internet, por meio dos seguintes links: https://servicos.cetesb.sp.gov.br/qa/ e https://cetesb.sp.gov.br/ar/qualar/. As informações também podem ser obtidas pelos relógios de rua e pelo aplicativo para celular.

Continue Lendo