Connect with us

Economia

Ano novo, casa nova: panorama para o mercado imobiliário em 2020

Portal Hortolândia

Publicado

em

Muitos brasileiros pretendem comprar um imóvel no próximo ano, mas é preciso ter cautela e pesquisar o mercado imobiliário antes de fechar negócio

Você já fez a sua lista de pedidos para 2020? Por acaso comprar um imóvel está entre os desejos para o ano novo? Pois saiba que você não está sozinho nessa.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), ter a casa própria é o segundo maior sonho dos brasileiros, perdendo apenas para viagens internacionais.

No entanto, é de amplo conhecimento que a economia atual está frágil, o que impacta diretamente a aquisição de grandes bens. É preciso estar atento às mudanças do mercado imobiliário, assegurando uma boa compra.

Pensando nisso, preparamos esse conteúdo exclusivo para quem pretende virar o ano com uma nova edificação. Confira as perspectivas do mercado imobiliário para 2020:

Quais as principais tendências para o mercado imobiliário em 2020?

Forte aumento do investimento em financiamento imobiliário

É esperado que o governo federal incentive distintos tipos de financiamento em 2020. O Minha Casa, Minha Vida, por exemplo, terá uma grande expansão para atender às famílias de baixa renda.

O Ministério da Economia também afirmou que 250 empresas privadas pretendem investir no mercado imobiliário brasileiro, acumulando um valor de R$ 60 bilhões para os próximos anos.

Variedade de ofertas de crédito

A variedade de crédito tende a ser maior no próximo ano, pois algumas taxas de juros tendem cair. A principal delas é a Selic, sigla para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. Sua maior finalidade é a taxação de bens de longa duração, como é o caso dos imóveis.

Com a sua queda, o mercado imobiliário pode aquecer. Até o final de 2019, a taxa Selic estava em 4,5%, uma das menores em anos. Por isso, o início de 2020 pode ser o momento ideal para adquirir uma casa. Isso, claro, se as taxas continuarem em níveis baixos.

Valorização de imóveis

2020 também pode representar o ano da valorização de imóveis, indo em sentido contrário aos últimos anos. Como a inflação está em queda, os juros também cairão, gerando estabilidade dos preços das edificações e um cenário extremamente positivo.

Compra maior que oferta

De acordo com um levantamento realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em 2019, mais imóveis foram comprados do que lançados à venda. Essa onda resultou em uma queda de 8,7% no estoque, seja de edificações em obras, na planta ou, até mesmo, de apartamentos recém-construídos.

Para o mercado imobiliário isso é extremamente vantajoso, pois indica que o brasileiro está à procura da tão sonhada casa, mesmo em um momento econômico delicado.

2020 é o ano ideal para comprar um imóvel?

É esperado que nos próximos cinco anos mais de 14 milhões de edificações sejam construídas no Brasil. Ou seja, em um curto espaço de tempo, o setor imobiliário enfrentará grande crescimento.

Com isso, o momento ideal para adquirir um imóvel pode ser 2020. Com o real desvalorizado, a taxa Selic baixa, o valor das construções também tendem a baixar.

A expectativa é grande para a nova década, mas é preciso estar atento. Do mesmo jeito que a economia está em baixa agora, o país pode voltar a prosperar nos próximos anos, resultando em um novo aumento dos imóveis.

A dica fundamental é: planeje-se para que no final de 2020 a casa própria seja um desejo realizado. Pense bem no dinheiro que pode gastar e pesquise as melhores ofertas do mercado. Chegou o momento para pegar as chaves do seu lar!

Economia

Petrobras reduz preço da gasolina, do diesel e do gás de cozinha

Portal Hortolândia

Publicado

em

gasolina

A Petrobras anunciou, nesta quarta-feira (18), a redução nos preços do litro da gasolina, em 12%, do diesel, em 7,5% e do gás de cozinha (GLP), em 5%. Os valores referem-se aos produtos vendido pelas refinarias da estatal e valerão a partir desta quinta-feira (19).

Os valores finais aos motoristas dependerão de cada posto e distribuidor de GLP, que acrescem impostos, taxas, custos com mão de obra. Além disso, o mercado brasileiro é baseado na livre concorrência, fazendo com que cada empresa cobre o que achar melhor, segundo explica a Petrobras.

“Os preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras têm como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços).”

De acordo com pesquisa semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 8 e 14 de março, os preços médios ao consumidor no país para a gasolina era de R$ 4,515. Para o diesel, o preço médio era de R$ 3,618. E para o GLP, botijão de 13kg, R$ 69,98.

A Petrobras lembra também que a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo “A”, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel.

Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo “A” misturados a biocombustíveis.

Continue Lendo

Economia

Preço da gasolina nas refinarias cai 9,5% e do diesel, 6,5%

Portal Hortolândia

Publicado

em

gasolina

A crise econômica mundial causada pela pandemia do novo coronavírus e a disputa entre Rússia e Arábia Saudita sobre o nível de produção do petróleo fizeram baixar o preço dos combustíveis nas refinarias da Petrobras. Segundo a estatal, a gasolina teve redução de 9,5% e o diesel, de 6,5%. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (12).

Os novos preços estarão em vigor a partir desta sexta-feira (13) nas vendas às distribuidoras, mas os valores finais aos motoristas dependerão de cada posto, que acrescem impostos, taxas e custos com mão de obra. Além disso, o mercado brasileiro é baseado na livre concorrência, fazendo com que cada empresa cobre o que achar melhor, segundo explica a Petrobras.

“Os preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras têm como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos 9como volatilidade do câmbio e dos preços).”

De acordo com pesquisa semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 1º e 7 de março, o preço médio ao consumidor no país, para a gasolina, era de R$ 4,531. Para o diesel, o preço médio era de R$ 3,661.

fonte ebc

Continue Lendo

Economia

ITAU lançou o ITI, app de pagamento instantâneo

Portal Hortolândia

Publicado

em

Além de ser uma forma instantânea de pagamento, o Iti Itaú também possibilita que você realize transferências para qualquer pessoa da sua lista de contatos, realizando o pagamento via cartão de crédito de qualquer banco ou com o saldo disponível na própria conta do Iti.

Outra vantagem do aplicativo é sua gratuidade: o Iti não possui nenhum tipo de anuidade e pode ser utilizado por qualquer pessoa física ou jurídica, portanto sendo uma boa opção para quem quer uma conta para gerenciar o próprio negócio. Além disso, você não precisa abrir uma conta no Itaú para usar o aplicativo: basta seguir os passos a seguir.

Como abrir uma conta digital no Iti Itaú

A seguir, vamos explicar o passo a passo para se cadastrar e usar o app para fazer e receber pagamentos diretamente no seu smartphone. Lembrando que não é preciso ter uma conta no Itaú para fazer uso da novidade.

Como abrir sua conta digital

Passo 1: antes de tudo, é preciso pesquisar o aplicativo na loja e fazer a instalação, que é gratuita. Ao abrir a aplicação pela primeira vez, deslize as telas de introdução para a esquerda ou selecionar “pular”, no canto inferior esquerdo. Então, basta clicar em “Criar cadastro.”

Passo 2: agora, é hora de escolher se você deseja uma conta pessoal ou corporativa. Então, preencha os dados necessários (nome completo, CPF, endereço, renda, e-mail, etc.) e faça o envio de uma selfie.

Passo 3: após fazer o cadastro, toque em “Entrar” e faça o login na sua conta. Caso você tenha a opção, também é possível habilitar o acesso rápido a partir do leitor de digital ou de rosto no seu smartphone.

Passo 4: agora que você já realizou o cadastro, é possível depositar dinheiro na conta digital criada. Para isso, é possível gerar um boleto para pagamento ou realizar uma transferência. Além disso, aproveite para cadastrar seus cartões de crédito para utilizá-los em futuros pagamentos.

Pronto, sua conta foi criada! A partir de agora você já pode pagar pessoas e estabelecimentos que aceitem o Iti Itaú, além de receber pagamentos, fazer transferências e até mesmo realizar cobranças, tudo diretamente do seu celular.

Fonte: seucreditodigital

Continue Lendo