Connect with us

Economia

Boleto: como o MEI pode emitir sem pagar nada por isso?

Portal Hortolândia

Publicado

em

Uma das formas mais conhecida de cobrar os cliente é o boleto. Porém muitos microempreendedores não fazer a cobrança por esse método pois as taxas bancárias acabam não compensando.

O boleto ainda está entre uma das mais tradicionais e usadas formas de pagamento no Brasil. Isso porque pode ser emitido tanto por pessoas físicas, quanto por pessoas jurídicas, e possui diferentes tipos e modalidades.

Para emitir o boleto, em grande parte das instituições financeiras funciona assim:

  • Você abre uma conta bancária e contrata uma carteira de cobrança.
  • Ao gerar o documento, os campos específicos deverão ser preenchidos para garantir que o valor pago chegue ao destino final.
  • A cobrança sobre este serviço pode variar de banco para banco.

Alguns cobram por emissão, outros por compensação do boleto e tem aqueles que ainda cobram uma taxa fixa de manutenção do serviço.

Mas o que a maioria dessas instituições têm em comum é a certeza de que a cobrança pela utilização deste serviço pesará sobre o seu bolso.

Por que vale a pena utilizar o boleto?

Com tantas outras ferramentas de cobrança disponíveis no mercado, por que apostar no boleto?

Para microempreendedores e pequenas empresas, o boleto oferece vantagens que podem facilitar muito o dia a dia e simplificar o recebimento das vendas.

Confira abaixo algumas vantagens de utilizar boletos:

  • Diversificação dos meios de recebimento – assim você facilita a vida do seu cliente e não perde vendas;
  • Cobrança de maneira impessoal – possibilidade de enviar o boleto por e-mail ou Correios, sem a necessidade de realizar a cobrança presencialmente;
  • Possibilidade de cobrança mesmo para aqueles que não têm acesso a serviços bancários;

Como o MEI pode emitir boleto sem pagar nada por isso?


Quem é empreendedor sabe o quanto cada economia pode fazer diferença nas finanças da empresa, não é mesmo?!

E é por entender as dificuldades enfrentadas pelo Microempreendedor e buscando facilitar sua rotina, que o Banco Inter desenvolveu a única conta 100% digital e gratuita para MEI.

Por meio da Conta Digital MEI você pode emitir até 100 (cem) boletos por mês, sem pagar nada. E você pode utilizá-los para depositar dinheiro na sua conta. Mas vale lembrar que os boletos do Banco Inter não geram encargos automaticamente, além disso a opção de alterar sacado do boleto está indisponível por tempo indeterminado, ou seja, para garantir a segurança das suas transações, os dados descritos no boleto serão apenas do titular.

Conheça outros serviços  da Conta Digital MEI:

  • Até 100 TEDs gratuitos por mês
  • Lista de favorecidos para transferências frequentes;
  • Convênio com as principais máquinas de cartão do mercado, para recebimentos via débito e crédito;
  • Agendamento de transferências;
  • Pagamento de contas;
  • Depósito de cheque por imagem;
  • Depósito de dinheiro em conta via boleto;
  • Transações via QR Code pelo Interpag;
  • Saques na Rede 24h;
  • Cartão Mastercard sem anuidade;

Passo a passo para abrir a Conta MEI e emitir boletos grátis

Antes que consiga solicitar a conta digital MEI, é preciso que você tenha um cadastro ativo do Microempreendedor Individual, que você consegue no site do Portal do Empreendedor, além de uma conta digital para pessoa física do Banco Inter.

Se você já é correntista, pode pular o passo de abertura da conta digital PF e ir direto para a solicitação da conta digital MEI.

Confira abaixo os passos necessários para abri-la:

1: Acesse a página da conta digital MEI;

2: Clique no botão ‘Solicitar convite agora’;

3: Preencha seu cadastro e aguarde;

4: Quando a sua solicitação for aprovada, você receberá um e-mail com instruções para concluir o processo de abertura da conta.

E se por algum motivo você tiver que interromper o seu cadastro, não se preocupe!

A qualquer momento você pode retomá-lo no site da conta digital, clicando no botão ‘Continuar cadastro’.

Depois que a sua conta já estiver aberta, você poderá acessá-la por meio do aplicativo da conta digital para pessoa física, ou pelo Internet Banking.

Você só precisa fazer o login com os dados da sua Conta MEI.

Agora que você já sabe como o boleto pode ajudar no seu negócio, que tal começar a utilizar a nossa Conta Digital MEI? Abra já a sua e comece a economizar em tarifas bancárias!

Acesse o link e saiba mais
https://www.contacomagente.com.br/index.php/boleto-como-o-mei-pode-emitir-sem-pagar/

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Economia

Com saque do FGTS liberado, especialista da Anhanguera de Sumaré alerta para uso estratégico do recurso

Portal Hortolândia

Publicado

em

Especialista recomenda não utilizar o valor liberado pelo Governo Federal em supérfluos; foco são bens e serviços essenciais e reorganização da vida financeira

O saque emergencial no valor de até R$ 1.045 de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) passou a valer a partir do dia 29 de junho. De acordo com o Governo Federal, serão liberados cerca de R$ R$ 37,8 bilhões para 60 milhões de trabalhadores. O pagamento será realizado por meio de Conta Poupança Social Digital, aberta automaticamente pelo banco pagador. De acordo com calendário da instituição bancária, os depósitos do FGTS serão realizados até o dia 21 de setembro, de acordo com o mês de nascimento do beneficiário. O dinheiro vai ficar disponível na conta até 30 de novembro; e caso não haja movimentação, os recursos voltam para o saldo do trabalhador no fundo.

Essa é uma das medidas que o Governo Federal assume para atenuar os impactos na economia nacional, o que segundo a coordenadora do curso de Administração da Anhanguera de Sumaré, Mônica Parreira Coimbra, vem em boa hora. “A paralisação das atividades de muitas empresas em decorrência da pandemia elevou a taxa de desemprego e, consequentemente, reduziu a renda de muitos brasileiros. Segundo os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a taxa de desocupação passou de 11,28% para 12,6% no trimestre finalizado em abril, atingindo 12,8 milhões da população”, alerta a especialista.

Frente a esse cenário, a professora Mônica é bastante categórica sobre a destinação desse valor. “Diante desse cenário de grandes incertezas, precisamos estar atentos quanto à destinação do valor do saque do FGTS. Primeiramente, é necessário entender que o valor de R$ 1.045 foi aprovado justamente para reduzir os impactos econômicos causados pela pandemia, ou seja, é um recurso que visa auxiliar as pessoas nesse momento de crise”, pontua.

Confira algumas estratégias elencadas pela especialista para o bom uso desse recurso.

Foco em bens e serviços essenciais

O primeiro direcionamento que a professora dá para que os beneficiados usem esse valor com inteligência é focar em bens e serviços essenciais. Nada de supérfluos. “Alimentação, itens de higiene, vestuário, contas de água e energia elétrica são alguns exemplos. Caso seja necessária a compra de algum bem durável (geladeira, fogão entre outros bens), deve-se evitar, se for possível, o parcelamento. O ideal é utilizar o recurso do saque do FGTS para complementar o pagamento à vista desses bens salienta.”

Pague contas atrasadas e poupe para emergências

Se contas essenciais estão atrasadas e não podem esperar, esse é o momento de quitar essas dívidas. Caso os gastos s estejam em dia e estabilizados – sem desespero para o uso do recurso liberado – o saque do FGTS pode ser um excelente momento para poupar. “Se for possível, devemos guardar uma parte desses recursos para imprevistos que venham surgir ao longo desse período tão delicado que estamos passando”.

Reorganize a vida financeira

Em momentos de isolamento social e parcimônia com os gastos, a professora da Anhanguera relata que pode ser bem interessante agir na reorganização da vida financeira. “Precisamos reavaliar o nosso padrão de consumo e redefinir nossas contas. O momento é delicado e requer nossa atenção quanto à destinação dos nossos recursos financeiros, não somente do valor de R$1.045, mas também de toda a nossa renda. É possível readequar nossos gastos, além cancelar o que não precisamos agora”.

Sobre a Anhanguera 

Fundada em 1994, a Anhanguera já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância.  

Presente em todos os estados brasileiros, a Anhanguera presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais.  Em 2014, a instituição passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse: https://www.anhanguera.com 

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Brasil

Caixa começa a pagar FGTS emergencial; veja quem recebe

Redação

Publicado

em

Por

A CAIXA inicia, nesta segunda-feira (29), o pagamento do Saque Emergencial FGTS, de acordo MP 946/20, para 4,9 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro. Nessa primeira etapa, o total de recursos liberados somam mais de R$ 3,1 bilhões. O novo saque tem como objetivo o enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Governo Federal em razão da COVID-19 e movimentará durante todo calendário mais de R$ 37,8 bilhões para aproximadamente 60 milhões de trabalhadores.

O pagamento do Saque Emergencial FGTS será realizado por meio de crédito em Conta Poupança Social Digital, aberta automaticamente pela CAIXA em nome dos trabalhadores. O valor do Saque Emergencial é de até R$ 1.045, considerando a soma dos saldos de todas contas ativas ou inativas com saldo no FGTS.

Calendário de crédito em conta e saque:
O pagamento do Saque Emergencial FGTS será realizado por meio de crédito em poupança social digital aberta automaticamente pela CAIXA em nome dos trabalhadores, conforme calendário a seguir:

O calendário foi estabelecido com base no mês de nascimento do trabalhador e contém a data que corresponde ao crédito dos valores na conta poupança social digital, quando os recursos poderão ser utilizados em transações eletrônicas, além da data a partir de quando os recursos estarão disponíveis para saque em espécie ou transferência para outras contas.

Como movimentar a Poupança Social Digital:
A Conta Poupança Social Digital é uma poupança simplificada, sem tarifas de manutenção, com limite mensal de movimentação de R$ 5 mil.

A movimentação do valor do saque emergencial poderá, inicialmente, ser realizada por meio digital com o uso do aplicativo CAIXA Tem, sem custo, evitando o deslocamento das pessoas até as agências. Logo após o crédito dos valores, será possível realizar compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e QR Code, por meio de mais de 9 milhões de maquininhas de cartão espalhadas por todo o Brasil. O trabalhador também poderá realizar o pagamento de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral.

A partir da data de disponibilização dos recursos para saque ou transferência, também de acordo com o mês de nascimento, os trabalhadores poderão transferir os recursos para contas em qualquer banco, sem custos, ou realizar o saque em espécie nas agências da CAIXA, terminais de autoatendimento e casas lotéricas.

Cancelamento e desfazimento do crédito automático:
Se o trabalhador não quiser receber o saque emergencial, pode informar essa opção pelo App FGTS com pelo menos 10 dias antes da data prevista para o crédito na poupança social digital, conforme o calendário.

Após o crédito dos valores na conta poupança social digital, o trabalhador poderá solicitar o seu desfazimento. Os valores retornarão à conta do FGTS devidamente corrigidos, sem prejuízo ao trabalhador. A solicitação de desfazimento do crédito do Saque Emergencial não pode ser desfeita.

Caso não haja movimentação na conta poupança social digital até 30/11/20, o valor será devolvido à conta FGTS com a devida remuneração do período, sem nenhum prejuízo ao trabalhador. Se após esse prazo, o trabalhador decidir fazer o saque emergencial, poderá solicitar pelo APP FGTS até 31/12/2020.

Canais de consulta:
A CAIXA disponibilizou os seguintes canais de atendimento para o Saque Emergencial FGTS:

  • Site fgts.caixa.gov.br:
    o Consultar o valor do saque;
    o Consultar a data em que o recurso será creditado na poupança social digital, conforme calendário;
    o Informar que não deseja receber o valor do saque;
    o Solicitar o desfazimento do crédito feito na poupança social digital.
  • Central de Atendimento CAIXA 111, opção 2 :
    o Consultar o valor do saque;
    o Consultar a data em que o recurso será creditado na poupança social digital, conforme calendário.
  • Internet Banking CAIXA:
    o Consultar o valor do saque;
    o Consultar a data em que o recurso será creditado na poupança social digital, conforme calendário;
    o Informar que não deseja receber o valor do saque;
    o Solicitar o desfazimento do crédito feito na poupança social digital.
  • APP FGTS
    o Consultar o valor do saque;
    o Consultar a data em que o recurso será creditado na poupança social digital, conforme calendário;
    o Informar que não deseja receber o valor do saque;
    o Solicitar o desfazimento do crédito efetuado na poupança social digital;

Alerta:
A CAIXA não envia mensagens com solicitação de senhas, dados ou informações pessoais. Também não envia links ou pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.

A CAIXA disponibiliza os seguintes canais de atendimento para informações sobre o Saque Emergencial FGTS: site fgts.caixa.gov.br, Telefone 111 – opção 2, Internet Banking CAIXA e o APP FGTS.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Economia

Que começar a investir? A FGV Online oferece cursos gratuitos sobre o tema

Portal Hortolândia

Publicado

em

Cada vez é mais comum conhecermos pessoas que querem ou já estão investindo seu dinheiro para que possam usufruir destes ganhos no futuro, seja para comprarem algum bem, para fazerem a viagem dos sonhos ou mesmo para conseguirem se aposentar com mais tranquilidade.

Se você se interessa pelo tema mas não tem o conhecimento necessário para começar este processo, saiba que a FGV Online disponibiliza gratuitamente o curso “Como fazer investimentos 1”, mediado pelo Professor Fabio Gallo Garcia, que é Doutor em Finanças pela EAESP-FGV e Doutorando em Filosofia pela PUC-SP, com carga horária de 12 horas e início imediato.

Neste curso você irá adquirir conhecimentos essenciais para definição e realização de investimentos e entenderá mais e melhor sobre as características de diversas aplicações, com destaque para aquelas relacionadas a fundos de investimento.

Lembrando que para quem quiser se aprofundar ainda mais, a FGV Online oferece a sequencia “Como fazer investimentos 2”, onde temas como carteira bem diversificada de ações, correlação entre ativos, risco sistemático e investimento em ouro e derivativos serão abordados.

Quero me inscrever

A inscrição é fácil e rápida. Basta acessar este link (clique aqui), clicar em “Inscreva-se”, fazer seu cadastro na plataforma e começar os estudos!

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares