Connect with us

Economia

Comgás aproveita a entressafra da cana-de-açúcar para estimular a venda do Gás Natural Veicular

Portal Hortolândia

Publicado

em

Entre as ações da empresa estão a redução do preço do GNV e divulgação da economia de mais de 50% no custo comparativo com outros combustíveis, localização estratégica de rede de postos de abastecimento e parcerias com concessionárias e veículos frotas para a conversão dos motores.

teste GNV

A elevação do preço do Etanol nesse período da entressafra da cana de açúcar deve aumentar a procura pelo Gás Natural Veicular – GNVA, já que a economia proporcionada está variando de 48% a 51%. Aproveitando-se dessa grande vantagem econômica, a Comgás está intensificando as ações de esclarecimento sobre os benefícios do GNV na sua estratégica rede de postos de abastecimento localizados na sua área de concessão.

Somente na área de concessão da Comgás (Região Administrativa de Campinas, Região Metropolitana de São Paulo, Vale do Paraíba e Baixada Santista) existem 320 postos de abastecimento em operação. Desses, 12 estão situados em Campinas e 32 estão na RMC.

A empresa também investiu em uma oferta mais agressiva para emplacar o GNV e reduziu, no último trimestre, o preço do Gás Natural Veicular em R$ 0,13, em média, para o consumidor final, chegando a R$ 1,599 o metro cúbico.

Entre as ações dessa campanha, a Comgás passou, ainda, a firmar parcerias com concessionárias de veículos 0km localizadas em sua área de concessão para oferecer a conversão para o gás no momento da compra do veículo, mantendo a garantia do veículo e fortalecendo o desenvolvimento de novos canais de vendas para frotas e taxistas.

Para os motoristas interessados em realizar a conversão em seus automóveis usados, o kit GNV o kit está sendo comercializado a partir de R$ 2.500,00, lembrando que o preço varia de acordo com o ano do veículo, tecnologia do kit e volume do cilindro.

GNV

Comparativos

A Comgás disponibiliza em seu site (www.comgas.com.br) um simulador de consumo para que os motoristas possam analisar a diferença dos preços entre os combustíveis veiculares e instalou em toda a rede de postos que comercializam o GNV placas comparando o custo por quilômetro rodado com o gás e com a gasolina. Os cálculos demonstram que o motorista que usa GNV roda duas vezes mais do que os que usam os demais combustíveis, principalmente o etanol hidratado e a gasolina.

Atualmente, o preço médio do m³ do GNV no Estado de São Paulo está em R$ 1,654/m³ e o rendimento médio é de 12,5km com 1m³ de gás, enquanto o rendimento médio com a utilização gasolina e etanol é de 10 e 7 km/litro, respectivamente. Comparando o custo atual dos três combustíveis, o GNV apresenta o melhor custo-benefício, com o valor de R$ 0,132 por quilômetro rodado, contra R$ 0,253 do etanol e R$ 0,271 da gasolina.

GNV X Etanol

De acordo com Sergio Silva, diretor de Marketing, Planejamento e Suprimento da Comgás, se o aumento do etanol, devido à entressafra, for similar ao registrado no ano passado, a competitividade com o GNV chegará a 53% (o fator de reajuste da entressafra anterior foi de R$ 1,966 / 7 = R$ 0,281).

A entressafra corresponde ao período de plantio e a reforma dos canaviais, que deve começar no final de março de 2014. Historicamente, durante esse período, os preços do Etanol e derivados de cana-de-açúcar sobem. Segundo pesquisa realizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), na entressafra anterior (novembro/12 a maio/13), os valores do etanol na bomba tiveram reajuste de 10,97%.

No período, o preço do litro do etanol variou de R$ 1,759 (mínimo) a R$ 1,952 (máximo). Nas últimas três entressafras da cana-de-açúcar o preço do etanol variou de 6,35% (nov/11 a maio/12 – de R$ 1,818 a R$ 1,925) a 36,58% (nov/10 a maio/11 – de R$ 1,591 a R$ 2,173).

A Comgás oferece Gás Natural Veicular na sua área de concessão desde 1993. Atualmente, o GNV representa 5% do volume total de gás distribuído pela Comgás (275 milhões de m3 em 2012).

Sergio Silva explica que a proposta é estender as ações em prol ao aumento do consumo do Gás Natural Veicular além do período da entressafra, uma vez que elas reforçam a aposta da empresa no segmento automotivo e na produção de um combustível limpo e econômico, que merece ter atenção na matriz energética do País.

“O segmento de GNV sempre foi uma alternativa interessante para os consumidores, entretanto, o aumento do poder aquisitivo da população, seguido do forte movimento de renovação da frota, ocorrido nos últimos anos, retirou do mercado uma parcela de veículos que consumiam gás natural. É preciso desmistificar o gás natural e coloca-lo na agenda do País”, diz.

Sobre a Comgás

Maior empresa de distribuição de gás natural do Brasil e trabalha para ser a maior e melhor da América Latina. A empresa tem aproximadamente de 10mil km de redes em operação em sua área de concessão: Região Metropolitana de São Paulo, Região Administrativa de Campinas, Baixada Santista e o Vale do Paraíba. Essa área concentra cerca de 25% do PIB Brasileiro.

Atualmente, a Comgás atende a mais de 1,3 milhão de clientes, sendo a maior parte deles (mais de 99%) do segmento residencial, foco estratégico da companhia. Mas é o mercado industrial que consome o maior volume de gás distribuído pela companhia: mais de 70% de todo o gás vendido. A Comgás ainda atende comércio, o setor automotivo, projetos de termo e cogeração.

gnv x etanol

artigo patrocinado



Economia

Novo lote do Auxílio Emergencial é pago nesta quinta-feira

Redação

Publicado

em

Por

A caixa Econômica Federal realiza nesta quinta-feira(21) o depósito da primeira parcela, para novos aprovados e a segunda parcela do Auxílio Emergencial.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Para os beneficiários que vão receber a segunda segunda parcela e não fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos trazem mais restrições: todos vão receber por meio de conta poupança digital da Caixa – mesmo quem recebeu a primeira parcela em outra conta.

Além disso, a poupança digital não vai permitir transferências inicialmente – apenas pagamento de contas, de boletos e compras por meio do cartão de débito virtual. Transferências para outras contas e saques só serão liberados a partir de 30 de maio (veja o calendário ao final da reportagem).

Primeira parcela para novos aprovados

A primeira parcela para esse novo grupo será creditada na conta escolhida pelo beneficiário, da forma como receberam os primeiros beneficiários: nas contas da Caixa, na Poupança Social Digital ou em contas de outros bancos. Esses beneficiários também poderão fazer o saque em espécie do auxílio na data da liberação.

Continue Lendo

Economia

ANP: preço médio de revenda da gasolina acumula queda de 17,11%

Portal Hortolândia

Publicado

em

gasolina

De acordo com a Síntese do Comportamento dos Preços dos Combustíveis, publicada semanalmente pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgada hoje (18), o preço médio de revenda da gasolina C acumula queda de 17,11% em 16 semanas consecutivas de baixa, sendo comercializada a R$ 3,808 o litro entre os dias 10 e 16 deste mês.

Já o etanol hidratado viu o preço médio de revenda recuar 1,2% na semana, acumulando queda de 21,67% em nove semanas consecutivas de baixa. O preço de comercialização do produto no período foi R$ 2,548 o litro.

No item referente ao óleo diesel S500, a ANP registrou queda acumulada no preço médio de revenda de 19,61% em 16 semanas consecutivas de baixa, com o litro comercializado a R$ 3,055.

O gás liquefeito de petróleo (GLP P-13), isto é, o botijão de 13 quilos, teve variação de negativa no preço médio de revenda de 0,21%, constituindo a quinta semana consecutiva de baixa. O botijão de 13 quilos foi comercializado a R$ 69,50.

A pesquisa de preços semanal da ANP visa acompanhar os preços praticados pelas distribuidoras e postos revendedores de combustíveis e se baseia no Levantamento de Preços e de Margens de Comercialização de Combustíveis (LPMCC). Os preços e margens são pesquisados em 459 localidades de todos os estados brasileiros e do Distrito Federal. 

Continue Lendo

Economia

Dia das Mães 2020 – Na RMC, queda nas vendas é estimada em -47,5% em relação a 2019

Portal Hortolândia

Publicado

em

Avaliação realizada pela Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), a partir de dados do Serviço Central de Proteção do Crédito (Boa Vista SCPC), de Campinas e Região, aponta uma redução de (-47,5%) nas vendas, no período referente ao Dia das Mães de 2020, em comparação ao Dia das Mães de 2019. O recuo foi motivado pelo fechamento do comércio da Região, determinado pela pandemia da Covid-19.

De acordo com o economista da ACIC, Laerte Martins, a costumeira contratação de mão de obra temporária é inexistente nesse momento e, com o poder de compra em queda, a perspectiva de presentear as mães fica condicionada a um ticket médio menor. “O destaque positivo é para as vendas online, que refletem uma boa contribuição na quarentena, para a efetivação do comércio eletrônico. Acreditamos que o Dia das Mães deverá subsistir suplantando, com certeza, essa pandemia, e retornando com mais objetividade nas próximas temporadas, para brindar às mães”, afirma Martins.

Consultoria gratuita

A presidente da ACIC, Adriana Flosi, lembra que, com o objetivo de auxiliar os empreendedores a identificar novas oportunidades, mesmo no atual cenário, e transformar problemas em soluções, a Associação, em parceria com o Sebrae, realiza uma série de consultorias gratuitas e personalizadas sobre finanças, vendas, marketing, engajamento de equipe e outros temas.

O credenciamento é feito diretamente pela ACIC por meio do site: https://empreendedor.acicampinas.com.br/consultoria-acic-e-sebrae e as solicitações são encaminhadas ao Sebrae, que distribui as demandas para os seus professores, especialistas nas respectivas áreas.

Vai comprar online? Confira dicas de especialistas em segurança digital, ouvidos pela Boa Vista:

  1. Ao entrar numa loja virtual, olhar se há um cadeado na barra de endereço. Ele garante a criptografia dos dados informados, ou seja, ninguém terá acesso a eles, nem mesmo o vendedor ou a loja;
  2. Verificar se a página apresenta (geralmente no final) o número do CNPJ da empresa, o endereço físico, o telefone e se o endereço virtual começa com “https”;
  3. Verificar o comportamento da empresa quanto à entrega e o diálogo com o consumidor em caso de problemas. Ler os comentários de outros compradores, olhar o Ranking de Reclamações Fundamentadas dos Procons e até mesmo o site www.consumidor.gov.br, administrado pela Secretaria Nacional do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. E consultar a lista “Evite Estes Sites”, dos Procons; 
  4. Não clicar em links enviados por e-mail ou Whatsapp porque eles podem direcionar para sites falsos ou até mesmo disseminar vírus no computador ou no celular para capturar dados dos consumidores;
  5. No Whatsapp, tomar cuidado e evitar acessar links de voucher que oferecem descontos, pois podem ser uma fraude. Procurar comprar de onde conhece e tirar prints de todos os passos da transação para, caso caia num golpe, apresentar à polícia estes documentos.

Laerte Martins – Economista/Diretor ACIC

Continue Lendo