Connect with us
Publicidade


Economia

Dia das Mães 2020 – Na RMC, queda nas vendas é estimada em -47,5% em relação a 2019

Portal Hortolândia

Publicado

em

Avaliação realizada pela Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), a partir de dados do Serviço Central de Proteção do Crédito (Boa Vista SCPC), de Campinas e Região, aponta uma redução de (-47,5%) nas vendas, no período referente ao Dia das Mães de 2020, em comparação ao Dia das Mães de 2019. O recuo foi motivado pelo fechamento do comércio da Região, determinado pela pandemia da Covid-19.

Publicidade

De acordo com o economista da ACIC, Laerte Martins, a costumeira contratação de mão de obra temporária é inexistente nesse momento e, com o poder de compra em queda, a perspectiva de presentear as mães fica condicionada a um ticket médio menor. “O destaque positivo é para as vendas online, que refletem uma boa contribuição na quarentena, para a efetivação do comércio eletrônico. Acreditamos que o Dia das Mães deverá subsistir suplantando, com certeza, essa pandemia, e retornando com mais objetividade nas próximas temporadas, para brindar às mães”, afirma Martins.

Consultoria gratuita

A presidente da ACIC, Adriana Flosi, lembra que, com o objetivo de auxiliar os empreendedores a identificar novas oportunidades, mesmo no atual cenário, e transformar problemas em soluções, a Associação, em parceria com o Sebrae, realiza uma série de consultorias gratuitas e personalizadas sobre finanças, vendas, marketing, engajamento de equipe e outros temas.

O credenciamento é feito diretamente pela ACIC por meio do site: https://empreendedor.acicampinas.com.br/consultoria-acic-e-sebrae e as solicitações são encaminhadas ao Sebrae, que distribui as demandas para os seus professores, especialistas nas respectivas áreas.

Vai comprar online? Confira dicas de especialistas em segurança digital, ouvidos pela Boa Vista:

  1. Ao entrar numa loja virtual, olhar se há um cadeado na barra de endereço. Ele garante a criptografia dos dados informados, ou seja, ninguém terá acesso a eles, nem mesmo o vendedor ou a loja;
  2. Verificar se a página apresenta (geralmente no final) o número do CNPJ da empresa, o endereço físico, o telefone e se o endereço virtual começa com “https”;
  3. Verificar o comportamento da empresa quanto à entrega e o diálogo com o consumidor em caso de problemas. Ler os comentários de outros compradores, olhar o Ranking de Reclamações Fundamentadas dos Procons e até mesmo o site www.consumidor.gov.br, administrado pela Secretaria Nacional do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. E consultar a lista “Evite Estes Sites”, dos Procons; 
  4. Não clicar em links enviados por e-mail ou Whatsapp porque eles podem direcionar para sites falsos ou até mesmo disseminar vírus no computador ou no celular para capturar dados dos consumidores;
  5. No Whatsapp, tomar cuidado e evitar acessar links de voucher que oferecem descontos, pois podem ser uma fraude. Procurar comprar de onde conhece e tirar prints de todos os passos da transação para, caso caia num golpe, apresentar à polícia estes documentos.

Laerte Martins – Economista/Diretor ACIC

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Brasil

Governo Federal defini novo valor para salário Mínimo

Redação

Publicado

em

Por

O governo Federal definiu para R$ 1.087,64 o valor do salário Mínimo para 2021, baseado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Publicidade

O governo federal faz a correção anual do salário mínimo com base do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A sua última estimativa elevou a inflação de 2,35% para 4,10%, dados divulgados pela Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia nesta terça-feira (17).

Isto é, caso não haja nenhuma mudança o salário mínimo de 2021 será de R$ 1.087,00. No ano de 2020 o salário mínimo é de R$ 1.045,00. Em agosto foi estipulado o valor de R$ 1.067,00, ou seja, com a nova previsão o valor conta com R$ 20,84 a mais. No entanto, caso haja alguma alteração na previsão da inflação feita pelo INPC, esse valor ainda pode sofrer alterações no restante do ano de 2020.

Conforme as pesquisas do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o valor do salário mínimo é referência para mais de 49 milhões de trabalhadores brasileiros.

Impacto nas contas públicas

Todo ano que o governo federal faz um reajuste maior para o salário mínimo, ele gasta mais. Isso acontece benefícios previdenciários não podem ser menores que o valor do mínimo. Ele é usado como base nos pagamentos dos benefícios previdenciários ou assistenciais como, aposentadorias, pensões e abonos salariais.

Com base nos cálculos feitos pelo Ministério da Economia, a cada 1 de aumento do salário mínimo cria-se uma despesa em 2020 de aproximadamente R$ 355 milhões. Isto é, o aumento de R$ 20,84 para o salário mínimo em 2021 representaria uma queda de cerca de R$ 7,4 bilhões nas despesas criadas para o governo federal.

Salário mínimo

Além de definir um teto de pagamento e mais segurança aos trabalhadores. O salário mínimo é utilizado como referência para o pagamento de benefícios e seguridades sociais.

Ele serve de referência ao menor valor pago pelas empresas aos seus funcionários. Esta quantia é definida legalmente e deve ser seguida na hora de contratar um colaborador. De acordo com a lei, o empregador pode pagar além do teto, mas nunca abaixo dele.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Economia

Comgás oferece desconto inédito de até 50% em Saldão de Dívida

Redação

Publicado

em

Por

Promoção é válida durante o mês de novembro para negociação de dívidas com mais de um ano de atraso

Publicidade

A Comgás iniciou na terça-feira (3) uma ação promocional inédita para seus clientes que precisam de ajuda para regularizar suas finanças. A maior distribuidora de gás encanado do Brasil criou uma campanha de renegociação de dívidas que oferece até 50% de desconto para clientes com débitos abertos há mais de um ano.  

A promoção é limitada e válida até 30 de novembro. Por meio dela, clientes residenciais e comerciais podem negociar seu débito em condições especiais, diretamente com a Comgás, de forma prática e rápida, pelo site. O cliente deve fazer o pagamento do valor atrasado de uma só vez, ou seja, à vista. 

“Percebemos que o consumidor tem necessidades específicas em relação ao contexto atual, sendo uma delas manter o orçamento em ordem e ao mesmo tempo a necessidade de garantir o fornecimento de gás, já que ele está passando mais tempo em casa. Pensando nisso, criamos o Saldão de Dívida, com condições especiais inéditas por tempo limitado. São descontos progressivos de até 50%, sem multas e juros adicionais, que vão facilitar a quitação de dívida antigas do cliente”, afirma Maria Fernanda De Paoli, Head de Mercado da Comgás.

Como renegociar? Para os clientes interessados em quitar seus débitos, a companhia criou uma página exclusiva no www.comgas.com.br/saldaodedivida. No processo, o cliente deve ter em mãos o CPF ou código de usuário. 

Serviço
Saldão de Dívida Comgás
Quando: 03 a 30/11 

Local de atendimento:

Site: www.comgas.com.br/saldaodedivida

Sobre a Comgás A Comgás possui mais de 17 mil quilômetros de rede de distribuição de gás natural encanado em 90 municípios, abastecendo os segmentos industrial, comercial, residencial e automotivo, além de viabilizar projetos de cogeração e disponibilizar gás para usinas de termogeração.

Com fornecimento ininterrupto e atendimento 24h, a companhia atende mais de 2 milhões de clientes em sua área de concessão no Estado de São Paulo: a Região Metropolitana de São Paulo, a Região Administrativa de Campinas, a Baixada Santista e o Vale do Paraíba. 

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Economia

Pacote de 5 kg de arroz tem variação de 71%, aponta pesquisa do Procon

Portal Hortolândia

Publicado

em

Pesquisa do Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP, em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), revelou que o preço médio do pacote de 5 kg de arroz em fevereiro deste ano, antes de ser decretada a pandemia, custava R$ 12,78. Em outubro (valor apurado até o momento) passou para R$ 21,83, aumento de 71%.

Publicidade

A maior variação mensal do ano de 2020 ocorreu em setembro, 21% (tomando-se como base o mês de agosto/20). O pacote que custava R$ 16,87 em agosto passou para R$ 20,25 em setembro. A pesquisa foi realizada em 40 supermercados distribuídos nas cinco regiões do município de São Paulo e abrange 39 itens dos grupos de alimentos, higiene pessoal e limpeza doméstica.

Como o levantamento leva em consideração a média dos preços mínimos encontrados, o valor está longe da realidade constatada pelas equipes de fiscalização do Procon-SP. Em operação realizada em todo o estado para coibir preços abusivos de produtos da cesta básica, dentre eles o arroz, na capital paulista o pacote de 5kg de arroz tipo 1 chegou a ser encontrado por R$ 32,16 e no interior, R$ 36,79.

Em todo o estado, 625 estabelecimentos foram notificados por fiscais do Procon-SP a apresentar notas fiscais de compra e venda de itens da cesta básica como arroz, óleo de soja e carnes vermelhas e, caso seja identificado um aumento desproporcional nos valores, responderão a processo administrativo, podendo ser multados.

“Embora não exista tabelamento de preço é inadmissível que fornecedores queiram abusar e aumentar desproporcionalmente seus lucros em plena pandemia”, afirma o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares