Connect with us
Publicidade

Outros

Fiat deixa linha Toro 2021 mais segura e conectada Modelo conta com oito versões e opção de motorização flex e diesel

Portal Hortolândia

Publicado

em

A linha Fiat Toro 2021 foi apresentada com algumas novidades que deixam o modelo mais conectado, como a central multimídia UConnect, que conta com uma tela sensível ao toque de sete polegadas e recursos sofisticados como Apple Carplay e Android Auto com projeção sem fio. 

A “irmã mais velha” da Strada conta com oito versões: Endurance 1.8 Flex MT5, Endurance 1.8 Flex AT6, Freedom 1.8 Flex AT6, que foi a avaliada pelo Portal Hortolândia, Endurance 2.0 Diesel AT9 4×4, Freedom 2.0 Diesel AT9 4×4, Volcano 2.0 Diesel AT9 4×4, Ranch 2.0 Diesel AT9 4×4 e Ultra 2.0 Diesel AT9 4×4.

Publicidade

A nova central multimídia é item de série a partir da versão Freedom. Com alta definição de 1280 x 768 pixels, o sistema funciona com uma CPU de 2.100 GHz para rápido processamento de dados. 

Com memória interna de 16 GB para armazenamento de informações, trabalha com rápida memória RAM de 2GB. O sistema foi totalmente desenvolvido pela Fiat, que melhorou de forma significativa a experiência do usuário com o veículo, tornando mais práticas funções dos smartphones: Navegação via Waze e Google Maps; Música (Streaming | MP3); Reconhecimento de voz (Siri | Google Voice); Leitura e resposta de mensagem “handsfree” para SMS e WhatsApp, por exemplo; Integração com calendário.

A linha Fiat Toro 2021 chega também com uma importante evolução em termos de segurança nas versões topo de gama, Ranch e Ultra, que passam a contar com airbags laterais, de cortina e para os joelhos do motorista, totalizando sete bolsas infláveis para proteger ainda mais o condutor e os passageiros.

Com capacidade de carga que chega a 1.000 quilos, a caçamba do Toro agora dispõe de luz com novo posicionamento no compartimento para privilegiar a iluminação com a capota marítima fechada.

Outra mudança na gama diz respeito à versão Volcano, que recebeu como item de série revestimento de couro para os bancos.

A partir da versão Endurance, equipada com motor 1.8 Flex e câmbio manual, o modelo vem equipado com novas rodas de 16 polegadas e pneus 215/65, grade de proteção do vidro traseiro e santantônio (exclusivos da configuração), chave com telecomando, ar-condicionado, direção com assistência elétrica, vidros e travas elétricas, controles eletrônicos de tração e estabilidade, Hill Holder, protetor de caçamba e piloto automático, entre outros. Essa configuração também oferece câmbio automático de seis marchas. Acima dela encontra-se a motorização 2.0 turbodiesel – acoplada à transmissão automática de 9 velocidades e com tração 4×4 – que acrescenta HDC (controle de descida), protetor de cárter e skid plate integrado ao para-choque dianteiro.

A gama do Toro 2021 avança para a versão avaliada por nós, a Freedom. Com motor 1.8 flex e câmbio automático de seis velocidades, disponibiliza volante em couro com aletas para troca de marchas, comando com reconhecimento de voz, ar-condicionado dualzone, apoio de braço central dianteiro com porta-objetos, barras longitudinais no teto, capota marítima, faróis de neblina com sistema Cornering, porta-escada, retrovisores externos elétricos com Tilt Down, rodas de liga leve de 16 polegadas e pneus 215/65, sensor de estacionamento traseiro com câmera de ré, entre outros. Com motorização 2.0 turbodiesel e transmissão automática de nove velocidades, se diferencia da configuração de entrada pelas rodas de liga leve de 17 polegadas com pneus ATR de uso misto com medidas 225/65.

A versão Volcano, que recebeu como item de série revestimento de couro nos assentos, agora é oferecida apenas com motor 2.0 turbodiesel e se destaca pelo banco do motorista com regulagem elétrica em oito posições, quadro de instrumentos com display de 7″ colorido com relógio digital, calendário e indicador de temperatura externa, porta-objetos debaixo do banco do passageiro, console central com porta-objetos refrigerado e porta-copos, sensor de pressão dos pneus, faróis com sistema DRL, Keyless entry’n’go, partida remota, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos elétricos (Tilt down / rebatimento / luz de conforto), rodas em liga leve de 18 polegadas com pneus 225/60 e sensores crepuscular e chuva.

A família Toro ainda é composta pelas versões topo de gama Ranch e Ultra, que receberam sete airbags de série na linha 2021. Ambas têm motor 2.0 turbodiesel e câmbio automático de nove marchas. A primeira tem acabamento diferenciado, com exclusivos bancos em couro marrom, pintura no mesmo tom na moldura do rádio, saídas de ar, alça da porta e volante. Barra de proteção do vidro traseiro, engate reboque removível traseiro, interior escurecido (revestimento do teto e colunas, alça de segurança, porta-óculos) e para-barros dianteiros e traseiros completam o visual. Internamente, o recurso Welcome Movement com fundo de tela específico da série no quadro TFT de sete polegadas confere exclusividade à versão.

O Toro Ultra com dynamic cover de série oferece ainda mais segurança para o conteúdo colocado na caçamba, melhor vedação contra infiltração de água e logos da marca e siglas escurecidas. A tampa é removível, o que facilitará caso o cliente queira carregar a caçamba com objetos maiores que sua capacidade quando fechada. O modelo também apresenta itens exclusivos que diferenciam a versão.

A extensa gama do Fiat Toro oferece opções para todos os usos e gostos, desde a utilização familiar para a cidade ou estradas asfaltadas, a exemplo de um SUV de luxo, assim como para algo mais pesado, com uso em estradas de terra e fazendas.

E para atender ainda melhor as necessidades específicas dos clientes, a Fiat disponibiliza pacotes de opcionais para todas as versões:

Endurance – Pack Convenience: faróis de neblina com sistema Cornering; porta-escadas; brake-light; sensor de estacionamento traseiro; retrovisores externos elétricos com sistema Tilt Down + setas de direção integradas.

Endurance – Pack Convenience Multimídia: câmera de ré; central multimídia com tela de 7” touchscreen; Apple CarPlay Wireless e Android Auto Wireless; comandos de voz Bluetooth, MP3, Rádio AM/FM, entrada auxiliar, 2 Portas USB; 6 alto-falantes; volante em couro com comando do rádio e telefone; 2 Tweeters no painel

Endurance – Start & Stop

Freedom – Pack Stile: bancos revestidos parcialmente em couro; descanso de braço traseiro central com porta copos

Freedom Pack S-DESIGN: Apoia-braço central traseiro com porta-copos; santantônio; pintura cinza na capa dos retrovisores externos; grade superior dianteira e barras de teto; estribos laterais pretos; interior escurecido (teto e colunas); cor específica da moldura da central multimídia, saídas de ar, alças das portas e aros dos alto-falantes; bancos revestidos com mescla de couro e tecido; painel das portas dianteiras revestidos em couro com costura preta; volante e kit chaves; faixas adesivas no capô e tampa traseira da caçamba; rodas com pintura escurecida; badge; logos; identificação de versão/motor escurecidos no exterior

Freedom Start & Stop

Volcano – Pack Deluxe Safe: teto solar; 5 airbags adicionais (laterais, cortina e joelho do motorista)

Volcano Pack Safety: 5 airbags adicionais (laterais, cortina e joelho do motorista)

Texto e Fotos: Sérgio Dias

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia

Outros

O que escolher: ferro a seco ou a vapor?

Portal Hortolândia

Publicado

em

Um dos eletrodomésticos mais utilizados nas casas e um dos mais queridos (ou não!). Neste texto comentaremos sobre as diferenças e, por consequência, qual é a melhor escolha entre Ferro a Seco ou a Vapor.

FERRO A SECO

Comparativamente é o mais barato e se é a seco, obviamente você não precisará desliga-lo para repor a água – isso economizará um tempo precioso. Sua chapa pode ser de Teflon (para não grudar na roupa), Turmalina (mantém o calor por um período maior) e Durilium (não desbota o brilho dos tecidos).

Publicidade

Excelente para tecidos como poliéster ou seda.

Mas, em contrapartida, o consumo de energia é maior e se a roupa estiver muito amassada prepare o braço (e um borrifador de água), porque o esforço será grande.

FERRO A VAPOR

Talvez uma das poucas desvantagens seja o fato de precisar ficar atento com a reposição da água no reservatório.

No mais, o Ferro a Vapor é leve e se sai muito bem quando o assunto são tecidos que amassem facilmente ou aqueles mais pesados e difíceis de passar como linho e jeans, por exemplo.

Apesar de um pouco mais caro (dependendo da marca e modelo), o Ferro a Vapor pode ser uma boa pedida, principalmente porque tem mais vantagens que o Ferro a Seco.

Mas e você, qual prefere? O Ferro a Seco ou a Vapor? Comente com a gente!

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Outros

O que escolher: Grill ou Sanduicheira?

Portal Hortolândia

Publicado

em

Se você é daquelas pessoas que adora preparar um peixe assado, um delicioso misto quente ou, quem sabe, degustar aquele pedaço generoso de carne, saiba que tudo isso pode ser feito em um grill ou sanduicheira. Mas qual deles escolher para sua cozinha?

Vem com a gente que o Portal Hortolândia comenta as diferenças e pontos fortes e fracos de cada um.

GRILL

Publicidade

Como este eletro-portátil pode atingir altas temperaturas, teremos as opções de grelhar carnes, frangos, peixes e até legumes com tranquilidade e o melhor: sem usar óleo, o que deixará sua refeição mais saudável! Além disso, como os modelos vêm com termostato, o ajuste na temperatura é facinho e preciso.

E por sua base ser maior, uma quantidade interessante de alimentos pode ser preparado de uma vez só. Lembrando que há modelos de 110 e 220 volts no mercado.

SANDUICHEIRA

A sanduicheira atinge temperaturas menores e é ideal para lanches rápidos e mistos quentes, já que deixará o queijo e o presunto levemente derretidos. Como o design não foi feito para grelhar alimentos e, por consequência, não conta com um espaço para a gordura ficar depositada, você terá certo trabalho para limpá-lo depois.

O sistema de aquecimento também avisa quando sua refeição tiver no ponto correto para não queimá-la.

Lembrando também que existe a opção de Grill e Sanduicheira num mesmo eletro-portátil. Então, dependendo das suas refeições, vale a pena investir um pouquinho mais e fazer esta aquisição.

E aí, conte pra gente qual utiliza mais em sua casa… Grill ou Sanduicheira?

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Outros

Conheça a raiva, doença que não tem cura e pode levar o Pet à morte

Portal Hortolândia

Publicado

em

O Dia Mundial da Raiva, realizado no dia 28 de setembro de cada ano, é uma iniciativa da Aliança para o Controle da Raiva, muito se fala sobre os perigos da raiva canina, contudo, pouco se sabe como essa doença afeta os animais.

A raiva é uma zoonose infecciosa aguda que atinge os mamíferos, comprometendo o sistema nervoso central. Os principais transmissores da doença são morcegos, guaxinins, gambás e macacos, que contaminam os cães de forma acidental. O contágio ocorre por meio da troca de secreções, contato sanguíneo ou mordida. Como a doença causa agressividade, a mordida é a principal forma dos animais infectados passarem o vírus adiante. Porém, se o pet tiver um ferimento na pele e entrar em contato com secreções contaminadas ele também pode se infectar.

Publicidade

O vírus age primeiro no sistema periférico do cão, ou seja, no local da mordida. Depois, ele se replica pelo organismo até atingir o cérebro, causando uma série de reações neurológicas.

A salivação excessiva, comumente associada a raiva canina é apenas um dos sinais apresentados pelo pet. Os primeiros sintomas da doença aparecem cerca de três a seis semanas após o contágio.

A evolução do quadro clínico se divide em dois estágios, popularmente conhecidos como raiva furiosa e raiva paralítica. Na primeira fase, os animais apresentam alterações comportamentais, como medo, excitação, depressão e, principalmente, agressividade, que é um dos sintomas mais comuns da patologia. Essa fase dura em média quatro dias. Após esse período, os sintomas neurológicos se acentuam. O cão pode apresentar dificuldade de engolir, salivação excessiva, falta de coordenação nos membros e paralisa. Os sintomas da doença se apresentam de forma lenta e progressiva, mas são inevitavelmente fatais.

A raiva canina não tem cura, apenas tratamento para a enfermidade em humanos e as chances de cura são mínimas com muitas sequelas neurológicas. Por isso, a vacinação é a única forma de manter os animais protegidos. No caso dos filhotes, é indicada a vacinação contra a raiva a partir do quarto mês de vida. Depois, será necessário imunizar o animal anualmente, junto com as demais vacinas indicadas pelo médico-veterinário.

Quem adotou um pet adulto e não sabe seu histórico de imunização também deve procurar orientação de um profissional para deixá-lo protegido. É importante reforçar que a revacinação anual deve ser realizada dentro do prazo indicado pelo médico-veterinário. Atrasar ou não realizar a imunização do pet o deixará vulnerável para o contágio pelo vírus da raiva.

Receba as principais notícias direto no seu Telegram https://t.me/portalhortolandia
Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Youtube

 

PONTE DA ESPERANÇA

Populares