Connect with us

Saúde & Beleza

COCHILO DEPOIS DO ALMOÇO FAVORECE A MEMÓRIA E O CORAÇÃO

Published

on

cochilo-depois-do-almocoEm casa, ele já reinava absoluto. Nas empresas e escritórios, além de liberado tem virado febre mundial. Se para alguns o cochilo (aqueles poucos minutos de sono) não faz a menor diferença ou é sinônimo de preguiça, para a maioria é tão valioso que revigora o corpo e fortalece a memória.

O fato foi recentemente comprovado por pesquisadores da Universidade de Berkeley, na Califórnia (EUA), após testes feitos com 39 jovens saudáveis. Os participantes tinham que decorar cem nomes e rostos na hora do almoço. Em seguida, uma parte deles era liberado para dormir.

Às 18h, o grupo voltava e precisava decorar outros cem nomes e rostos. A conclusão do estudo foi de que os 20 jovens que tiraram uma soneca apresentaram desempenho 10% melhor na tarefa, o que apontou para um melhor funcionamento do cérebro após a soneca.

Mas será que todo o organismo se beneficia com o cochilo após a hora do almoço? Conversamos com os especialistas em sono, o pneumologista Denis Martinez, e o neurologista Shigueo Yonekura, do Instituto de Medicina e Sono, que mostram por que o cochilo faz bem para o corpo e para a mente.

Ao contrário do que muita gente pensa, o sono que bate logo depois do almoço não é conseqüência da ação da alimentação no organismo e sim, um instinto natural do nosso organismo, que reage assim quando nossas reservas de energia caem.

“Fomos nos adaptando a correria dos tempos modernos e deixando de cochilar na hora do almoço, mas a sesta é tradicional em muitos países (principalmente nos países europeus) até hoje, por ser uma necessidade biológica do ser humano já que por volta deste horário, as reservas de ATP e glicogênio que nos dão energia sofrem uma baixa”, explica Denis Martinez. “Nestes casos, o cochilo não indica nenhum tipo de distúrbio e não interfere na qualidade de sono à noite”, afirma.

Mas e o papel da comida nesta história então?
Ela deixa nosso organismo um pouco mais lento já que o processo de digestão requer certo gasto energético para se concretizar, porém, este gasto é praticamente insignificante, o que explica a pouca relação da ingestão de alimentos e o sono na hora do almoço: “juntando a baixa de energia natural e biológica que sofremos na hora do almoço, com a pequena moleza típica da digestão, ficamos mais sonolentos, mas o processo digestivo interfere muito pouco na sonolência que sentimos”, explica Denis Martinez.

Noites mal dormidas x cochilos constantes
Se por um lado o sono na hora do almoço é um processo natural e biológico, por outro, sua recorrência em outros períodos do dia de forma intensa, pode ser sinal de que você tem algum distúrbio do sono.

Em geral, pessoas que se sentem sonolentas ao longo do dia ou não se sentem descansadas depois da soneca, sofrem de insônia, apneia do sono ou algum distúrbio do sono, e como não conseguem repor a energia de forma suficiente durante a noite e até mesmo depois de um cochilo, continuam sonolentas.

“Quando isso acontece, o ideal é procurar um especialista e identificar o distúrbio, para manter a qualidade de seu sono e evitar o estado de soneca constante. Tem gente que acha que o cochilo atrapalha o sono à noite e na verdade não é assim que funciona. Muitas vezes, um simples e gostoso cochilo não atrapalha o sono, mas é um indício de que ele já não vai bem”, explica Denis.

Se já está comprovado que 15 minutos são suficientes para deixar nosso corpo em ordem, a média de tempo que levamos para voltar ao estado normal depois do cochilo ainda é bastante discutível: “alguns especialistas acreditam que apenas cinco minutos já são suficientes para a pessoa voltar a ativa numa boa depois do cochilo, já outros, explicam que este tempo depende da duração do cochilo. Se a pessoa cochilou mais de 20 minutos, deve demorar cerca de uma hora e meia para voltar ao normal. Acredito que uma média razoável são 30 minutos após a soneca”, explica Denis.

Haja memória!
A parte do cérebro que mais trabalha ao longo do dia é exatamente a que está ligada a memória. Quando não dormimos bem, ela reflete o nosso cansaço, e é por isso, que em geral, pessoas sonolentas não conseguem focar sua atenção e muito menos se lembrar de algo.

O sono funciona para nós seres humanos como um repositor de energia. Durante a noite, enquanto dormimos, repomos nossas energias através da produção de ATP e glicogênio, que abastecem nosso organismo para o dia seguinte: “se a pessoa não dorme, se sente muito mais cansada e desatenta porque está com suas reservas de glicogênio e ATP em baixa. Quando cochilamos por cerca de 15 a 20 minutos, conseguimos ativar este mecanismo de forma a repor parte das energias perdidas ou que não foram repostas durante a noite”, explica Denis.

Memória e concentração: além do cansaço e da irritabilidade, a pessoa que sofre de insônia também apresenta dificuldades de concentração e memorização de fatos recentes.

Para Shigueo Yonekura, isso acontece porque interrompemos um processo natural de memorização e aprendizado. “É durante o sono que gravamos o que aprendemos ao longo do dia. Se o sono falha, a memória e a concentração ficam prejudicadas”, diz.

Se você é do tipo que acha sinal de preguiça tirar uma sonequinha na hora do almoço, preste atenção em alguns dos benefícios que ela traz a saúde:
– Fortalece a memória
– Diminui os riscos de ataques cardíacos
– Confere mais disposição e energia
– Aumenta a concentração, reduzindo acidente
– Aumenta a sua produtividade no trabalho

Consequências para a saúde de quem não dorme bem
-Obesidade: “durante a noite produzimos a leptina, um inibidor natural de apetite. Quando não dormimos, cai a produção deste hormônio e a pessoa fica mais propensa a ganhar peso”, explica Shigueo.
-Envelhecimento precoce e dificuldade de crescimento: Shigueo explica que é também durante o sono que produzimos o GH, hormônio do crescimento, responsável pelo crescimento do nosso corpo e pela elasticidade da nossa pele.
-Baixa de testosterona: outra consequência da insônia, para os homens, é a baixa da produção de testosterona, diminuindo a libido. “É durante o sono que repomos muitos de nossos hormônios, se dormimos mal, deixamos de produzi-los de maneira natural”, finaliza Shigueo.

Fonte: http://thesecret.tv.br/



Saúde & Beleza

Saiba o que pode ser formigamento nos pés

Published

on

O neuroma dos nervos digitais plantares foi difundido por Thomas G. Morton em 1876, como uma lesão tumoral benigna representada por fibrose do nervo digital plantar. A lesão ocorre com maior frequência entre o terceiro e o quarto ossos metatarsais.

A maior ocorrência no terceiro espaço ocorre pelo fato de que este é o local mais frequente da união entre os ramos lateral e medial dos nervos digitais plantares, que ficam engrossados e comprimidos, além da maior mobilidade do quarto metatarso, em relação ao terceiro, o que favorece a ocorrência de microtraumas.

Clínica
Devido à predileção pelo sexo feminino, sugere-se que a lesão seja desencadeada pelo uso de sapato de salto alto, onde ocorre um aumento da pressão na cabeça dos metatarsos e consequentemente, compressão do nervo. Contudo, é sabido que os esportes de impacto, principalmente a corrida, também provocam a lesão.

Clinicamente, o neuroma desenvolve dor característica no antepé, levando o paciente em certas ocasiões, a retirar o sapato para massagear os dedos, ou simplesmente parar sua atividade.

A dor irradia-se para trás ou para os dedos, podendo ocorrer fenômenos como formigamento nas áreas inervadas pelos ramos envolvidos. Ocorre também sensação de queimação, que pode ser agravada pelo uso de sapatos inadequados e persistência do impacto.

Exame físico e complementar
No exame físico pode ser encontrado o sinal de Mulder, no qual o médico realiza uma compressão do antepé, acompanhada de pressão na face plantar do terceiro espaço intermetatarsal. Quando positivo, ocorre estalido e ressalto doloroso, resultante da movimentação do neuroma no espaço entre as cabeças metatársicas, que pode ser reduzido com o Teste Kelikian-Ducroquet (veja na figura ao lado).

Radiograficamente, não há imagem sugestiva, sendo a radiografia útil para o diagnóstico de outras patologias que causam metatarsalgia. Ao ultrassom e ressonância magnética, a lesão aparece como forma circular ou ovóide, bem definida, localizada próxima à cabeça metatarsal, no espaço intermetatarsal.

Tratamento
O tratamento inicial do neuroma de Morton é direcionado para a mudança de hábito, quanto ao uso de calçados, dando preferência ao uso de salto menor e bico mais largo, sendo também instituído uso de antiinflamatórios não hormonais, analgésicos e fisioterapia de alongamento da fáscia plantar e flexores dos dedos. Podem ser usadas como coadjuvante, palmilhas para supressão de carga na região metatarsal acometida, com piloto retrocapital ou com amortecimento das cabeças.

Também pode ser utilizada injeção de esteróide para produzir alívio da dor e inflamação, que pode durar de semanas a meses, e quando o tratamento conservador falha, outros métodos podem ser utilizados, incluindo neurólise ou liberação cirúrgica do ligamento metatarsal transverso para descompressão. O método cirúrgico é a única maneira definitiva de acabar com os sintomas, desde que sejam descartados os diagnósticos diferenciais. A ressecção cirúrgica do neuroma e do segmento envolvido do nervo é o tratamento que conduz aos melhores resultados segundo vários autores, podendo ser realizado por via plantar ou dorsal.

A vantagem da incisão dorsal é que a mesma é feita fora da área de carga, além de evitar que o peso corpóreo seja transmitido à superfície plantar das cabeças metatarsais, resultando em uma cicatriz menos dolorosa. Em duas semanas, os pontos são retirados e inicia-se a recuperação a caminho de uma vida e corrida sem dor!

Ana Paula Simões é Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. www.anapaulasimoes.com.br

Continue Reading

Saúde & Beleza

MakeUP: Rosely Nunes dá dica de Esfumado com Delineado Infinito

Published

on

O delineado infinito é uma das técnicas mais bonitas e uma das mais favoritas da maquiadora Rosely Nunes.

Neste vídeo ela ensina passo-a-passo como fazer o Esfumado com Delineado Infinito.

Esta técnica exige muita paciência, tem que esfumar bastante, principalmente quando se trata de sombra preta, pois requer um cuidado maior, sempre depositando aos poucos pra não perder o controle na hora de esfumar e deixar tudo marcado.

Confira no Vídeo:

Continue Reading

Saúde & Beleza

Anti-envelhecimento é o que novo cosmético promete

Published

on

A indústria cosmética avança a cada dia no desenvolvimento de novas formulações que prometem melhorar a estrutura da pele, seja no combate aos fatores que provocam o envelhecimento, seja no preenchimento das marcas de expressão que surgem naturalmente com a idade. Uma das novidades nas chamadas linhas anti-aging é o uso do ácido hialurônico, em produtos voltados para a pele do rosto, corpo e cabelos.

Com alto poder de hidratação e a utilização de partículas cada vez menores, os cosméticos à base desses componentes agem em camadas profundas da estrutura celular, o que torna seus efeitos mais rápidos e efetivos. Uma das marcas que vem desenvolvendo pesquisas para incorporar o ácido é a Provanza, de Uberlândia, que acaba de lançar no mercado uma linha de cremes corporais, shampoo e condicionador. As pesquisas levaram cerca de dois anos e outros itens já estão na fila de lançamentos.

Para o médico dermatologista  Jefferson Souza, titular pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, o ácido hialurônico compõe a matriz extracelular encontrada na pele e sua grande capacidade de atrair e reter água contribuem  para tratamentos preventivos relacionados ao envelhecimento cutâneo. “Os tratamentos modernos que utilizam esse componente hidratam de verdade e  proporcionam a elasticidade de uma pele mais jovem”, explica.

Produção natural e envelhecimento

Todas as pessoas produzem ácido hialurônico naturalmente. Trata-se de um tipo de açúcar presente em grande quantidade no organismo, em especial nas cartilagens, articulações e na pele. Uma simples molécula é capaz de absorver o equivalente a mil vezes o seu peso em água. Por isso, ela é responsável pelo preenchimento de diferentes tipos de tecidos. Na medida em que ocorre o envelhecimento, a capacidade de produção da substância diminui. É aí que entra a indústria cosmética e suas novas formulações.

Apesar de presente em nosso organismo desde o nascimento, o ácido hialurônico tende a se tornar mais escasso na medida em que a idade chega. Esta alteração compromete especialmente o preenchimento da pele, que ganha rugas, marcas de expressão e flacidez.

Hidratantes com Ácido Hialurônico promovem uma hidratação profunda, reforçam a estrutura da pele e conferem uma aparência firme e lisa. Podem ser usados por homens e mulheres, a partir dos 25 anos de idade. A Provanza desenvolveu duas opções: uma de creme corporal e outra facial.

Os produtos contêm também óleo de girassol (calmante, emoliente, rico em nutrientes e antioxidantes) e extrato de chá branco (antioxidante). São fabricados sem corantes, parabenos ou testes em animais.

Ressecamento dos cabelos

A exposição solar, excesso de química e uso constante de secador e chapinha contribui para acelerar o processo de ressecamento dos cabelos. O ácido hialurônico também contribui para recuperar a hidratação, por meio de shampoos e cremes específicos. A substância atrai água para a fibra capilar, deixando os fios mais resistentes.

A Provanza lançou o shampoo e condicionador Hidro Nutritivo, com extrato de chá branco e ácido hialurônico. São produtos que  penetram nos cabelos  e agem para eliminar o ressecamento, reconstruir a estrutura dos fios, reduzir o frizz e prevenir a queda. O extrato de chá branco fortalece a estrutura capilar, auxilia no nascimento de novos fios e na redução da queda. Sem corantes, sem parabenos, sem adição de cloreto de sódio e sem testes em animais.

Continue Reading